cabecalho apta130219

Para Ital, embalagem e engenharia de alimentos, aliadas a políticas públicas e educação, são fundamentais na redução do desperdício

"Quando falamos de redução de perdas com o uso de embalagem, nós precisamos de duas outras medidas: políticas públicas para uma destinação adequada e educação para o consumidor descartá-la corretamente para ser reciclada, reaproveitada ou reutilizada", destaca Luis Madi, pesquisador e diretor de assuntos institucionais do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital-APTA), que ministrou palestra sobre a importância da embalagem e da engenharia de alimentos na diminuição do desperdício na última semana, dia 13, durante o congresso da Anufood Brazil, organizado pela FGV Projetos com a co-organização da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

Considerada muitas vezes vilã do meio ambiente, a embalagem, segundo Madi, é essencial para a redução do desperdício e a segurança dos alimentos, sendo o setor de embalagens um dos que mais evoluíram nos últimos anos. Durante a palestra, o pesquisador explicou sobre os diferentes tipos de embalagem e seu papel na minimização ou até mesmo eliminação de perdas com base na ciência e tecnologia.

Dentre os exemplos mencionados estão às embalagens próprias para transporte e distribuição, capazes de suportar compressão, choque e vibração, e embalagens plásticas ativas e inteligentes, com absorção de oxigênio, aromas e umidade, modificação de gases (atmosfera modificada) e adoção de selos que ajudam a identificar quando, por exemplo, o produto está começando perder o prazo de validade por meio de tinta ultravioleta que sinaliza mudando de cor. O último exemplo vem sendo abordado pelo Ital por meio da pesquisadora Claire Sarantópoulos, do Centro de Tecnologia de Embalagem (Cetea), e integrará a grade do Seminário de Tendências e Inovações em Embalagens Plásticas, programado para ocorrer no Ital em 21 e 22 de novembro deste ano.

"Grande parte dos participantes desconhecia tecnologias que já existem, mostrando como uma instituição técnica pode ajudar no desenvolvimento de embalagens para minimizar perdas", comentou Madi, que encerrou o painel "Os gargalos da distribuição de alimentos", em que também palestraram Anita Gutierrez, chefe do Centro de Qualidade em Horticultura da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais (Ceagesp), e João Dornellas, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia). Anita abordou as perdas na logística e distribuição, especialmente em relação a frutas, verduras e hortaliças – praticamente um terço dos produtos em geral –, enquanto Dornellas falou sobre desperdícios causados pelo desconhecimento, mencionando questões relacionadas à data de validade e à confusão da criação do termo "ultraprocessado".

Vinculado à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (SAA), o Ital também coordenou durante a Anufood Brazil, dia 14, o "Seminário Alimentos 2030 – A mobilização do setor alimentício na promoção do consumo responsável", em parceria com a Abia e a Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e de Bebidas Não Alcoólicas (Abir), seguindo o propósito de difundir conhecimento técnico-científico dentro da missão de contribuir para a evolução das áreas de alimentos, bebidas e embalagens em benefício do consumidor e da sociedade.

Além de palestras sobre tendências globais de consumo e seus impactos na indústria de alimentos, ministrada por Carolina Kurzweil, analista de pesquisa da Euromonitor International, e sobre iniciativas empresariais e institucionais em reformulação de produtos, produção sustentável e comunicação responsável, apresentada por Raul Amaral, coordenador da Plataforma de Inovação Tecnológica do Ital, houve um painel com representantes da Abia, da Abir, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura e Abastecimento (Mapa), da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) e da Associação Brasileira de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (Abimapi). Na oportunidade, foi lançado o módulo "Iniciativas Empresariais" do site www.alimentosprocessados.com.br, iniciativa destinada a abastecer a sociedade com informações sobre ciência e tecnologia de alimentos.

Pin It

Notícias por Ano