cabecalho apta130219

Preços agrícolas encerram novembro com queda de 0,40%

O Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR) encerrou o mês de novembro com queda de 0,40%, segundo o Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento. Os preços dos produtos animais caíram 1,80%, enquanto o índice dos produtos vegetais registrou alta de 0,17%. Nos últimos 12 meses, o índice dos produtos agropecuários valorizou 12,17%, devido à alta nos preços dos produtos animais (17,39%) já que os produtos vegetais aumentaram 9,74%. No acumulado no ano (janeiro a novembro), o índice geral apresenta variação positiva de 5,87%, da qual 9,97% referem aos preços animais e 3,95% aos produtos vegetais. As maiores quedas foram verificadas nos preços do feijão (43,94%), do amendoim (20,34%), da carne suína (18,60%), do milho (9,64%), do leite tipo C (4,86%) e da batata (4,00%). Os preços do feijão continuam em queda devido à diferença entre os últimos lotes da safra de inverno e os primeiros lotes da safra de verão que começou a ser colhida em São Paulo, dizem os autores da análise. Já “a redução nos preços do amendoim não condiz com as variações observadas em anos anteriores, que foram de pequena alta nessa época do ano. A safra paulista de amendoim 2007/08 foi 27% superior à do ano anterior (a safra da seca foi 32,5% maior), contribuindo para a redução de preços”. As cooperativas de produtores de cana em São Paulo indicam o crescimento da área de amendoim em função dos baixos preços da cana-de-açúcar, observam os pesquisadores do IEA. “Essa expansão provavelmente provoque maior queda de preços do produto na safra de verão (plantio iniciado em setembro de 2008 e auge da colheita em março de 2009). Ademais, há ainda a pressão baixista da redução do crédito para exportação.” Os preços dos suínos em São Paulo caíram em função da oferta de produto mais barato originado de Santa Catarina, asseguram os técnicos. “Os efeitos da calamidade que atingiu Santa Catarina aparentemente ainda não influenciaram o mercado agropecuário paulista. A interrupção do fluxo de exportações pelo Porto de Itajaí pode afetar o cronograma de vendas externas de carnes, principalmente aves e suínos, obrigando as empresas a desovar estoques no mercado interno. Por outro lado, grandes perdas em produtos como feijão e banana podem vir a pressionar as cotações no mercado.” As altas foram observadas nos preços do tomate de mesa (24,57%), carne de frango (6,77%), laranja para mesa (2,54%) e cana-de-açúcar (2,23%). O aumento nas cotações da carne de frango decorre do maior consumo no período, porém tem-se ainda uma boa disponibilidade do produto no mercado. No caso da laranja de mesa, os dias mais quentes aumentam o consumo de sucos naturais e, quanto à cana, há um nítido efeito inicial da desvalorização cambial, finalizam os pesquisadores. A análise foi elaborada pelos pesquisadores Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br); Raquel Castellucci Caruso Sachs (raquelsachs@iea.sp.gov.br); José Alberto Angelo (alberto@iea.sp.gov.br); José Sidnei Gonçalves (sydy@iea.sp.gov.br) e Luis Henrique Perez (lhperez@iea.sp.gov.br). A íntegra está disponível no site www.iea.sp.gov.br. José Venâncio de Resende Assessoria de Comunicação da APTA (11) 5067-0424
Pin It

Notícias por Ano