cabecalho apta130219

Preços agrícolas sobem 1,02% na primeira quadrissemana de março

O índice quadrissemanal de preços recebidos pela agropecuária paulista (IqPR) registrou alta de 1,02% na primeira quadrissemana de março, segundo o Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento. Os índices dos produtos de origem vegetal e animal apresentaram variação positiva, respectivamente, de 1,02% e 1,03%. Os aumentos mais expressivos foram registrados nos preços dos ovos (16,78%), da laranja para indústria (9,17%), da laranja para mesa (7,73%), do trigo (4,74%) e da carne de frango (3,37%). “A alta do preço dos ovos é decorrente da tendência de aumento de consumo, em virtude do início do ano escolar e do período de quaresma. Para a carne de frango, o menor alojamento de pintinhos diminuiu a oferta, contribuindo assim para o aumento das cotações”, dizem os autores da análise. Nas laranjas (indústria e mesa), o maior consumo de suco no verão, associado à escassez relativa de produto nesta época do ano, impulsionou os preços para cima, observam os pesquisadores do IEA. “Além disso, as desvalorizações da moeda nacional frente ao dólar pressionam para a elevação dos preços internos de produtos com formação de preços no mercado internacional, caso da laranja para indústria.” As maiores quedas foram verificadas nos preços do tomate para mesa (34,81%), do feijão (33,83%), da carne suína (12,70%), da banana (9,66%) e do milho (94,77%). “Os preços do tomate continuaram em queda, ainda em virtude do ajuste de preço de mercado. Entretanto, as fortes chuvas e o calor excessivo nos últimos dias prejudicaram a produção e a qualidade do fruto. Assim, as cotações já deram sinais de recuperação”, explicam os pesquisadores. Para a banana, a variação negativa no período reflete a boa oferta do produto, em virtude das condições climáticas favoráveis para a produção, associadas à oferta de frutas concorrentes, afirmam os técnicos do IEA. “No caso do feijão, o recuo dos preços decorre de que, após a safra paranaense ter se normalizado e a quebra absorvida pelo mercado, as colheitas das novas regiões ofertantes, nesta época do ano, estão dentro de padrões normais, com relativa sobra de oferta, o que implica em queda dos preços recebidos pelos produtores.” Nesta quadrissemana os índices quadrissemanais de preços apresentaram recuo em comparação com os do mês de fevereiro. Tanto o índice geral quanto o de produtos vegetais registraram decréscimos da ordem de 0,7 ponto percentual. Já o índice de produtos animais sofreu recuo de 0,5 ponto percentual. “Apesar do recuo, os índices nesta quadrissemana ainda permanecem com variação positiva.” A análise foi elaborada pelos pesquisadores Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br); José Alberto Angelo (alberto@iea.sp.gov.br); José Sidnei Gonçalves (sydy@iea.sp.gov.br) e Luis Henrique Perez (lhperez@iea.sp.gov.br). A íntegra do trabalho está disponível no site www.iea.sp.gov.br. Assessoria de Comunicação da APTA José Venâncio/Adriana Nascimento (11) 5067-0424
Pin It

Notícias por Ano