cabecalho apta130219

Pesquisa do Biológico identifica presença de fungos em chás e condimentos

O método da infusão, que representa a maneira mais fácil de preparar o “chá nosso de cada dia”, revela que, mesmo passando por um processo de fervura (ponto de ebulição), a temperatura não elimina completamente os fungos toxigênicos presentes nos chás. É o que mostra pesquisas realizadas pelo Instituto Biológico (IB-APTA) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.
“Nesses experimentos, o método da infusão demonstrou uma diminuição na ocorrência de fungos em saches. Entretanto, não eliminou totalmente a flora micótica dessas amostras”, dizem os pesquisadores Olga Maria R. Russomano e Pedro Carlos Kruppa.
“Esse fato, concluem os pesquisadores, revela que não existem critérios de qualidade nos processos de secagem e armazenamento das plantas medicinais, condimentares e aromáticas comercializadas como chás e condimentos.” Assim, há necessidade de se estabelecerem medidas mais higiênicas de manutenção e métodos mais eficientes de descontaminação dessas plantas.
O Laboratório de Micologia Fitopatológica (LMF), do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Sanidade Vegetal do IB, desenvolve pesquisas científicas visando à identificação de fungos filamentosos presentes em plantas medicinais, condimentares e aromáticas comercializadas secas e embaladas na cidade de São Paulo, para serem utilizadas como chás e condimentos.
Um dos experimentos do IB consistiu em analisar 60 amostras de temperos e condimentos, secos e hermeticamente embalados, constituídos por açafrão, alecrim, canela, coentro, cominho, cravo da Índia, ervas finas, manjericão, manjerona, orégano, pimenta e salsa, pertencentes a oito marcas diferentes.
Em outro experimento, avaliaram-se 57 amostras de chás, comercializados como saches embalados, constituídas por boldo do Chile ou boldo brasileiro, camomila, capim-limão, carqueja, chá-mate, chá-verde ou chá-preto, erva-doce e menta, pertencentes a 11 marcas diferentes.
Os resultados estão disponíveis no artigo “Presença de fungos em chás e condimentos”.

Assessoria de Comunicação da APTA
José Venâncio de Resende
(11) 5067-0424

Acompanhe a Secretaria de Agricultura no Twitter

 

 

Pin It

Notícias por Ano