cabecalho apta130219

Uruguai deve superar argentinas em exportações de carne

Ajudado pelas restrições às exportações de carne bovina argentina e por novos investimentos, o Uruguai vai exportar mais carne do que o país vizinho neste ano. Essa será a primeira vez que o Uruguai ultrapassará o sócio do Mercosul nas exportações de carne, desde 1876, quando as vendas externas começaram a ser registradas. Segundo os analistas, as vendas argentinas chegarão ao final de 2006 na casa dos US$ 700 ou US$ 800 milhões, enquanto que as uruguaias atingirão a marca dos US$ 900 milhões. O Uruguai está deixando a Argentina para trás também nos investimentos no setor. Há 15 dias, o segundo frigorífico do Brasil, Bertin, comprou o uruguaio Canelones (o sétimo em abate), por US$ 35 milhões, conforme estimativas do mercado. Também de acordo com o mercado, a Cargill tinha interesse em adquirir frigorífico do Uruguai, mas não conseguiu viabilizar a operação. Especula-se ainda que o empresário norte-americano Douglas Cooper, que há dois anos comprou 50% do La Caballada (entre os 10 maiores), estaria negociado a compra do 50% restante. Dos 20 grandes frigoríficos do Uruguai, somente sete concentram 60% do abate no país. Destes, só três são de capital nacional. No mercado se comenta ainda que o inglês Therry Johnson, dono de AB&P na Argentina, estaria aguardando a autorização do município de Durazno para construir um novo frigorífico, de US$ 20 milhões, naquela localidade. As restrições argentinas para as exportações de carne, adotadas o início do ano para garantir o preço interno e a oferta do produto, fizeram com que o Uruguai redirecionara suas vendas externas. Há um ano, o Uruguai vendia 78% de sua carne aos Estados Unidos, Canadá e México. No mês passado, a metade dos cortes frescos e congelados do Uruguai foram vendidos ao Chile e à Rússia, respectivamente. Além da Argentina, o Chile também comprava carne do Brasil mas, com o reaparecimento da aftosa, as importações foram suspensas. No primeiro semestre, o Uruguai aumentou suas vendas de carne ao Chile em quase 10% no volume e 54% no valor, comparado com cifras de 2005, conforme dados da publicação Faxcarne, da consultoria Blasina & Tardáguila. Para o principal mercado comprador da Argentina, a Rússia, o Uruguai aumentou suas exportações em quase 2% em volume e 59% em valor. O último grande investimento na indústria de carnes da Argentina foi em setembro de 2005, quando o Friboi comprou o Swift, o maior frigorífico do país, por US$ 200 milhões. Seis meses depois, o presidente Néstor Kirchner começou a impor as restrições para as exportações de carne.
Pin It

Notícias por Ano