cabecalho apta130219

São Paulo revela os melhores cafés gourmet produzidos no Estado

A 10ª Edição Especial dos Melhores Cafés de São Paulo foi realizada no dia 19/12 no Palácio dos Bandeirantes. A cerimônia contou com a presença do governador Geraldo Alckmin e da secretária de Agricultura e Abastecimento Mônika Bergamaschi.
Na oportunidade, o diretor do Instituto Biológico (IB-APTA), Antonio Batista Filho, oportunidade entregou ao Fundo Social de Solidariedade do Estado cerca de 500 quilos de café cultivados na área do Biológico, na Vila Mariana. O café doado será destinado às diversas entidades assistenciais atendidas pelo Fundo.
O evento é uma iniciativa da Secretaria, por meio da Câmara Setorial do Café, que funciona no âmbito da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), e conta com o apoio do Sindicato da Indústria de Café do Estado (Sindicafé - São Paulo), da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic) e da Associação Comercial de Santos (ACS). Trata-se de programa que engloba todos os agentes da cadeia produtiva, desde o produtor, que recebe orientações e técnicas sobre como obter a máxima qualidade de sua lavoura, até as indústrias, que devem processar adequadamente os grãos para assegurar que o consumidor possa saborear um café excepcional, com todas as principais características de uma bebida exemplar: aroma marcante, acidez equilibrada, corpo acentuado e retrogosto prolongado.
O evento contempla as empresas vencedoras da seleção dos melhores cafés gourmet paulistas realizada em outubro durante o 10º Concurso Estadual de Qualidade Café de São Paulo – Prêmio Aldir Alves Teixeira. Os cafés passaram por etapas regionais, nas categorias Café Cereja Descascado, Café Natural e Microlote, dos certames regionais realizados por 13 associações e cooperativas. Experientes classificadores e degustadores provaram cada um dos lotes, escolhendo os melhores grãos, na sala de provas da ACS. Os vencedores foram, em seguida, adquiridos pelas indústrias e cafeterias em concorrido leilão, com todos os lotes, de oito sacas cada, integralmente vendidos, assim como os microlotes, de apenas duas sacas.
A edição limitada é integrada por 11 marcas: Santo Grão, Cafeteria do Museu, Café Baronesa, Café do Moço, Café Morro Grande, Suplicy Cafés Especiais, Café Tiradentes, Café Caiçara, Café Toledo, Café Excelsior e Sr. Café. Todas as marcas chegam ao mercado em embalagens sofisticadas, de 250 gramas, e identificadas por selo numérico controlado.
Empresas campeãs - Todos os anos, a comissão organizadora destaca as empresas campeãs do leilão. Nesta edição, a indústria mineira Café Baronesa, de Andradas, conquistou o título de campeã na Categoria Ouro ao adquirir quatro sacas de café Cereja Descascado, pagando R$ 1.000,00 por saca, do produtor Arnaldo Alves Vieira, da Fazenda Baobá, de São Sebastião da Grama.
Já o Café do Moço, do Rio de Janeiro, foi campeão na categoria Diamante, pelo maior investimento r! ealizado: arrematou o lote de oito sacas de Café Cereja Descascado por ! R$ 7.440,00 (R$ 930,00 a saca) da produtora Daniella Pelosini, do Sítio Daniella, de Dois Córregos.
Na categoria Especial a empresa campeã foi a Santo Grão, de São Paulo, que pagou o maior valor por um Microlote (disputado apenas por pequenos cafeicultores): a rede de cafeterias arrematou as duas sacas do lote do produtor Moacir Donizetti Rosseto, do Sítio São José, de Caconde, por R$ 2.300,00 a saca. Esse café também venceu o 11º Concurso Estadual de Qualidade do Café de São Paulo, com a nota de qualidade 9,023 da Comissão Julgadora. 

Clique aqui para ver as fotos do evento no Palácio dos Bandeirantes

Assessoria de Comunicação/Secretaria
Marina Mantovani/Adriana Rota/ Melissa Cerozzi
Estagiárias: Eli dos Santos/Gabriela Oliveira
Tel.: (11) 5067-0069

Pin It

Notícias por Ano