Apta

Instituto Biológico realizará 29ª Reunião Anual com foco em sustentabilidade e meio ambiente

O Instituto Biológico (IB-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, realiza de 7 a 10 de novembro de 2016, a 29ª Reunião Anual do Instituto Biológico (RAIB), com foco na sustentabilidade e meio ambiente. A reunião marca a comemoração do 89º aniversário do Instituto Biológico, em 7 de novembro de 2016, às 15h (leia aqui). Ao todo, serão realizadas 15 palestras, distribuídas em mesas redondas e workshop, dois minicursos e um simpósio.
A RAIB é um evento anual realizado pelo Instituto Biológico, voltada a profissionais e estudantes das áreas de sanidade animal, vegetal, proteção ambiental, pragas urbanas, história da ciência e recursos humanos. O objetivo é divulgar os resultados das pesquisas focadas na busca de soluções para os problemas da agricultura brasileira, além de promover o debate sobre as tendências e desafios do setor agropecuário.
O evento deste ano terá foco na sustentabilidade e no meio ambiente, com palestras relacionadas ao uso de agrotóxicos, resíduos dos produtos químicos em alimentos de origem vegetal, sanidade apícola, controle biológico, produtos orgânicos e segurança alimentar. O evento também contará com a apresentação de pôsteres, por pesquisadores, estudantes de graduação e pós-graduação de todo o Brasil. Dentro do evento, será realizado ainda o Simpósio Paulista de Grãos e Produtos Armazenados, que discutirá os novos marcos legais de acessos ao patrimônio genético e de ciência e tecnologia.
“Esta tradicional reunião discute temas relevantes para a agropecuária paulista e brasileira, contribuindo para a transferência de informações ao setor. Ela está alinhada ao que nos pede o governador Geraldo Alckmin, que é aproximar a pesquisa do setor de produção e da população em geral”, afirma Arnaldo Jardim, secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.
Durante a reunião, será realizada a mesa-redonda “Segurança Sanitária e Ambiental da Bovinocultura e Avicultura: Destinação de Cama de Aviário”, coordenada pelas pesquisadoras do IB, Edviges Maristela Pituco e Liria Okuda, em 9 de novembro de 2016, às 14h.
O objetivo será discutir, refletir e entender a necessidade do setor e propor estratégias sanitárias e ambientais para evitar o uso da cama de aviário como alimento para ruminantes, promovendo a correta disposição do resíduo. “A mesa tem a finalidade de conscientizar o setor produtivo, mobilizar com ações efetivas, visando a criação de soluções sustentáveis ao uso e destinação corretos dos resíduos de cama de frango”, afirma Pituco.
O Brasil possui importante participação no mercado internacional de carnes de aves e de bovinos e o Estado de São Paulo tem grande representatividade em ambos os setores, com a produção e consumo de leite e derivados. Segundo as pesquisadoras, a manutenção da classificação de risco insignificante para Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), além do cumprimento da Instrução Normativa 08/2004, que proíbe o uso de cama de aviário como alimento para ruminantes, são estratégicas para o País e a estabilidade econômica e social da avicultura e bovinocultura paulista.
“Em ações de fiscalização nas propriedades rurais do Estado de São Paulo ainda ocorrem infrações sanitárias referentes ao uso da cama de aviário. Há necessidade de adoção de outras ações complementares à fiscalização e maior participação e envolvimento do setor produtivo”, afirma Okuda.
Resistência a inseticidas
Outro tema que será discutido no evento é a resistência de pragas a inseticidas utilizados durante o período de armazenamento de produtos como milho, trigo e arroz. Durante a palestra “Resistência de pragas a inseticidas e fosfina”, que será realizada em 10 de novembro, às 13h30, o pesquisador do IB, Mário Eidi Sato, abordará alguns tópicos como mecanismos de resistência, estabilidade da resistência e estratégias de manejo das pragas e inseticidas. Os inseticidas são amplamente utilizados no Brasil para a proteção de grãos armazenados, por meio da fumigação ou expurgo.
Segundo o pesquisador, para as principais pragas de grãos armazenados, já foram registradas populações resistentes a diversos inseticidas químicos utilizados no controle no Brasil. “No caso da resistência dessas pragas ao inseticida fumigante fosfina, têm sido reportadas magnitudes de resistência de até 186 vezes para Tribolium casteneum, 71 vezes para Rhyzopertha. dominica e 32 vezes para Oryzaephilus surinamensius. A resistência de insetos-praga ao inseticida fumigante representa um sério problema para o armazenamento de grãos”, explica Sato.
SERVIÇO
29ª Reunião Anual do Instituto Biológico (RAIB)

Data: 7 a 10 de novembro de 2016
Horário: A partir das 9h
Local: Sede do Instituto Biológico
Endereço: Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 1252, São Paulo – SP
Por Fernanda Domiciano
Assessoria de Imprensa – APTA
(19) 2137-8933

Pin It

Notícias por Ano