cabecalho apta130219

Preços agropecuários sobem 0,35% no fechamento de julho

Em julho, 11 produtos apresentaram alta de preços, os destaques são as carnes de frango e bovina, trigo, feijão e batata. Entre os produtos que apresentaram queda, o tomate e a carne suína ocupam os primeiros lugares da lista.
O IqPR - Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista encerrou o mês de julho em alta de 0,35%, de acordo com o Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Os produtos que registraram as maiores altas foram: carne de frango (13,98%), trigo (9,22%), algodão (8,18%), feijão (6,07%) e batata (4,93%). Seguem com alta, mas em menor escala a carne bovina (2,60%), leites B e C (2,21% e 1,74%, respectivamente), ovos (1,65%) e a soja (1,18%).
No caso da carne de frango, um menor plantel de animais para o ciclo de acabamento em julho reduziu a oferta no mercado doméstico e aumentou os preços recebidos pelos granjeiros, explicam Danton Leonel de Camargo Bini, Eder Pinatti e José Alberto Ângelo, pesquisadores do IEA.
Para o trigo, as geadas que causaram perdas na safra elevaram as cotações do produto ao reduzir sua oferta. Este impacto já é possível ser sentido no varejo, com a elevação dos preços dos pães.  
Os produtos que apresentaram as maiores quedas de preços neste mês foram: tomate de mesa (40,43%), carne suína (6,43%), laranja para indústria (6,12%), milho (3,90%) e amendoim (2,99%). Com menor variação aparece laranja para mesa (1,36%), arroz (0,38%), café (0,37%) e banana nanica (0,34%).
Com a estiagem tradicional do inverno no Centro-Sul, aumenta-se a produtividade dos tomateiros em relação ao verão chuvoso, tirando-o do debate político e econômico apresentado de maneira calorosa pela imprensa no primeiro semestre do ano.
Acumulado nos últimos 12 meses
No acumulado dos últimos 12 meses, o IqPR ficou praticamente estabilizado e fechou em -0,23%. Apresentaram aumentos em patamares mais elevados que a inflação acumulada para o período (6,27%): batata (232,94%), trigo (52,83%), laranja para mesa (43,02%), algodão (37,52%), feijão (33,56%), carne suína (22,05%), arroz (20,18%), ovos (19,87%), carne de frango (14,76%), leite B (10,29%) e carne bovina (8,12%). Em menor expressão variou também positivamente o leite C (5,05%). As reduções de preços foram observadas nos seguintes produtos: tomate para mesa (47,77%), café (27,83%), amendoim (20,14%), cana-de-açúcar (11,83%), banana nanica (9,98%), milho (5,80%) e soja (2,08%). A laranja para indústria estava sem cotação de preços em julho de 2012.
Para ler o artigo completo e consultar as tabelas, clique aqui.
Texto: Nara Guimarães
Assessora de Imprensa - IEA
(11) 5067-0498
Pin It

Notícias por Ano