Apta

Secretaria de Agricultura divulga o VPA regional de 2014

Os dados da produção agrícola paulista foram obtidos por meio de levantamentos sistemáticos de previsões e estimativas de safra realizados em todos os municípios pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA) e da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI). A escolha dos produtos e o método para o cálculo são os mesmos utilizados para trabalho similar que focou o Estado como um todo. Para esse artigo, por não haver informações regionalizadas, não foram considerados os produtos florestais.

Os cinco maiores VPAs foram apresentados pelos EDRs (Escritório de Desenvolvimento Regional) de Barretos, São João da Boa Vista, Orlândia, Presidente Prudente e Jaboticabal. Nestes, a cana-de-açúcar responde por mais de 50% do valor, sendo que, no EDR de Orlândia, a participação deste produto é de 79,4%. A participação de cada EDR no VPA total do Estado variou de 5,1% (Barretos), a 0,2% (São Paulo). Em 18 dos 40 EDRs, a soma dos VPAs dos cinco primeiros produtos do ranking representou 90% ou mais do VPA regional, o que mostra baixa diversificação de produtos e consequente especialização regional.

Arnaldo Jardim, secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, destaca que as informações regionalizadas da estimativa do Valor da Produção Agropecuária de 2014, baseada nos levantamentos de previsões e estimativas de safra, realizados pelo IEA e CATI, permite verificar o incremento do desempenho das atividades agropecuárias em cada um dos 40 EDRs. “Orientados pelo governador Geraldo Alckmin estamos cada vez mais próximos do setor produtivo e essa é uma forma de atuação da nossa secretaria”, destacou.

A posição relativa dos EDRs no ranking pelo VPA não variou muito entre 2013 e 2014, com algumas exceções, como Franca, que saiu da 19ª colocação em 2013 e foi para a 12ª, e Andradina, que ocupava a 11ª colocação e subiu para a 9ª. Na regional de Franca, o VPA do café beneficiado ocupa a primeira colocação entre os cinco primeiros de maiores valores, seguido bem de perto pelo VPA da cana-de-açúcar. Segundo pesquisadores do IEA, a mudança de colocação pode ser atribuída ao fato de que os preços do café tiveram expressiva ascensão no período, enquanto os da cana-de-açúcar apresentarm níveis menos elevados. No caso da regional de Andradina, o que provocou o deslocamento de posição no ranking foi a firmeza dos preços da carne bovina, comparativamente à estabilidade em patamares relativamente baixos dos preços da cana-de-açúcar.

Os decréscimos de VPA mais significativos foram registrados nos EDRs de Mogi das Cruzes (21,5%), Itapeva (11,9%), Limeira (11,5%), São João da Boa Vista (9,6%), Lins (8,3%), Araçatuba (8,2%), Araraquara (7,9%), Assis (7,4%) e Jaboticabal (6,4%). Os EDRs que apresentaram os maiores acréscimos do VPA foram os de São Paulo (51,4%), por conta dos acréscimos dos VPAs de banana, alface e repolho, de Bauru (29,1%), por causa da elevação dos VPAs de seus principais produtos (laranja para indústria, laranja para mesa e carne de frango), e de Franca (24,6%), puxado pelo aumento de café beneficiado, que ocupa lugar de destaque nesse EDR e cujos preços e produção tiveram expressivas elevações no período, de carne bovina e da laranja para indústria.

A severa e atípica estiagem que ocorreu na região Sudeste do país, durante todo o ano de 2014, em grande parte pode ser responsabilizada por esse comportamento controverso do VPA dos diversos produtos e regiões do Estado, seja por elevações expressivas no preço de alguns produtos, seja por queda ou elevação da produção.

Para ler o artigo na íntegra e conferir as tabelas, clique aqui.

 

Texto: Nara Guimarães

Assessoria de Imprensa – IEA

Pin It

Notícias por Ano