cabecalho apta130219

Laranja: regiões e municípios líderes no Estado de São Paulo

A região de Barretos (correspondente ao Escritório de Desenvolvimento Rural) lidera a produção paulista de laranja, com 41,54 milhões de caixas de 40,8kg, acréscimo de 25,2% sobre o ano safra 2010/11, de acordo com o levantamento final do ano safra 2011/12 do Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA) e da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), vinculados à Secretaria de Agricultura e Abastecimento. 
A produção total do Estado atingiu 384,87 milhões de caixas (aumento de 19,5% em relação à obtida no ano agrícola anterior), e desse volume estima-se que a produção comercial tenha atingido 375,74 milhões de caixas. O levantamento também registra 9,13 milhões de toneladas consideradas não-comerciais e relacionadas com perdas no processo de produção e na colheita, não computados na produção comercial.  Os dados do levantamento IEA-CATI/SAA foram obtidos pelo método subjetivo, que consiste nas informações fornecidas pelos técnicos das Casas de Agricultura em cada um dos 645 municípios paulistas. 
Em segundo lugar, aparece a região de Araraquara, com 31,46 milhões de caixas (aumento de 28,6% sobre a safra anterior), seguida de São João da Boa Vista, com 31,39 milhões (mais 21,3%). Destacam-se ainda as regiões de Jaboticabal, com 28,59 milhões de caixas (mais 30,4%); Mogi Mirim, com 26,90 milhões (mais 15,4%); Limeira, com 25,57 milhões (mais 7%); e Bauru, com 22,53 milhões de caixas (mais 12,4%). 
Liderança municipal
O município de Casa Branca, na região de São João da Boa Vista, é o maior produtor de laranja do Estado, com 12,40 milhões de caixas. Possui um total de 6,90 milhões de pés, dos quais 6,23 milhões em produção. Na segunda posição, está o município de Itápolis, região de Jaboticabal, com 12,22milhões de caixas (pomar de 8,06 milhões de pés, dos quais 7,68 milhões de pés em produção). Iaras, região de Avaré, e Itapetininga aparecem na sequência, respectivamente com 10,50 milhões e 10,16 milhões de caixas.
Merece atenção o município de Botucatu, na nona posição, com produção de 7,80 milhões de caixas. Isto porque o pomar tem cerca de 5,45 milhões de pés, distribuídos entre 1,53 milhão de pés novos e 3,92 milhões de pés em produção. Até o 24º lugar na classificação geral, é o único município cujo número de pés novos ultrapassa a casa do milhão. Com isso, a produção futura deve ultrapassar àquela de outros municípios melhores classificados.
Mais informações podem ser obtidas com a pesquisadora Denise Caser pelo e-mail caser@iea.sp.gov.br.      
Assessoria de Comunicação da APTA
José Venâncio de Resende
(11) 5067-0424
 

Pin It

Notícias por Ano