Apta

Preços agropecuários mantêm tendência de alta

O IqPR – Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista subiu 0,35% na terceira quadrissemana de janeiro, informa Instituto de Economia Agrícola (IEA/Apta), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Os produtos que registraram as maiores altas foram batata (48,36%), tomate para mesa (46,28%), trigo (15,55%) e laranja para mesa (4,78%).
O final da colheita da batata na região de Itapeva, associado ao maior consumo no final de ano e de fortes chuvas que prejudicaram a produção, provocaram o aumento do preço do produto, afirmam os pesquisadores Luis Henrique Perez, Danton Leonel de Camargo Bini, Eder Pinatti e José Alberto Angelo, responsáveis pelo levantamento.
No caso do tomate, numa situação de demanda aquecida com festas de final de ano e safra menor, devido às chuvas continuadas, geraram perdas de colheita, com impacto conjuntural no abastecimento do produto, elevando seus preços.
Para o trigo, as quebras na última safra, principalmente no Hemisfério Norte e Argentina, e a valorização do dólar em 2012 elevaram os preços recebidos pelos produtores do produto, colocando-o como opção ao milho safrinha nas regiões produtoras em 2013. Estes aumentos já estão sendo repassados no preço da farinha de trigo e consequentemente ao consumidor final pelas panificadoras.
Os produtos que apresentaram as maiores quedas de preços foram: banana nanica (15,22%), soja (9,24%) e amendoim (7,72%). No caso da banana, o clima quente e chuvoso acelerou a oferta do produto, ao mesmo tempo em que a demanda diminuiu com a concorrência de outras frutas de época (verão), provocando a redução do preço do produto.
Para a soja, a perspectiva de safra recorde no Brasil (que deve ultrapassar a produção dos Estados Unidos) e a execução de vendas antecipadas por parte dos produtores apresentam a expectativa de uma grande quantidade do produto no mercado em 2013. É importante enfatizar, contudo, que em comparação com o mesmo período do ano anterior os preços atuais estão aproximadamente 50% maiores. A liberação de estoques de amendoim superou a demanda, provocando a redução dos seus preços.
Clique aqui paraler o artigo na íntegra e consultar as tabelas
Mais informações:
Nara Guimarães
Assessora de Imprensa
Instituto de Economia Agrícola
Tel.: (11) 5067-0498
www.iea.sp.gov.br

Pin It

Notícias por Ano