cabecalho apta130219

Laboratório de resíduos de pesticidas do Biológico recebe novo certificado do INMETRO

O Laboratório de Resíduos de Pesticidas (LRP) do Instituto Biológico (IB-APTA), vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento, teve estendido, até outubro de 2015, o prazo de sua acreditação para análise de resíduos de pesticidas nos alimentos na Norma ABNT NBR ISO/IEC ISO17025. O novo certificado foi entregue ao IB no dia 04 de outubro.
A revalidação da acreditação do laboratório foi feita oficialmente pelo único órgão nacional competente, o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (INMETRO). Para este tipo de análises, o laboratório é o único acreditado dentro do Estado de São Paulo.  Trata-se de “expressão formal do reconhecimento da sua competência para realizar ensaios constantes no Escopo da Acreditação (ensaios para determinação de resíduos de pesticidas em alimentos e bebidas)”, diz o diretor do IB Antonio Batista Filho.
A acreditação da norma ISO 17025 foi concedida, pela primeira vez, ao Laboratório de Resíduos de Pesticidas do IB em 2009. Esta norma diz respeito a ensaios de laboratório com qualidade garantida, isto é, permite que toda e qualquer análise realizada pelo laboratório tenha validade nacional e internacional, explica a pesquisadora Cláudia Ciscato.
Segurança alimentar 
Em países em desenvolvimento, os riscos da exposição a substâncias químicas, com potencial de afetar a saúde humana, ainda são desconhecidos ou muitas vezes pouco avaliados, observa Cláudia. Já nos países desenvolvidos programas para monitorar continuamente suas presenças fazem parte de um sistema para assegurar a qualidade alimentar.
Entre as substâncias químicas que podem contaminar os alimentos, a pesquisadora do IB destaca os pesticidas. “O uso desses compostos na agricultura ainda é, atualmente, a melhor estratégia para a produção de alimentos em quantidade suficiente para atender a demanda da população mundial.”
O Brasil ocupa o 3º lugar entre os consumidores mundiais de pesticidas, conta Cláudia. A indústria brasileira oferece ao agricultor por volta de 400 ingredientes ativos em 1500 preparações comerciais, apresentados isoladamente ou em misturas. Estima-se que 50% das propriedades agrícolas utilizam pesticidas.
Uma das formas de avaliar o uso de pesticidas é a realização de estudos de monitoramento, ou seja, avaliações freqüentes dos principais alimentos a fim de verificar a presença de resíduos. Nesse contexto, a pesquisadora destaca o papel do laboratório do IB, que há mais de 20 anos analisa amostras de frutas e hortaliças, comercializadas, principalmente, na cidade de São Paulo para fornecer resultados sobre a presença de resíduos de pesticidas, com base na legislação vigente.
Além disso, o laboratório participa, ainda, do Programa Nacional de Monitoramento de Resíduos de Pesticidas (PNCRV), coordenado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), com a finalidade de controlar a qualidade de produtos agrícolas importados ou destinados à exportação. Esses resultados, explica Cláudia, são utilizados pelos órgãos governamentais competentes para subsidiar ações visando à utilização adequada destes produtos, para garantir a qualidade dos alimentos e a saúde do agricultor e do consumidor, além de proteger o meio ambiente.
O laboratório, que conta com pessoal treinado, metodologia analítica e equipamentos de última geração, realiza análises de acordo com os padrões internacionais de qualidade. Foi o primeiro laboratório no Brasil a ser credenciado pelo MAPA para a realização de análise de resíduos de pesticidas em produtos agrícolas destinados ao consumo nacional e à exportação. Atualmente, está acreditado pelo Governo do Japão para realizar análises em produtos a serem exportados para esse país.
Assessoria de Comunicação da APTA
José Venâncio de Resende
Eliane Christina da Silva/Camila Amorim (estagiárias)
(11) 5067-0424

Pin It

Notícias por Ano