cabecalho apta130219

“Mudanças climáticas e pecuária”, tema de workshop do IZ em Nova Odessa

“Mudanças climáticas e sustentabilidade da pecuária - manejo de pastagens e suplementação a pasto, visando à redução da emissão de gases de efeito-estufa” é o tema de workshop que o Instituto de Zootecnia (IZ-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, promove no dia 4 de novembro, às 8:30h, em Nova Odessa (SP).
O evento tem o objetivo de divulgar o conhecimento sobre a inter-relação entre mudanças climáticas globais e a atividade pecuária para pesquisadores, técnicos e outros interessados no assunto. Também visa fazer a gestão do “Projeto de Mudanças Climáticas do IZ (Protocolo 1632) – Avaliação do Balanço de Gases de Efeito Estufa (CO2, CH4 E N2O) e da Sustentabilidade Ambiental em Sistemas de Produção de Carne Bovina, da Recria à Engorda”, integrando a equipe multidisciplinar através de um fórum de discussão e apresentação de resultados. Outro propósito é coletar informações sobre as perspectivas futuras das atividades ligadas a pastagens e nutrição animal, para nortear as pesquisas nos próximos 10 anos.
As emissões de gases de efeito estufa são originadas de forma significativa nas áreas rurais do Brasil, sendo estimadas emissões de cerca de 9,2 milhões de toneladas de metano (CH4) pela pecuária, diz o pesquisador João José Assumpção de Abreu Demarchi, coordenador do evento. “A abertura de novas fronteiras pela pecuária (derrubada de florestas, queimadas, preparo de solo e oxidação da matéria orgânica) tem inúmeras conseqüências negativas ao meio ambiente. A importância da cadeia é evidente pelo tamanho do rebanho (190 milhões de cabeças) e da área de pastagens (210 milhões de hectares).”
A intensificação dos sistemas de produção justamente reduz a emissão de metano por unidade de carne, exatamente por serem mais eficientes no aproveitamento de insumos administrados, explica Demarchi. “Isso também libera parte das áreas para a agricultura, silvicultura e/ou reconstituição de matas nativas, sem que haja perda da produção total de carne.”
Atualmente, o Estado de São Paulo tem apenas 7% da Mata Atlântica original, podendo em parte ser recuperada como resultado da intensificação da pecuária de corte ou leite, afirma o pesquisador do IZ. “Além disso, a intensificação da agricultura é essencial em vista do alto custo das terras e da maior competitividade entre as diversas cadeias. Infelizmente, a maior parte da carne produzida em áreas de desmatamento (Amazônia) está sendo consumida na região Sudeste, sendo que o rebanho dessa região aumentou 180% nos últimos 15 anos, com a instalação de inúmeros frigoríficos. Isso se deve ao fato de apesar de altamente competitiva, para enfrentar esse mercado globalizado, a pecuária nacional ainda precisa incorporar grande parte da tecnologia disponível, já que ainda é essencialmente extrativista (0,8 unidades animais por hectare; 50 kg carne/ha/ano; com potencial de 4 unidades animais e 300 kg carne).”
Uma possível recuperação das pastagens tem grande potencial de seqüestrar carbono, tanto quanto a recuperação das florestas advindas da liberação de áreas com a maior produtividade, observa Demarchi. “Pastagens com Brachiaria decumbens ocupam 80 milhões de hectares no Brasil (40% total), com potencial de seqüestro de 6,1 a 12,8 toneladas de C (carbono)/ha/ano, dependendo dos insumos aplicados. A quantidade de matéria orgânica pode chegar a 4%, ante 1,5% em lavouras convencionais, 2% em plantio direto e 3,5% de florestas.”
Em São Paulo, estima-se que as pastagens ocupem 9,2 milhões de hectares, observa o pesquisador. A maior parte é formada por plantas do gênero Brachiaria e aproximadamente 50% desse total já se encontram em algum estádio de degradação, freqüentemente associado ao desmatamento e ao mau uso da terra. Melhorias na utilização da forragem produzida têm grande impacto na produtividade animal, sem que haja necessidade da aplicação de maior quantidade de insumos ou equipamentos. Assim, é uma alternativa bastante atrativa para a intensificação do processo de produção de maneira equilibrada, sustentável e econômica, conclui Demarchi.
O workshop será realizado na sede do IZ – Rua Heitor Penteado, 56 – Nova Odessa – SP. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (19) 3466-9413/55 ou pelo e-mail eventos@iz.sp.gov.br.
Link: programação completa e inscrições
Assessoria de Comunicação do IZ
Lisley Silvério
(19) 3466-9434
Assessoria de Comunicação da APTA
José Venâncio de Resende
(11) 5067-0424
Acompanhe a Secretaria de Agricultura:
www.agriculturasp.blogspot.com
www.twitter.com/agriculturasp
www.youtube.com.br/agriculturasp

 

Pin It

Notícias por Ano