Apta

Novo censo agropecuário do IBGE será discutido em palestra no IEA

Avanços metodológicos e principais resultados do Censo Agropecuário 2006, que revela o retrato do Brasil agrário, serão abordados, no dia 8 de outubro (quinta-feira) às 14:30h, no Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, pelo gerente do Censo Agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) Antonio Carlos Simões Florido.
O Censo Agropecuário 2006 mostra que a concentração na distribuição de terras permaneceu praticamente inalterada nos últimos vinte anos, embora tenha diminuído em 2.360 municípios, de acordo com o IBGE. Nos Censos Agropecuários de 1985, 1995 e 2006, os estabelecimentos com mais de 1.000 hectares ocupavam 43% da área total de estabelecimentos agropecuários no país, enquanto aqueles com menos de 10 hectares ocupavam, apenas, 2,7% da área total. Focalizando-se o número total de estabelecimentos, cerca de 47% tinham menos de 10 hectares, enquanto aqueles com mais de 1.000 hectares representavam em torno de 1% do total, nos censos analisados.
Em 2006, os cerca de 5,2 milhões de estabelecimentos agropecuários do país ocupavam 36,75% do território nacional e tinham como atividade mais comum a criação de bovinos, informa o IBGE. A área total dos estabelecimentos agropecuários brasileiros diminuiu em 23,7 milhões de hectares (-6,69%), em relação ao Censo Agropecuário 1995. Uma possível causa foi a criação de novas Unidades de Conservação Ambiental (crescimento de 19,09% de área) e a demarcação de terras indígenas (crescimento de 128,2%), totalizando mais de 60 milhões de hectares.
Ainda segundo o IBGE, entre 1995 e 2006, os estabelecimentos agropecuários registraram redução de suas áreas de florestas (-11%) e de pastagens naturais (-26,6%) e aumento nas áreas de pastagens plantadas de 1,7 milhão de hectares (1,8%), sobretudo na região Norte (39,7%). Já aquelas dedicadas à agricultura cresceram 19,4%, sendo que o maior aumento ocorreu no Centro-Oeste (63,9%).
A grande maioria dos produtores entrevistados era analfabeta ou sabia ler e escrever, mas não tinha freqüentado a escola (39%) ou não possuía o ensino fundamental completo (43%), totalizando mais de 80% de produtores rurais com baixa escolaridade, diz o Censo. Trabalhavam em estabelecimentos agropecuários 18,9% da população ocupada no país. 77% dos ocupados tinham laços de parentesco com o produtor e 35,7% não sabiam ler e escrever. Havia mais de 1 milhão de crianças com menos de 14 anos de idade trabalhando na agropecuária.
Com crescimento de 88% na produção, a soja foi a cultura que mais se expandiu na última década, sendo que em 46,4% desses estabelecimentos optaram-se por sementes transgênicas, revela o Censo do IBGE. Apenas 1,8% dos estabelecimentos agropecuários praticavam agricultura orgânica no país, sendo que 42,5% destes produtores se ligavam a associações, sindicatos ou a cooperativas. Já 6,3% dos estabelecimentos declararam utilizar irrigação, o que representou um aumento de 39% em relação ao Censo anterior.
Mais da metade dos estabelecimentos onde houve utilização de agrotóxicos não recebeu orientação técnica (785 mil ou 56,3%), informa o IBGE. Além disso, 15,7% dos produtores rurais responsáveis por estabelecimentos onde houve aplicação de agrotóxicos não sabem ler e escrever, o que potencializa o risco de intoxicação e uso inadequado do produto. O rebanho bovino brasileiro era de 171,6 milhões de cabeças em dezembro de 2006, sendo que Mato Grosso do Sul reunia 20,4 milhões de cabeças, enquanto Pará registrou maior crescimento (119,6%).
Os estabelecimentos pesquisados pelo IBGE obtiveram um valor da produção total de R$ 147,26 bilhões, dos quais 77,07% (R$ 113,49 bilhões) provenientes da Produção Vegetal. Novecentos e vinte mil estabelecimentos obtiveram financiamentos, dos quais 91% receberam financiamento de bancos e 85% receberam de programas governamentais. Os estabelecimentos que têm como atividade principal a cana-de-açúcar ou a soja ficaram com a maior participação no valor da produção agropecuária (ambos 14%), seguidos por aqueles que se dedicam à criação de bovinos (10%).
Em 2006, o Censo Agropecuário apurou que os 5.2 milhões de estabelecimentos agropecuários (em 5.564 municípios) ocupavam 329,9 milhões de hectares, o equivalente a 36,75% do território brasileiro (851.487.659 hectares). Esses são alguns dos resultados do maior levantamento sobre a estrutura produtiva do setor primário brasileiro que serão analisados por Simões Florido. A palestra será no auditório do IEA no prédio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento - Av. Miguel Stéfano, 3900 - Água Funda.
Clique aqui para fazer a inscrição
Assessoria de Comunicação da APTA
José Venâncio de Resende
(11) 5067-0424
Acompanhe a Secretaria de Agricultura:
www.agriculturasp.blogspot.com
www.twitter.com/agriculturasp
www.youtube.com.br/agriculturasp

 

Pin It

Notícias por Ano