cabecalho apta130219

Projeto de Políticas Públicas em Bioeconomia do Agropolo Campinas-Brasil é aprovado pela FAPESP

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) auxiliará o Agropolo Campinas-Brasil, que conta com a participação da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do Instituto Agronômico (IAC-APTA), a desenvolver um projeto para fazer o mapeamento das áreas estratégicas da Região Metropolitana de Campinas, visando a criação de um ecossistema de classe mundial em bioeconomia. O projeto terá o aporte inicial de R$ 1.071.079.00, pela modalidade Pesquisa em Políticas Públicas da Instituição.
Com o aporte da Fundação, serão desenvolvidos Projetos de Cooperação Técnica (PCT) nas áreas de agricultura, alimentação, biodiversidade, bioenergia, química verde e desenvolvimento sustentável, visando à pesquisa ao desenvolvimento e à inovação tecnológica, por meio de equipes compostas por pesquisadores do Brasil e do exterior, assim como a participação e possível financiamento de empresas privadas interessadas em inovação nas áreas da Bioeconomia.
O projeto prevê a realização de 13 workshops, que abordarão diversas áreas de conhecimento e fomentarão a interação entre diferentes entidades de pesquisa, ensino e empresas. “Serão feitas parcerias com instituições de pesquisa e empresas com sede nas regiões de Campinas”, afirmou diretor do IAC e presidente da Secretaria Executiva do Conselho Administrativo do Agropolo, Sérgio Augusto Morais Carbonell.
“O projeto englobará as diretrizes do governador Geraldo Alckmin: agricultura harmônica com o meio ambiente, apoio ao pequeno e médio produtor e incentivo ao o conhecimento e à pesquisa”, disse o secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim.
A iniciativa busca reunir pesquisadores do Brasil e do exterior. “O projeto pretende contribuir para o crescimento de Campinas e região, aumento do Produto Interno Bruto (PIB), crescimento de empregos com desenvolvimento sustentável, conservação da biodiversidade e desenvolvimento regional equilibrado”, disse Carbonell.
Programa de Pesquisa em Políticas Públicas FAPESP
O Programa de Pesquisa em Políticas Públicas destina-se a apoiar o desenvolvimento de pesquisas voltadas ao atendimento de demandas sociais concretas e busca a aproximação do sistema de ciência e tecnologia paulista com a sociedade.
O Programa reúne institutos de pesquisa, universidades e organismos do setor público estadual (secretarias estaduais e municipais, empresas estatais e prefeituras), com o setor público federal e organismos do terceiro setor (fundações e organizações não governamentais).
Agropolo Campinas-Brasil
O Agropolo Campinas-Brasil envolve servidores da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do IAC, Instituto de Tecnologia de Alimentos e Instituto Biológico, Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Prefeitura de Campinas, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a Techno Park Campinas – Associtech e Associação Agropolis International.
A associação francesa Agropolis International é financiada e administrada por instituições da comunidade científica regional de Languedoc-Roussillon, em Montpellier. É voltada para a pesquisa agronômica e o desenvolvimento sustentável. Criada em 1986, é considerada uma das maiores concentrações de competências nas áreas de agricultura, alimentação, biodiversidade e meio ambiente.
A parceria cria também a possibilidade de intercâmbio entre os participantes a fim de contribuir com a formação de recursos humanos. Montpellier tem universidades bem avaliadas. Campinas oferece a excelência do ensino da Unicamp e os cursos de pós-graduação existentes nos institutos de pesquisas ligados à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), com programações diferenciadas pela intensa participação dos pós-graduandos nas atividades científicas de cada instituto.
Por Mônica Galdino e Carla Gomes

Pin It

Notícias por Ano