cabecalho apta130219

Representante do IAC vem ao Tocantins

“Plantar cana-de-açúcar requer pesquisa em solo, clima e variedades adequadas, caso contrário não existe rendimento industrial”. O alerta é do pesquisador científico do IAC - Instituto Agronômico de Campinas (SP), Marcos Landell, que esteve nesta sexta-feira, 21, em Palmas, a convite da Seagro – Secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para informar, aos empresários, que estão querendo entrar na canavicultura, o caminho que deverá ser seguido para alcançar êxito na atividade. De acordo com Landell, com o investimento em pesquisas e desenvolvimento de pacotes fitotecnológicos para a cultura da cana-de-açúcar pode se aumentar em até 48% o ganho dos produtores. “Muitos empresários desconhecem que certa variedade de cana não pode ser cultivada, por exemplo, em solos arenosos e região de clima quente. Às vezes o que dá certo em uma propriedade vizinha, não alcança resultado na Usina ao lado, como já aconteceu e acontece em São Paulo. Por isso a pesquisa é fundamental”, esclarece. O proprietário da Agropecuária Rio Galhão, Luís Mendonça, percebeu a relevância do estudo e conveniou ao IAC no início deste ano. O objetivo principal é prevenir-se de possíveis erros no cultivo e, assim, evitar prejuízos. “Muitos falam que é viável o cultivo da cana no Tocantins, mas temos poucas informações sobre isso e se é rentável no ramo industrial”, completa, afirmando que os experimentos em sua propriedade, localizada no município de Mateiros, já iniciaram. Para o secretário da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Roberto Sahium, a reunião foi fundamental para esclarecer algumas dúvidas sobre a implantação da canavicultura no estado do Tocantins, de forma a alcançar resultados econômicos e sociais, assim como, de uso sustentável, especialmente, com relação ao solo e a água. “Realmente muitos desconhecem que o processo seja tão complexo e a palestra serviu para abrir os olhos de todos quanto ao assunto”, pontuou, acrescentando que a Seagro entrará em contato com todas as instituições parceiras e os empresários, no intuito de viabilizar a implantação do Programa Procana. “É uma responsabilidade de todos, e o Governo do Estado tem interesse em apoiar os estudos, com isso ainda realizaremos muitas reuniões para definir o melhor”, finaliza Sahium. IAC Um dos Institutos de Pesquisa tecnológica do país mais antigos. Fundado em 1887, como Instituto Agronômico Imperial, já desenvolveu estudos físicos e químicos de solos e pesquisas contra pragas agrícolas em todo o país, inclusive no estado de São Paulo, um dos maiores produtores de cana-de-açúcar do Brasil.
Pin It

Notícias por Ano