cabecalho apta130219

SP: Safra de laranja para indústria aponta 306 milhões de caixas

Após revisão dos números para a safra agrícola de laranja 2007/2008 e safra industrial 2008/2009, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo informa uma produção de 306 milhões de caixas (40,8 quilos) destinadas à indústria e de 54 milhões de caixas (40,8 quilos) para mesa. Esses resultados foram obtidos por meio de método subjetivo, que consiste nas informações fornecidas pelos técnicos das casas de agricultura de cada um dos 645 municípios do Estado de São Paulo (“censo de municípios”). Da primeira divulgação, ocorrida em maio de 2008, houve esforço complementar dos técnicos e pesquisadores das instituições envolvidas - Instituto de Economia Agrícola (IEA) e Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati) - para dirimir as dúvidas que surgiram à época sobre a conformidade das estimativas com a realidade no campo. Os entendimentos sobre a unidade de produção declarada (peso da caixa) e de produção exclusiva de laranja (e não de citros) foram os fatores explicativos das diferenças entre os dois resultados estimados. Além da análise de consistência para as informações subjetivas, foi realizado um levantamento amostral (método objetivo) que, infelizmente, não pode ser validado quanto aos resultados obtidos, devido à recusa de 28,7% das unidades de produção agropecuária (UPAs). Dada a importância dessas UPAs na composição da produção paulista, mostrou-se inviável a adoção dessa metodologia. No ranking da produção, a região de Barretos ainda ocupa o primeiro lugar, com 45 milhões de caixas, seguida por São João da Boa Vista (31 milhões), Limeira (30 milhões) e Araraquara (29 milhões). Em número de pés, são 41 milhões de novas árvores e 191 milhões em produção. Esses números evidenciam a migração geográfica da laranja para o sul do Estado, com a região de Avaré ocupando o primeiro lugar com 5,4 milhões de novas plantas, seguida por Bauru e Botucatu. A influência do greening nos pomares paulistas voltados para a indústria fica explicita também no rendimento médio por pé. A região de Araraquara, uma das mais afetadas, apresenta o menor rendimento de caixa/pé com 1,36, sendo a média estadual 1,88. Nas áreas novas, esse número chega a 2,24 em Avaré e 1,99 em Botucatu. Observação - A safra agrícola inicia-se em outubro de um ano, com a florada, e vai até fevereiro, quando começa o aparecimento dos frutos (época ideal para fazer a estimativa de produção). A safra industrial (colheita) vai de junho a dezembro. Dependendo da variedade, clima e recebimento pela indústria, pode ir até janeiro. INFORMAÇÕES: Assessoria de Comunicação Tel.: 11 5067-0069 Euzi Dognani/Adriana Rota/Nara Guimarães www.agricultura.sp.gov.br
Pin It

Notícias por Ano