cabecalho apta130219

Projeto “Bioma IZ: uma proposta ambiental" receberá R$ 3 milhões do recurso financeiro do FID

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do projeto denominado “Bioma IZ: uma proposta ambiental”, do Instituto de Zootecnia (IZ/Apta), acaba de ser contemplada com cerca de R$ 3 milhões do Fundo Estadual de Defesa dos Interesses Difusos (FID), proveniente da Secretaria de Justiça e Cidadania de São Paulo. “Bioma IZ” visa à delimitação, recuperação e manutenção de extensas áreas de vegetações nativas, algumas remanescentes da Mata Atlântica e reflorestadas, alem da implantação de sistemas integrados de produção animal para pesquisas científicas. O IZ, que é vinculado à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta) receberá os recursos para execução do projeto.

Acrescenta-se ainda ao “Bioma IZ” a ênfase na sensibilização da educação da população sobre a importância da preservação ambiental, das mudanças climáticas e da busca por sustentabilidade por meio de ações múltiplas de caráter sócio-educativo e de lazer. O recurso ainda atenderá as necessidades de infraestrutura para aplicação de todas as atividades técnicas e científicas.

O Secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, destacou a importância de as instituições de pesquisa da Secretaria buscarem parcerias para o desenvolvimento de projetos de interesse não só da programação cientifica, mas que atendam interesses de toda a comunidade, como neste projeto “Bioma IZ”, no qual as populações do entorno serão beneficiadas tanto no aspecto ambiental como educacional. “Isso é fundamental”, destacou.

A Instituição contempla 3.173 hectares, nas Unidades Nova Odessa e Sertãozinho, sendo parte utilizada para pesquisa e outra composta pela vegetação preservada ou reflorestada. A vegetação nativa necessita de recuperação, preservação e segurança, aspectos fundamentais para manter o equilíbrio ambiental, e também para manutenção da fauna e flora.
Atualmente, as compensações ambientais efetuadas em matas ciliares, segundo a diretora do IZ, Renata Helena Branco Arnandes, têm recebido maior atenção da pesquisa, pela importância ecológica na manutenção da biodiversidade e de corredores biológicos. “Além da importância na manutenção da qualidade hidrológica dos mananciais, salientando que o IZ capta água de manancial reflorestado”, afirma.

Nas fazendas experimentais (Unidades de Pesquisa e Desenvolvimento) prioriza-se agora a manutenção de sistemas de produção em Integração Lavoura Pecuária (ILP) e Integração Lavoura Pecuária e Floresta (ILPF) como base para o desenvolvimento das pesquisas científicas, que serão continuamente incorporadas aos sistemas quando validadas, servindo também como locais de capacitação e transferência de tecnologias. São inúmeras as possibilidades de estudos nestas áreas, como efeitos relacionados ao solo, clima, fauna e flora.

Outra importante atividade que será implantada é a difusão da tecnologia de forma didática e prazerosa.  “Faz-se necessário conscientizar a sociedade sobre a importância desta vegetação para a qualidade do meio ambiente”, destaca o pesquisador e um dos executores do projeto Evaldo Ferrari Júnior.

A transferência desses conceitos é fundamental, pois condições climáticas saudáveis são vitais para o planeta. “A expressão ‘mudanças climáticas globais’ está presente no cotidiano da sociedade, que deve se comprometer com a manutenção das condições adequadas ao ambiente e ao ser humano”, detalha Ferrari.

Do ponto de vista educacional, será desenvolvido um módulo de divulgação, denominado ‘Espaço do Saber’, espaço de educação ambiental que terá materiais em linguagem diferenciada, aos vários níveis de escolaridade. Também haverá a participação da comunidade em diversas atividades de campo, com observação de fauna e flora relacionadas à produção animal sustentável.

O equilíbrio ambiental pode ser definido como o estado de um ecossistema onde a fauna e a flora são mais ou menos constantes, mostrando assim, uma relação de dependência e ajuste complexo entre as duas.

“Todos temos que contribuir para o equilíbrio ambiental, tendo em vista que a Instituição está localizada na terceira região mais poluída do país, conforme OMS/2011. Assim, mitigar os efeitos do crescimento urbano desordenado que invade espaços rurais, sem planejamento ambiental, também, é nossa responsabilidade como cidadãos”, reforça Ferrari.

Estima-se, a princípio, atender um público de 1200 pessoas ao ano. Ferrari complementa que “outro aspecto relevante pode estar na oportunidade de distribuição de sementes de arvores que poderão ser semeadas pela população”.

Segundo o Coordenador da APTA, Orlando Melo de Castro, “a aprovação de um projeto em edital com grande concorrência tem o mérito de reconhecer não só a qualificação técnica, mas também a competência dos proponentes, no caso nossa equipe do IZ. Mas cabe destacar que o Bioma IZ é uma proposta extremamente atual, onde teremos não só a geração de tecnologias para recuperação de matas nativas e seus efeitos na preservação de mananciais, mas também de criar um ambiente para educação ambiental, em unidades rurais inseridas dentro de espaços urbanos”.

Instituto Zootecnia – O IZ, com a finalidade de gerar e transferir conhecimentos científicos e tecnológicos para os agronegócios, objetivando maior produtividade e qualidade superior, tem por atribuições realizar a pesquisa para o desenvolvimento das cadeias de produção animal, buscando inovações tecnológicas, visando promover a produtividade, qualidade e a diversidade da produção; identificar e manter o patrimônio genético de espécies, raças e linhagens de animais de interesse socioeconômico; identificar e manter o patrimônio genético de espécies, variedades e cultivares vegetais de interesse socioeconômico para a alimentação e saúde animal; contribuir com o desenvolvimento regional sustentável dos agronegócios.

Fundo Estadual de Defesa dos Interesses Difusos - Os projetos do FID contribuem para gerar renda e empregos, principalmente em pequenos e médios municípios do Estado. O fundo, criado pela Lei Estadual 6.536, de 13 de novembro de 1989, financia projetos nas áreas ambientais, do consumidor, culturais, artísticos, estéticos, turísticos, paisagísticos e de outros interesses difusos e coletivos, para órgãos públicos, prefeituras e organizações sem fins lucrativos.

Os recursos do fundo são provenientes de indenizações e multas decorrentes a danos causados às mesmas áreas, ou seja, os prejuízos causados retornam na forma de indenização e multas para ressarcir os prejuízos à coletividade.

Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Assessoria Imprensa

11 5067-0069

Paulo Toledo / Eli dos Santos

Mais informações

Lisley Silvério (MTb 26.194)

(19) 3466.9434

 

Pin It

Notícias por Ano