Apta

IZ realiza o 2º Workshop de Bioética e Bem-estar Animal

Bem-estar animal e produtividade, abate humanitário e impactos na qualidade da carne são destaques do “II Workshop de Bioética e Bem-estar Aplicados aos Animais de Produção”, que ocorrerá dia 23 de outubro (sexta-feira), das 8h às 17 horas, em Nova Odessa (SP). O evento é promovido pelo Instituto de Zootecnia (IZ/APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (SAA).

O workshop é  coordenado pela Comissão de Ética e Experimentação Animal (CEUA/IZ) e abordará especificamente o animal de produção, considerando toda a cadeia produtiva. O evento reforça ainda mais a atenção ao tratamento dos animais de produção, visando à bioética e bem-estar.

Uma preocupação de tendência mundial, iniciada na década de 1980 e que chegou ao Brasil de forma marcante e rápida, tem despertado os interesses sociais. Para Jackson Barros do Amaral, pesquisador do IZ e presidente do CEUA-IZ, “há uma relevante necessidade de valorizar essa ciência do bem-estar animal nas instituições públicas e privadas”.

Ele ainda destaca que a bioética tem causado certo impacto na cadeia de produção. O motivo está na transformação de paradigmas sobre os modelos atuais de produção. “A meta é uma produção mais natural. Os modelos físicos de criação intensivos estão sendo substituídos por formatos onde prevaleça sempre o bem-estar”, diz Jackson.

Segundo ele, na União Européia e nos Estados Unidos a preocupação com os métodos de criação e manejo dos animais de produção vem exercendo uma grande pressão sobre os criadores e abatedouros de animais. Assim, eles são obrigados a seguir normas de bem-estar animal para garantir a venda de seus produtos.

No período da manhã, serão abordados três temas: Repensando a experimentação animal a partir da Bioética, por Rita Leal Paixão (médica veterinária, professora e diretora do Instituto Biomédico da UFF/RJ); Programa nacional de abate humanitário para aves, suínos e bovinos (STEPS) MAPA, por Charli Beatriz Ludtke (médica veterinária, gerente de animais de produção da Sociedade Mundial de Proteção Animal - WSPA/Filial do Brasil/Rio de Janeiro/RJ); Bem-estar animal e produtividade, por Carla Forte Maiolino Molento (médica veterinária e professora de Comportamento e bem-estar animal da UFPR).

À tarde, serão ministradas mais três palestras: Manejo de bovinos leiteiros em ambiente tropical, pela pesquisadora Maria da Graça Pinheiro (zootecnista da área de Biometeorologia e Ambiência de Bovinos Leiteiros da APTA/SAA); Bem-estar direcionado manejo pré-abate de aves e suínos e seus impactos na qualidade da carcaça e da carne, por Expedito Tadeu Facco Silveira (engenheiro agrônomo da área de Tecnologia de Alimentos e pesquisador do Instituto de Tecnologia de Alimentos - ITAL/APTA-SAA); e Dor e sofrimento animal, por Stélio Pacca Loureiro Luna (médico veterinário e professor de Anestesiologia Veterinária da FMVZ/UNESP-Botucatu/SP).

Princípios éticos e as liberdades do bem-estar

Há três Princípios Éticos na Experimentação Animal, aceitos internacionalmente. São conhecidos como os “3Rs” de Reduction, Refinement e Replacement (redução, refinamento e substituição), que consideram a necessidade de reduzir, refinar e substituir o uso de animais, no ensino e na experimentação.

Jackson detalha que, além destes princípios, há também as Cinco Liberdades do Bem-estar Animal. “Várias leis asseguram estes princípios e estas liberdades. A mais recente no Brasil é a Resolução nº 879, de 15 de fevereiro de 2008, do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV)”, diz.

As Cinco Liberdades foram estabelecidas na Inglaterra, em 1999, pelo Comitê de Bem-estar de Animais de Produção (Farm Animal Welfare Committee apud MENCH, 1998): Liberdade Nutricional (os animais devem estar livres de fome, sede e desnutrição); Liberdade Sanitária (os animais devem estar livres de dor, injúrias e doenças); Liberdade Comportamental (os animais devem estar livres para expressar o comportamento natural de sua espécie); Liberdade Psicológica (os animais devem estar livres de medo e estresse); e Liberdade Ambiental (os animais devem estar livres de desconforto).

O público-alvo do evento são médicos veterinários, zootecnistas, biólogos, farmacêuticos, sociólogos, filósofos, eticistas, técnicos em agropecuária, estudantes e público de áreas afins. O Workshop recebe o apoio da CAPES, Fundag, Fundepag, Ourofino, Arenales, Matsuda, Guabi, Ajinomoto e Vivo Sabor.
 
O workshop será na sede do IZ - Rua Heitor Penteado, 56, Centro. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (19) 3466-9413; e-mail eventos@iz.sp.gov.br ou site www.iz.sp.gov.br.

Assessora de Comunicação Institucional - IZ
Lisley Silvério
(19) 3466.9434; Fax: 3466.9413; imprensa@iz.sp.gov.br; lisley@iz.sp.gov.br

Assessoria de Comunicação da APTA
José Venâncio de Resende
(11) 5067-0424

Acompanhe a Secretaria de Agricultura:
www.agriculturasp.blogspot.com
www.twitter.com/agriculturasp
www.youtube.com.br/agriculturasp

 

Pin It

Notícias por Ano