cabecalho apta130219

Preços agrícolas sobem 0,19% no último mês de 2011

O Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR), que mede os preços pagos ao produtor rural, subiu 0,19% em dezembro de 2011, de acordo com o Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento. O índice de preços dos produtos de origem animal subiu acima deste patamar, ou seja, 0,37%, enquanto o índice de preços dos produtos de origem vegetal apresentou variação positiva de 0,12%.
Entre os produtos pesquisados, 10 apresentaram alta de preços (sete do setor vegetal e três do segmento animal), enquanto os outros 10 sofreram queda (sete da área vegetal e três de origem animal). As altas mais relevantes ocorreram nos preços do feijão (14,86%); da laranja para  indústria (10,22%); da carne suína (9,49%) e dos ovos (7,19%). 
O atraso na colheita do feijão das águas, que foi plantado mais tarde que o habitual, levou as colheitas de dezembro e as perspectivas para o início de janeiro a se mostrarem insuficientes frente às pressões de demanda, dizem os pesquisadores Luis Henrique Perez, Danton Leonel de Camargo Bini, Eder Pinatti, José Alberto Angelo e José Sidnei Gonçalves.  Na laranja para indústria, a desvalorização cambial e a entrada da entressafra resultaram em preços mais elevados face às disposições contratuais, explicam os analistas do IEA. “Isso acontece numa realidade em que a laranja para mesa segue com preços praticamente estáveis, mesmo com a elevada procura nesta época do ano para o consumo de sucos em restaurantes, lanchonetes e residências.”
Já as festas de final de ano tiveram impacto direto nos preços da carne suína, produto que é considerado diferenciado pelos consumidores nessas oportunidades.  Por sua vez, a antecipação dos descartes de aves com o intuito de se reduzir os custos com ração diminuiu a oferta de ovos desde o início de dezembro, elevando os preços recebidos pelos granjeiros.
As quedas mais expressivas, no último mês de 2011, foram verificadas nos preços da batata (47,96%); do tomate para mesa (24,65%); do trigo (4,74%); do amendoim (4,31%) e do milho (4,08%).
A íntegra da análise está disponível em www.iea.sp.gov.br .
Assessoria de Comunicação da APTA
José Venâncio de Resende
(11) 5067-0424
 

Pin It

Notícias por Ano