Apta

IEA prevê recorde de produção na safra paulista de amendoim

As condições de produção para a agricultura paulista presentes durante a safra 2013/14 impuseram ao produtor a difícil convivência com a seca severa que comprometeu o desenvolvimento de praticamente todas as culturas e atividades. Na safra 2014/15, os reflexos da seca e as condições de produção são distintos para culturas perenes e temporárias, afirma o Instituto de Economia Agrícola (IEA/Apta), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

O ano de 2010 marca o início de um período com produtividade média acima de 3 mil kg/ha, que se estende até 2013, quando chegou a 3.640 kg/ha, 43% superior à registrada em 2005. A série de ganhos foi interrompida na safra 2013/14, quando foi registrada queda de 17% na produção frente ao aumento de 11% na área plantada, resultado da seca que impôs retração na produtividade média, ficando em 2.721 kg/ha. “Esse panorama é construído a partir de resultados regionais distintos, que envolveram não só a intensidade e duração da seca, mas, também, o período de plantio. Isso porque, na cultura do amendoim, são adotados plantios escalonados e, na safra 2013/14, parte deles foi realizada entre setembro e outubro, outra de meados de outubro a novembro e um terceiro grupo no início de dezembro”, comenta Renata Sampaio, pesquisadora do IEA.

Assim, os resultados do plantio das águas, quando comparados com a anterior (safra 2012/13), apontam queda na produtividade média das principais regiões produtoras, aqui representadas pelos Escritórios Desenvolvimento Rural (EDRs) de Assis, com redução de 38%, Jaboticabal (-33%), Presidente Prudente (-29%), Tupã (-20%), Barretos (-14%) e Marília (-8). As previsões e estimativas para o plantio das águas 2014/15, quando comparadas aos resultados do ano anterior, apontam incremento de 24% na produtividade média, de 40% na produção e de 13% na área plantada. Dessa forma, a produção das águas alcança 367 mil toneladas de amendoim em casca, que, somadas às perspectivas do plantio da seca com produção em torno de 9 mil toneladas, resultará em 376 mil toneladas. Essa deve ser a maior safra paulista de amendoim desde os anos 1970 e, também, 60% superior à produção média anual da última década.

Nos últimos cinco anos, as exportações de amendoim descascado experimentaram um período de expansão, especialmente a partir de 2012, quando foram exportadas 62 mil toneladas. Esse volume superou em 21% o total registrado em 2010 e, em 2013, foram exportadas 80 mil toneladas, registrando aumento de 31% em relação ao ano de 2012. O bom desempenho alcançado nos anos de 2012 e 2013 foi interrompido em 2014, ano em que as exportações chegaram a 64 mil toneladas, que corresponde à retração de 21% em relação ao ano de 2013.

 

Mais informações:

Nara Guimarães
Assessora de Imprensa
Instituto de Economia Agrícola
Tel.: (11) 5067-0498
www.iea.sp.gov.br

Pin It

Notícias por Ano