cabecalho apta130219

Pesquisadoras do IZ participaram de curso sobre ecofisiologia de pastagens

A “Integração Lavoura-pecuária”, sistema que recupera pastagens degradadas e garante maior economia ao produtor rural, é o principal foco das pesquisas do Instituto de Zootecnia (IZ-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, em 2014. Para expandir o conhecimento, as pesquisadoras do IZ, Alessandra Aparecida Giacomini e Luciana Gerdes, participaram da aula de pós-graduação da disciplina do curso Ecofisiologia de Pastagens – “Ecophisiology of Intercropping” –, da Universidade Federal do Paraná, ministrada pelo pesquisador do INRA em Lusignan, na França, Gaetan Louarn.
Segundo  Gerdes, o IZ iniciou trabalhos científicos na área de integração lavoura-pecuária, tornando essa linha de pesquisa de extrema importância para a Instituição e para o Estado de São Paulo, já que há demanda de produtores na área.
“Também há áreas de produção de milho para a silagem do Instituto de Zootecnia que começarão a ser cultivadas em sistema de plantio direto, com foco à integração lavoura-pecuária, no próximo ano agrícola em 2014-2015”, destaca Gerdes.
Como nesse sistema, a gramínea compete diretamente com o milho por luz e outros fatores de crescimento, como o nitrogênio. Segundo Giacomini, é essencial conhecer e estudar os aspectos ecofisiológicos em consórcio com o milho. “Assim como o de uma pastagem nova, que será utilizada para pastejo de bovinos de corte após a colheita de milho”, afirma.
De acordo com Giacomini, o IZ também está enviando projetos de fomento para pesquisas na área de pastagens consorciadas de gramíneas e leguminosas forrageiras com potencial para uso em consórcio com gramíneas, além dos aspectos da ecofisiologia das leguminosas para ciência de seu comportamento, padrões de crescimento e aspectos fisiológicos. “O estudo proporcionará conhecimento para discutir o que ocorre quando se utilizam as plantas em consórcio com os capins”, explica.
Será estudado o crescimento livre, em competição por luz entre as plantas e, também, em competição com as gramíneas forrageiras, para definir padrões de manejo e contribuir com conhecimentos para formação e divulgação de um pacote tecnológico de manejo de pastagens consorciadas para a produção pecuária do Estado de São Paulo.
As pesquisadoras ressaltam que é de suma importância participarem destes eventos, para que possam agregar conhecimento às linhas de pesquisas, gerando condições para avaliarem os sistemas de forma separada e geral, resultando em ganhos para sistemas sustentáveis de produção animal em pastagens. “É necessário entender as bases ecofisiológicas de plantas forrageiras (gramíneas e leguminosas) para que sejam geradas tecnologias de produção animal em pastagens eficientes e eficazes”, destacam.
O diretor-substituto do IZ, Waldssimiler Mattos, ressaltou a participação das pesquisadoras no encontro. “O evento permite às pesquisadoras adotar novas ferramentas tecnológicas no desenvolvimento de seus projetos com espécies forrageiras, lembrando que o IZ está sempre empenhado em estudos com cultivares de espécies forrageiras do Banco de Germoplasma do IZ, para futuros lançamentos no mercado”.
Texto: Lisley Silvério
Assessora de Imprensa – IZ
19 – 3466-9434
Pin It

Notícias por Ano