cabecalho apta130219

Pró-Vinho: resultados de projeto de revitalização da cadeia produtiva serão apresentados em São Roque

Os resultados do projeto “Revitalização da Cadeia Vitivinícola Paulista” serão apresentados, no dia 10 de dezembro (quinta-feira) às 13 horas em São Roque (SP), durante reunião extraordinária da Câmara Setorial de Uva e Vinho, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento. Está prevista a presença do secretário em exercício Antonio Júlio Junqueira de Queiroz.
Pesquisadores dos Institutos de Economia Agrícola, Agronômico, de Tecnologia de Alimentos e da Unicamp vão abordar diferentes aspectos do projeto: censo vitivinícola paulista; experimentos de campo e inovações; análises químicas dos vinhos paulistas; avaliação microbiológica do mosto e do vinho paulista e caracterização molecular de cultivares. Um representante do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) vai falar das ações do setor de vinhos e bebidas do governo federal.
O projeto é estruturado no tripé secretarias do governo estadual e de governos municipais, institutos de pesquisa/universidade e produtores (viticultores e vinicultores). Além dos institutos da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), o projeto tem como parceiros a CATI (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral) e a Prefeitura Municipal de São Roque e conta com o apoio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). Apóiam a iniciativa as seguintes instituições: Federação das Indústrias (FIESP), Instituto SPVinho, Sindicatos da Indústria de Vinho de Jundiaí (Sindvinho) e de São Roque (Sindusvinho), Associação dos Produtores de Vinhos Artesanais de Caxambu/Jundiaí, Associação Nacional dos Engarrafadores de Vinho (ANEV), Cooperativa Sul Brasil de São Miguel Arcanjo e Prefeituras Municipais de Jundiaí e Jarinu.
Nesta segunda fase, com duração de dois anos, foram levantadas 945 propriedades com uva e 140 vinicultores nos municípios de Jundiaí, São Miguel Arcanjo, Jarinu e São Roque, segundo a pesquisadora e coordenadora do projeto Adriana Renata Verdi (IEA-APTA).
O projeto Pró-Vinho teve como foco apontar os gargalos e as potencialidades da cadeia de produção do vinho no Estado de São Paulo, bem como as possíveis ações das instituições envolvidas para o desenvolvimento do setor, diz Verdi.  “Essa modalidade – o programa de políticas públicas da FAPESP – é composta de três fases. A primeira, de seis meses, foi para acertar a equipe e desenvolver os itens preparatórios da pesquisa. Nós elaboramos questionários, identificamos os agentes-elos básicos dessa cadeia, por onde nós iríamos começar. Decidimos iniciar pelo produtor de uva, pelo produtor de vinho e pelo viveirista. Nós selecionamos esses agentes-elos da cadeia, elaboramos três questionários (um para cada agente) e definimos uma equipe, a composição institucional, acertamos os apoios ao projeto... Essa fase durou seis meses.”
A segunda fase é a pesquisa propriamente dita: a aplicação dos questionários, a composição da cadeia de produção do vinho, as análises das informações e a proposição de políticas públicas. O objetivo final é o encaminhamento de políticas, resume a pesquisadora do IEA. “E a terceira fase será a implementação das políticas pelas instituições competentes, parceiras do projeto, principalmente os governos estadual e municipais. O Estado de São Paulo já deu um grande passo com a organização da Câmara Setorial pela Secretaria de Agricultura, para promover o diálogo entre esses agentes. Isso foi fundamental.” Uma das propostas do projeto é investir na produção de uva (zoneamento, variedades, etc.), que é fundamental para criar a identidade do vinho paulista, conta Verdi.   
Uma das potencialidades identificada é a exploração do enoturismo (turismo do vinho), aproveitando as iniciativas em andamento por parte de prefeituras municipais e organizações de produtores. Assim, a idéia é desenvolver o turismo de uva e vinho, aliado à gastronomia local, por meio de roteiros de visitas (a vinícolas e produtores de uva, licores, doces caseiros, etc.) e festas da uva e do vinho, entre outras ações. O município de São Roque, por exemplo,  chega a receber cerca de três mil pessoas por fim de semana. 
O evento é coordenado pelas pesquisadoras Adriana Verdi, Malimiria Norico Otani e Maria Lucia Maia e será realizado no Centro Educacional e Cultural Brasital – Av. Acaraí, 250 – Centro – São Roque  - SP. Outras informações podem ser obtidas pelos telefones (11) 5067-0285/0480 e 4712-3231.
Link de interesse: Pró-Vinho: entrevistados 950 produtores de uva na segunda-fase
Assessoria de Comunicação da APTA
José Venâncio de Resende
(11) 5067-0424
PROGRAMAÇÃO
1. Abertura – 13 horas
2. Censo vitivinícola paulista – Adriana Renata Verdi - Instituto de Economia Agrícola (IEA/APTA)
3.Resultados dos experimentos de campo e inovações na condução e poda de variedades de videira em São Paulo – Marco Antonio Tecchio (Centro de Fruticultura) e Antonio Odair Santos (Centro de Engenharia e Automação) - Instituto Agronômico de Campinas (IAC/APTA)
4. Resultados das análises químicas dos vinhos paulista - Gisele Anne Camargo - Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL/APTA)
Pausa café
5. Avaliação microbiológica do mosto e do vinho paulista – Cláudio Luiz Messias - Faculdade de Engenharia Agrícola/Universidade Estadual de Campinas (FEAGRI- UNICAMP)
6. Caracterização molecular de cultivares de videira – Haiko Enok Sawazaki - Instituto Agronômico de Campinas (IAC/APTA)
7. Informações do Setor de Vinhos e Bebidas do MAPA - Representante do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

 

 

Pin It

Notícias por Ano