cabecalho apta130219

Instituto Biológico presta contas à sociedade com apresentação dos resultados de 2014 e 2015

O Instituto Biológico (IB-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, presta contas à sociedade com o lançamento do Relatório Bianual (2014-2015), com os principais resultados alcançados na prestação de serviços, transferência de tecnologias e formação de recursos humanos no período. O relatório pode ser acessado na íntegra no link http://www.biologico.agricultura.sp.gov.br/docs/relatorio_2014_2015.pdf
Referência brasileira em pesquisas e prestação de serviços relacionados à sanidade animal e vegetal, o IB atua em programas fundamentais, muitos deles coordenados pelo Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), para promover a sanidade, importante para o trânsito internacional de produtos agropecuários.
O relatório aborda o orçamento e captação de recursos, produção científica, geração do conhecimento, tecnologia e inovação, produção de insumos estratégicos, prestação de serviços, transferência do conhecimento, ações internacionais e formação de recursos humanos. O documento aborda ainda o sistema de gestão da qualidade do instituto, suas coleções e prêmios recebidos no período.
“Este documento é importante para mostrar para as pessoas a relevância de nossas pesquisas, tecnologias e inovação e como elas são fundamentais para o Brasil ter um bom status sanitário, indispensável para as relações comerciais”, afirmou Antonio Batista Filho, diretor-geral do IB.
De 2014 a 2015, o instituto recebeu R$ 22,6 milhões em investimentos e custeio. Deste total, R$ 6 milhões foram provenientes do Governo do Estado de São Paulo e o restante foi captado junto a fundações públicas de pesquisa e iniciativa privada. “Para cada R$ 1,00 investido pelo Tesouro do Estado, o IB captou R$ 2,80 de fontes externas. Isso mostra a qualidade e a credibilidade dos nossos trabalhos científicos”, afirma Batista Filho.
No biênio, os 102 pesquisadores científicos do IB realizaram 629 produções científicas, entre artigos publicados em periódicos nacionais e internacionais, capítulos e livros e produção de boletins, além de resumos apresentados em congressos, artigos de revisão e notas e revisões científicas.
Entre as pesquisas científicas em destaque no período, está a identificação da principal espécie de vírus causadora do mosaico da cana-de-açúcar, virose responsável por perdas de até 40% em cana e milho no Brasil. “O correto diagnóstico e a prevenção, por meio de sementes e mudas sadias, aliado ao uso de variedades resistentes, podem minimizar a entrada e a proliferação do patógeno, reduzindo os gastos com inseticidas para o controle do vetor e as elevadas perdas após o estabelecimento da doença no campo”, explicou Batista Filho.
No hall de tecnologias, é possível destacar os trabalhos em controle biológico em cana-de-açúcar, banana e flores. O instituto é referência brasileira no assunto. Sua tecnologia em cana-de-açúcar, por exemplo, para controle biológico da cigarrinha gerou uma economia de R$ 60 milhões para o setor sucroenergético, em dois anos. Além dos trabalhos de pesquisa em controle biológico, o instituto presta assessoria técnica para instalação e manutenção de biofábricas para produção dos patógenos. O IB já assessorou 42 biofábricas, do total de, aproximadamente, 50 existentes no Brasil.
Prestação de serviços
De 2014 a 2015, foram realizados pelo IB 422.492 diagnósticos de pragas e doenças, além de análises envolvendo resíduos de agrotóxicos em alimentos, solo e água. “Realizamos uma média de 580 exames por dia. Esses diagnósticos constituem uma ferramenta básica para ações dos órgãos de defesa, estadual e federal, com vistas a evitar a entrada ou a circulação de pragas dentro do País”, disse Batista Filho.
Exemplo é o trabalho do IB para garantir a sanidade de planteis avícolas para as doenças influenza aviária e laringotraqueíte, indispensáveis para o trânsito internacional, visando a exportação de material genético. No biênio 2014-2015, foram realizados 30.531 diagnósticos para influenza aviária e 21.038 para laringotraqueíte.
De acordo com a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), o Brasil é o maior exportador mundial de carne de frango e segundo maior produtor. Em 2015, o País exportou 4,3 milhões de toneladas de carne de frango, gerando uma receita de US$ 7,16 bilhões. Os materiais genéticos de frango exportados pelo Brasil, em 2015, produziram US$ 60,4 milhões de receita e São Paulo arrecadou US$ 53,6 milhões de com essas negociações. No caso dos ovos férteis, a receita do País foi de US$ 53,2 milhões e a de São Paulo, quase 23,7 milhões.
Para o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, esses resultados mostram a atuação fundamental do IB para garantir a sanidade animal e vegetal dos produtos brasileiros. “A questão fitossanitária é fundamental para o trânsito internacional de produtos. Além das pesquisas e prestação de serviços, o IB tem forte atuação na transferência de tecnologia e conhecimento para o setor produtivo, com foco, muitas vezes, no pequeno produtor. Isso está alinhado às diretrizes do governador Geraldo Alckmin”, afirmou.
Produção de insumos estratégicos
Além dos trabalhos de pesquisa e prestação de serviços, o IB produz insumos estratégicos para a agricultura e pecuária no Brasil. É o caso dos imunobiológicos, antígenos para diagnóstico da brucelose e tuberculose animal, que tem o objetivo de apoiar o Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal, coordenado Mapa. No biênio 2014-2015, o IB produziu 5,6 milhões de doses, utilizadas para a detecção das doenças em São Paulo, Paraná, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rondônia, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Tocantins, Ceará, Maranhão, Pará, Rio de Janeiro e Distrito Federal.
O IB também produziu e comercializou 7.905 litros do fungo Sporothrix insectorum, usado para o controle do percevejo-de-renda da seringueira, por produtores de São Paulo, Mina Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Tocantins. “Cerca de oito mil hectares de seringueiras foram tratados com o fungo do IB”, afirma Batista Filho.
Transferência de tecnologia e formação de recursos humanos
A transferência de conhecimentos e tecnologias é um braço da pesquisa científica. O IB tem forte atuação nesta área, com a realização de eventos, cursos e treinamentos, para apresentar ao setor tecnologias e pesquisa que podem melhorar a produção.
Um exemplo é o Programa de Sanidade em Agricultura Familiar (Prosaf), coordenado pelo IB, que transfere conhecimentos e gera tecnologias nas áreas de sanidade animal, vegetal e proteção ambiental para agricultura familiar paulista. No biênio 2014-2015, foram atendidas 869 pessoas pelo Prosaf. Os temas selecionados em cada treinamento são escolhidos por meio de demandas dos próprios produtores. No período, foram abordados, por exemplo, controle de carrapatos em bovinos, mastite, plantas aromáticas e medicinais, aquicultura, controle biológico e greening.
Em conjunto com o Ministério da Agricultura e a Coordenadoria da Defesa Agropecuária da SAA, também foi ministrado curso para habilitação de Engenheiros Agrônomos em diagnóstico fitossanitário.
Além dos eventos com foco nos produtores, o IB tem atuação direta com o público urbano, por meio do Planeta Inseto e Ciclos Econômicos Agrícolas. “Com esses programas, o público leigo pode conhecer melhor o instituto e aprender sobre a importância dos insetos para a vida no Planeta e como o café, cana-de-açúcar, seringueira e pau-Brasil contribuíram para o desenvolvimento econômico do Brasil”, explica Batista Filho. Os dois programas são gratuitos e realizados na Vila Mariana, em São Paulo. Em 2014 e 2015, o público atingido foi de 75 mil pessoas.
O instituto trabalha ainda na formação de recursos humanos, por meio do Programa de Pós-Graduação em Sanidade Segurança Alimentar e Ambiental no Agronegócio, em nível de mestrado e doutorado. No biênio 2014-2015, houve 93 alunos matriculados e 33 dissertações defendidas.
Por Fernanda Domiciano
Assessoria de Imprensa – APTA
(19) 2137-8933
imprensa@apta.sp.gov.br

Pin It

Notícias por Ano