cabecalho apta130219

Recursos do FEAP/BANAGRO para ovinos e caprinos e exigências sanitárias

Criadores de ovinos e caprinos que desejarem obter recursos do Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista – O Banco do Agronegócio Familiar (FEAP/BANAGRO) para investimentos precisam atender exigências sanitárias básicas, segundo informou Otávio Diniz, veterinário da Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA), em reunião no dia 20 de agosto da Câmara Setorial de Ovinos e Caprinos, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. No caso dos ovinos, são exigidos atestado clínico ou sorologia para epididimite (doença dos testículos), atestado de sangue emitido por médico veterinário envolvendo doenças infecto-contagiosas e sorologia para maedi-visna (virose). Quanto aos caprinos, o criador deve apresentar atestado de saúde para doenças infecto-contagiosas e sorologia para CAE (artrite encefalite caprina). Para as duas atividades, serão necessários laudo zootécnico emitido por técnico da CATI (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral), ASPACO (Associação Paulista dos Criadores de Ovinos) ou CAPRIPAULO (Associação Paulista dos Criadores de Caprinos), vacina contra raiva em áreas obrigatórias, cadastro junto à CDA-SAA, guia de trânsito animal (GTA) e laudo de anuência de técnico da CDA. O Conselho do FEAP/BANAGRO aprovou, em 12 de julho, recursos para a melhoria da infra-estrutura de produção e beneficiamento, aquisição de reprodutores e de matrizes de bom potencial genético e desempenho zootécnico tanto para a ovinocultura quanto para a caprinocultura. O teto de financiamento vai até R$ 100 mil por produtor, para a aquisição de matrizes, reprodutores e melhoria da infra-estrutura, de acordo com projeto técnico. Na mesma reunião, o FEAP/BANAGRO aprovou redução da taxa de juros dos financiamentos do Fundo de 4% ao ano para 3% ao ano. Também aumentou o limite de renda agropecuária anual dos produtores rurais beneficiários do Fundo para até R$ 400 mil, que deve representar no mínimo 80% do total da sua renda bruta anual. Comitê de sanidade Na reunião da Câmara Setorial, o veterinário Otávio Diniz defendeu a criação imediata do comitê estadual de sanidade de caprinos e ovinos pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA), independente da criação dos programas federal e estadual de sanidade. O comitê seria formado por veterinários de toda a cadeia de produção de ovinos e caprinos, tanto de órgãos oficiais quanto do setor privado. Em palestra na reunião da Câmara Setorial, o gerente de operações da CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento) em São Paulo, Nivaldo Maia, apresentou os programas que a empresa desenvolve para a agricultura familiar. O que mais parece se adequar aos criadores de ovinos e caprinos é o programa formação de estoques, que exige a organização em cooperativa na qual 80% dos associados devem ser agricultores familiares que atendam aos requisitos do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Por este programa, a CONAB empresta recursos para capital de giro cuja operação é casada com a venda futura dos produtos da cooperativa. Mas para isso Nivaldo Maia acredita é preciso um trabalho de fortalecimento do sistema cooperativista em São Paulo, envolvendo os governos federal e estadual e entidades como o Sebrae. Além disso, o gerente da CONAB disse que a empresa está aberta à discussão de novos programas que atendam às características do setor de ovinos e caprinos. José Venâncio de Resende
Pin It

Notícias por Ano