cabecalho apta130219

Público poderá participar de oficina práticas do sistema de Mudas Pré-Brotadas de cana

O visitante da Agrishow que tiver interesse em conhecer na prática como funciona o Sistema de Mudas Pré-Brotadas (MPB) de cana-de-açúcar, desenvolvido pelo Programa Cana do Instituto Agronômico (IAC), de Campinas, poderá participar de oficina, gratuitamente.  As atividades serão oferecidas diariamente, de 27 de abril a 1º de maio de 2015, sempre às 14h30, no estande da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, onde estão reunidas as tecnologias do IAC na Agrishow, em Ribeirão Preto.

Na oficina, o pesquisador do IAC, Mauro Alexandre Xavier, irá mostrar as etapas que compõem o sistema. Uma estrutura foi montada no estande do IAC, na Agrishow, para que o participante possa visualizar cada passo envolvido no MPB. Os cursos sobre esta tecnologia, realizados pelo Programa Cana IAC, têm atraído participantes de todas as regiões do Brasil. Até o momento já foram feitas sete edições.

O IAC desenvolveu esse sistema inédito que muda o conceito de plantar cana-de-açúcar. No lugar dos colmos como sementes entram as mudas pré-brotadas. Até a chegada desta tecnologia do IAC, era usado o sistema convencional, adotado desde a chegada das primeiras canas ao Brasil, por volta de 1530.

O Sistema de Mudas Pré-Brotadas (MPB) de cana é uma tecnologia de multiplicação que contribui para a produção rápida de mudas e traz grande salto na qualidade fitossanitária, vigor e uniformidade de plantio. Outro grande benefício está na redução da quantidade de mudas que vai a campo. Para o plantio de um hectare de cana, o consumo de mudas cai de 18 a 20 toneladas, no plantio convencional, para 2 toneladas no MPB. “Esse valor significa que 18 toneladas que seriam enterradas como mudas vão para a indústria produzir etanol e açúcar, gerando ganhos”, explica o pesquisador do IAC, Mauro Alexandre Xavier, que realizará as oficinas durante a Agrishow. Além da economia, a possibilidade de ganhos de produtividade é alta. Até o momento, em todos os campos experimentais do IAC, os saltos na produtividade do primeiro ciclo (cana planta) têm variado de 5% a 40%.

A nova tecnologia desenvolvida pelo IAC, desde 2009, é direcionada a aumentar a eficiência e os ganhos econômicos na implantação de viveiros, replantio de áreas comerciais e, possivelmente, renovação e expansão de áreas de cana-de-açúcar. “Trata-se de um novo conceito de multiplicação da cana, reduzindo volume e levando para o campo efetivamente uma planta”, diz Xavier.

O sistema envolve a formação de viveiros para multiplicação rápida de novas variedades de cana. É um método simples que pode ser adotado por pequenos produtores e associações, não ficando restrito às usinas. O MPB restaura os benefícios da formação de mudas em viveiros, procedimento que fora praticamente esquecido com o boom do setor, apesar de gerar benefícios, como aspectos de fitossanidade da planta.

No futuro, caso o sistema MPB se consolide como modo principal de plantio comercial de cana, a economia de muda em relação à situação atual do plantio mecânico poderá chegar a 90 milhões de toneladas de colmos. Nesse cenário, a indústria teria todo este volume a mais para processar, transformando essa matéria-prima em etanol, açúcar e energia elétrica.

 

Texto: Carla Gomes (MTb 28156) e Fernanda Domiciano

Contato durante a Agrishow: Fernanda Domiciano: 19 – 9.9269-9138

Assessoria de Imprensa APTA: 19 – 2137-0616/0613

Pin It

Notícias por Ano