cabecalho apta130219

Missão européia avalia controle de aflatoxina em amendoim brasileiro

O roteiro da visita está concentrado no Estado de São Paulo, que responde por cerca de 75% da produção do amendoim brasileiro, estimada pela Companhia Nacional de Abastecimento em cerca de 242,5 mil toneladas na safra 2006/2007. Os principais pólos produtores e indústrias beneficiadoras estão localizados nas regiões de Marília e Ribeirão Preto. A missão visitará empresas processadoras e exportadoras e laboratórios de análises de aflatoxinas nas cidades de Marília, Tupã, Jaboticabal, São Paulo e Santos (principal porto exportador da oleaginona). O chefe de Serviço da Área Vegetal da Coordenação de Controle de Resíduos e Contaminantes do Mapa, Ricardo Raski, informou que a missão tem visitado países exportadores de amendoim para a União Européia e que vêm sendo notificados pelo bloco por problema de contaminação por aflatoxina. Segundo o técnico, os três países mais notificados pela UE, em 2006, foram China (76 notificações), Argentina (46 notificações) e Brasil (23 notificações). Raski esclareceu que nenhum dos 23 lotes de amendoim brasileiro notificados em 2006 foi devolvido ao Brasil ou destruído. “Estes lotes foram reprocessados lá mesmo na Europa, pois há tecnologia para isto tanto lá quanto aqui, e depois reanalisados e liberados para consumo e outros usos”. Entre os avanços que o Mapa poderá apontar à missão no controle de aflatoxina, o técnico destacou o efetivo acompanhamento das notificações e providências juntos aos exportadores e empresas prestadoras de serviços, entre as quais, laboratórios de análise e empresas de coleta de amostras. Segundo o chefe de Serviço, havia falhas na coleta de amostras, o que fazia com que a contaminação não aparecesse nos resultados das análises laboratoriais. O Mapa repassou as orientações corretas aos exportadores e está exigindo procedimentos mais rigorosos na coleta de amostras. “Quem quiser exportar amendoim para a União Européia deverá se cadastrar junto ao Mapa e a empresa passará por vistoria prévia da fiscalização quanto às instalações e à adoção de procedimentos de controle de aflatoxinas em amendoim na indústria e no campo”. O ministério também mostrará à delegação européia a revisão e a atualização da legislação sobre controle de aflatoxina. Em 2006, o Brasil exportou 65,5 mil toneladas de produtos do complexo amendoim (grãos, óleo e farelo), com faturamento de US$ 40,88 milhões. Ao final do roteiro, a delegação deve voltar a se reunir com técnicos do Mapa em Brasília para apresentar os resultados preliminares das visitas. (fonte: MAPA - Imprensa)
Pin It

Notícias por Ano