cabecalho apta130219

Pesquisadora do IB é homenageada em maior congresso de controle de vetores e pragas da América Latina

A pesquisadora do Instituto Biológico (IB-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Ana Eugênia de Carvalho Campos, foi homenageada pela Associação dos Controladores de Vetores e Pragas Urbanas (Aprag), pelas suas contribuições acadêmicas e científicas no setor. A homenagem foi entregue durante a 11ª Expoprag – Congresso de Controle de Vetores e Pragas, o maior evento do setor na América Latina, realizados entre 21 e 23 de setembro de 2016, em Campos do Jordão (SP).
De acordo com a Aprag, a pesquisadora do IB contribui de maneira decisiva para o desenvolvimento do setor de controle de pragas e vetores e pragas sinantrópicas – também conhecidas como pragas urbanas. “Essa homenagem me deixou muito emocionada. Comecei a trabalhar com pragas urbanas em 1989, realizando pesquisas com formigas. Nesse tempo, a área cresceu muito e o IB tem grande contribuição nisso”, afirma.
A pesquisadora é diretora-substituta do IB, possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Uberlândia, mestrado e doutorado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp). Ana Eugênia é ainda docente do curso de Pós-graduação em Sanidade, Segurança Alimentar e Ambiental no Agronegócio do IB e vice-coordenadora do curso de Especialização em Entomologia Urbana (Unesp/Instituto Biológico).
Evento
O Instituto Biológico participou dos três dias da 11ª Expopraga com um estande, em que os congressistas puderam tirar dúvidas sobre as pragas urbanas com os pesquisadores do instituto.
No segundo dia do congresso, cerca de 100 biólogos participaram do 1º Workshop de Biólogos no Controle de Vetores e Pragas Sinatrópicas, promovido pelo Sistema CFBio/CRBios. Os pesquisadores do IB, Francisco José Zorzenon e Ana Eugênia de Carvalho Campos, falaram sobre a biodiversidade no ambiente urbano e o cenário ideal entre as pesquisas e o setor de pragas urbanas.
Ainda no segundo dia do evento, ocorreu o 1º Encontro de Especialistas em Entomologia Urbana: Entomologia Contribuindo para o Crescimento do Setor de Controle de Vetores e Pragas Sinantrópicas. O curso de especialização em Entomologia Urbana é coordenado pela Unesp e pelo IB. “O curso impacta de forma direta na capacitação de profissionais desse setor, tendo como corpo docente um grupo de professores experientes nas diferentes áreas dos vetores de pragas urbanas”, afirma Ana Eugênia.
O curso pioneiro, iniciado em 2000, já formou cerca de 130 profissionais na área. “O curso é muito importante para a formação profissional e foi fundamental para o crescimento do setor no País. Em 2017 vamos para a oitava turma do curso”, explica.
IB pesquisa pragas urbanas há mais de 20 anos
Há mais de 20 anos, o Instituto Biológico realiza pesquisas com cupins, brocas, formigas, baratas, roedores, pragas de grãos e produtos armazenados, traças, percevejos de cama, carrapatos, dentre outras. As pesquisas buscam descobrir novas espécies de pragas e o manejo das já conhecidas. O instituto de pesquisa paulista estuda e testa métodos para controlar as pragas de forma menos agressiva ao ambiente e a saúde da população, com o uso de iscas e produtos naturais, por exemplo.
Dentre os principais resultados dos estudos do IB, está o desenvolvimento de metodologia eficaz e de baixo custo para a avaliação interna de árvores, o estudo da susceptibilidade de determinadas espécies arbóreas a cupins e formigas carpinteiras e lavamentos de pragas de árvores e palmeiras ornamentais. O instituto também realiza testes com ingredientes ativos integrantes de isca para controle de cupins subterrâneos em edificações e o desenvolvimento de produtos naturais, à base de óleos essenciais, para o controle de cupins em árvores. A redução de doses de produtos químicos domissanitários (registrados para uso em ambiente urbano) para cupins subterrâneos em árvores e gramados, também é uma vertente dos estudos realizados pelo instituto paulista.
Nos últimos anos, o IB vem monitorando o problema com percevejos de cama no país, por meio de um questionário disponível em sua homepage. O resultado das informações, já compiladas, aponta que o inseto está estabelecido no país. Uma das medidas que cada cidadão deve tomar é investigar o local onde dorme para descobrir se há percevejos de cama ou marcas deixadas por ele, como manchas enegrecidas no lençol e colchão. Essas investigações devem ser realizadas sempre que a pessoa dormir em hotéis, pousadas e outros ambientes fora de casa. Notando a presença do inseto, deve-se procurar outro local para a pernoite.
Os pesquisadores do IB trabalham, também, na transferência de tecnologia e conhecimento para a população, por meio de livros, boletins, palestras, aulas de pós-graduação, cursos e prestação de serviços sobre pragas urbanas na forma de consultas técnicas, laudos e identificações de pragas. 
Por Fernanda Domiciano
Assessoria de Imprensa – APTA

Pin It

Notícias por Ano