Apta

Instituto Agronômico divulga maior censo varietal de cana já realizado no Brasil

O Instituto Agronômico (IAC) irá divulgar no próximo dia 22 de novembro, a partir das 9h, no Centro de Cana do IAC, em Ribeirão Preto, interior paulista, os resultados do maior censo varietal de cana-de-açúcar já realizado no Brasil. O Censo Varietal IAC, feito pelo Programa Cana IAC, levantou quais são as variedades plantadas em 6,1 milhões de hectares na região Centro-Sul do Brasil. O censo representa uma prestação de serviço a esse importante setor do agronegócio brasileiro, possibilitando adoções de estratégias que ampliem, por exemplo, a segurança biológica em áreas canavieiras. O objetivo do trabalho é mostrar para as empresas os riscos biológicos existentes na concentração varietal e também estimular os produtores a adotarem novas tecnologias varietais de maneira mais dinâmica.
A divulgação será feita durante a reunião do Grupo Fitotécnico da Cana. Também no mesmo evento, será entregue o Prêmio Excelência no uso de variedades de cana-de-açúcar no Centro-Sul às unidades produtoras que mais se destacaram no manejo de variedades de cana, na safra 2016/17. O Programa Cana IAC, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, avaliou essas usinas com base nas informações geradas pelo censo varietal.
O levantamento, iniciado em maio de 2016 e concluído em novembro, resultou em uma base de informação que é única no Brasil, segundo o pesquisador e líder do Programa Cana IAC, Marcos Guimarães de Andrade Landell. Os dados foram pesquisados junto a 217 unidades de produção, situadas nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Tocantins e Espírito Santo. A finalidade do Censo Varietal IAC é levantar informações de áreas de variedades, por estágio de corte, em todas as unidades produtoras de cana-de-açúcar, incluindo usinas, destilarias e associações de fornecedores do Brasil.
“O Censo Varietal IAC tem como objetivo atender à crescente necessidade de informação do setor sucroenergético, possibilitando aos participantes o acesso a importantes informações de todas as regiões produtoras de cana-de-açúcar do país”, explica Landell.
Para fazer a pesquisa, o Programa Cana IAC, que contou com a consultoria do pesquisador e estatístico Rubens Braga Júnior, assumiu um termo de compromisso assegurando que as informações não seriam usadas para fins comerciais, por exemplo, para a cobrança de royalties. De um universo de 8 milhões de hectares cultivados com cana-de-açúcar no Centro Sul brasileiro, 6,1 milhões responderam à pesquisa. No próximo ano, serão plantados 1 milhão de hectares de cana. Destes, o IAC levantou quais serão as variedades que serão plantadas em metade desta área – ou seja – foram recenseados 500 mil hectares da área a ser instalada em 2017.
Diante da pergunta “O que você pretende plantar”, as informações prestadas pelas unidades de produção permitiram traçar o perfil varietal que vem sendo mantido nas propriedades, tendo em vista os fatores de diversidade e modernidade das variedades adotadas. “Muitos plantam variedades antigas, sem incorporar tecnologia”, diz o pesquisador do IAC.
Vale ressaltar que o censo não tem a finalidade de mapear a adoção de variedades IAC, o que não impede Landell de afirmar que é crescente o plantio de materiais do Instituto Agronômico. Com este trabalho, a pretensão foi registrar informações precisas que sirvam de orientação ao setor em seus planejamentos de plantio.
O Programa Cana IAC recomenda que em uma área de produção, uma única variedade de cana-de-açúcar não represente mais do que 15% do total. A diversidade varietal é estratégica para garantir a segurança biológica e evitar que, em caso do ataque de praga ou doença severa, grande parte do canavial seja atingida, segundo Landell. Este aspecto é avaliado pelo chamado Índice de Concentração Varietal (ICV). Outro parâmetro considerado é o Índice de Atualização Varietal (IAV), que aponta se a variedade plantada é mais ou menos moderna. Para avaliar as empresas que receberão o Prêmio Excelência no uso de variedades de cana-de-açúcar no Centro-Sul, o Programa Cana IAC somou as notas considerando estes dois indicadores.
Segundo Landell, o Índice de Atualização Varietal é um indicador positivo na avaliação das propriedades, além de representar um incentivo a todos os programas de melhoramento genético de cana no Brasil. Além do IAC, a Rede Interuniversitária para o Desenvolvimento do Setor Sucroenergético (Ridesa) e o Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) mantêm esses programas no País.
Os nomes das empresas premiadas serão divulgados no dia 22 de novembro de 2016. “O Prêmio Excelência será concedido às unidades produtoras que mais se destacaram no uso de variedades mais modernas, ou seja, com expectativa de maiores produtividades e maior retorno econômico e, também que, concomitantemente, possuam grande diversidade no seu plantel varietal, garantindo a segurança biológica dos canaviais contra novas enfermidades que possam entrar no país”, explica.
As unidades de produção que participaram do Censo Varietal IAC, que contou com apoio da Bayer, Basf e Syngenta, participarão de sorteio envolvendo 17 pacotes tecnológicos do Programa Cana IAC.
A reunião do Grupo Fitotécnico, no dia 22, tratará do tema “Intenção de plantio 2016/17”. São esperados cerca de 300 participantes do setor sucroenergético do Brasil.
Serviço
Divulgação do Censo Varietal IAC
Data: 22 de novembro de 2016
Horário: a partir das 9h
Local: Centro de Cana do IAC – Anel Viário Contorno Sul, km 321, Ribeirão Preto, SP.

Pin It

Notícias por Ano