cabecalho apta130219

Projetos de pesquisa sobre manejo e conservação do solo em cana poderão ser enviados à APTA até 30 de junho

Professores universitários, pesquisadores e técnicos poderão submeter seus projetos de pesquisa em manejo e conservação de solo agrícola na cultura da cana-de-açúcar à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, até o dia 30 de junho de 2016. Nesta primeira fase, os interessados poderão propor projetos por meio do site www.iac.sp.gov.br. Em outubro de 2016 e fevereiro de 2017, serão abertas outras chamadas para submissão de projetos.
Os trabalhos serão realizados em áreas privadas de produção, em nível de microbacias hidrográficas, para avaliação de novas tecnologias visando à recomendação de práticas conservacionistas para o cultivo da cana-de-açúcar. O detalhamento para a submissão e recebimento dos projetos pode ser acessado no Diário Oficial do Estado de São Paulo (clique aqui para ler).
Os projetos de pesquisa deverão ter foco em sistemas e técnicas de conservação do solo compatíveis com os atuais sistemas de produção da cana-de-açúcar. “Para a aprovação será considerada viabilidade das técnicas propostas, com base nos aspectos teóricos e práticos descritos pelos proponentes, possíveis impactos agronômicos e ambientais, equipe envolvida e métodos que serão utilizados para avaliação e monitoramento dos resultados”, afirma a pesquisadora do Instituto Agronômico (IAC), da Secretaria, Isabella Clerici De Maria.
A APTA tem prazo de 45 dias, após a submissão do projeto, para dar o parecer sobre o trabalho. O período da condução da pesquisa poderá ser de três a cinco anos. Em todas as suas fases, o projeto deverá contar com a colaboração de professores universitários ou pesquisadores com especialização em manejo e conservação do solo agrícola.
A avaliação dos projetos será feita por um Comitê, composto por cinco pesquisadores do Instituto Agronômico e da APTA Regional, com experiência em trabalhos e pesquisas na área de manejo e conservação do solo ou manejo da cultura da cana-de-açúcar.
O Comitê também contará com a colaboração de técnicos da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati) na análise do projeto e no monitoramento e avaliação dos resultados.
“A Resolução SAA 19, que permitiu esse cadastramento, deverá promover a parceria entre instituições e iniciativa privada para aumentar as avaliações de tecnologias e recomendações de práticas e sistemas de conservação do solo, acelerando as respostas junto a técnicos e produtores”, explica Isabella.
A cana-de-açúcar é o principal produto do agronegócio paulista e ocupa, aproximadamente, 30% da área cultivável do Estado de São Paulo. Nas últimas décadas, os sistemas de produção da cana passaram por importantes mudanças tecnológicas em função do desenvolvimento científico e das exigências ambientais, de legislação e da busca por maior produtividade e sustentabilidade. “Com essas ações, queremos integrar os pesquisadores paulistas no desenvolvimento de tecnologias para este importante setor de produção”, afirma Orlando Melo de Castro, coordenador da APTA.
O secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, lembra que uma das recomendações do governador Geraldo Alckmin é o desenvolvimento de tecnologias que melhorem a produção agrícola em harmonia com o ambiente. “Os trabalhos de conservação do solo são fundamentais para aumentar a renda no campo e para preservação do meio ambiente”, destaca.
Por Fernanda Domiciano
Mais informações
Secretaria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios

Pin It

Notícias por Ano