cabecalho apta130219

Pesquisadora do IZ fala sobre pastagens consorciadas, durante evento no Recife (PE)

A introdução de leguminosas forrageiras em áreas de pasto com capins é uma boa oportunidade de escolha para o fornecimento do Nitrogênio ao sistema produtivo. O tema será tratado nesta quinta-feira (23), em Recife (PE), durante o 20º Agrinordeste, pela pesquisadora Luciana Gerdes, do Instituto de Zootecnia (IZ-APTA), vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo (SAA).
A palestra faz parte do painel “Integração e incorporação de novas tecnologias”. Segundo Gerdes, trata-se de tecnologia ecologicamente recomendável e economicamente viável, já que o Nitrogênio introduzido na pastagem via fixação biológica tem menor custo e é menos poluente, em comparação com a adubação nitrogenada. “As leguminosas fixam nitrogênio e, em pastos consorciados, funcionam como fonte deste nutriente às gramíneas a que estão associadas, mantendo-se a produtividade das pastagens e melhorando seu valor nutritivo.”
A pesquisadora salienta ainda que o IZ trabalha, ao longo de 50 anos, na seleção, no melhoramento e no lançamento de novos cultivares de leguminosas forrageiras para serem utilizados, tanto na forma exclusiva – técnica denominada de banco de proteína – quanto em consórcio com gramíneas.
Para que haja consorciação efetiva, com alta fixação de Nitrogênio pela leguminosa e boa persistência na pastagem, os pesquisadores do IZ, destacaram alguns princípios fundamentais que devem ser observados. Os quatro principais são: leguminosas adaptadas às condições edafo-climáticas da região; associação compatível entre leguminosas e capins a serem consorciados; persistência da leguminosa na consorciação possibilitada pelo  manejo do pasto consorciado; e nutrição adequada da leguminosa.
Segundo Gerdes, desde 1997 é realizado o processo de seleção de novos acessos de leguminosas. O objetivo é selecionar plantas com florescimento precoce, alta produção de sementes, boa produção de biomassa e tolerantes a pragas e doenças, para serem estudadas posteriormente em consorciação, sob pastejo. “Trabalhamos com 96 acessos pertencentes aos gêneros Calopogonium, Centrosema, Desmodium, Galactia, Macrotyloma,Macroptilium, Neonotonia e Stylosanthes – do Instituto de Zootecnia –, pré-selecionados por precocidade no florescimento e produção de sementes.”
Gerdes afirmou que vários acessos de leguminosas são promissores, conforme os critérios de produtividade, produção de sementes, desenvolvimento vegetativo e tolerância a pragas e doenças. “De 2000 até hoje, as pesquisas do IZ estão voltadas em manejo de pastagens consorciadas, com bovinos e ovinos em busca da persistência das leguminosas no sistema.”
A pesquisadora do IZ tem experiência na área de Zootecnia, com ênfase em forragicultura e pastagens, atuando principalmente em temas como conservação de forragem, avaliações agronômicas e morfológicas de espécies forrageiras, adubação de pastagens, manejo de pastagens com ovinos, pastagens consorciadas de gramíneas e leguminosas, pastagens de inverno para ovinos e preferência das espécies forrageiras pelos ovinos.
Mais informações sobre a programação do evento acesse . Para contatar a pesquisadora escreva paralgerdes@iz.sp.gov.br ou entre em contato com a assessoria de imprensa do IZ no (19) 3466 9434.
Serviços:
Evento: 20º Agrinordeste
Data: 23 a 24 de agosto
Local: Centro de Convenção de Pernambuco – Recife
Informações sobre a palestra do IZ: (19) 3466 9434 e e-mail: lgerdes@iz.sp.gov.br
Programação do evento: www.agrinordeste.com.br
Assessoria de Comunicação Institucional e Imprensa do IZ
Lisley Silvério (jornalista)
Tatiana Kawakami (publicitária)
(19) 3466-9434
Assessoria de Comunicação da APTA
José Venâncio de Resende
(11) 5067-0424
Acompanhe a Secretaria:
www.agricultura.sp.gov.br
www.twitter.com/agriculturasp
www.flickr.com/agriculturasp
www.youtube.com.br/agriculturasp

 

Pin It

Notícias por Ano