cabecalho apta130219

IEA DIVULGA PREVISÃO DA ATUAL SAFRA AGRÍCOLA E O LEVANTAMENTO FINAL 2011/12

No conjunto de culturas, os índices das estimativas finais da safra 2011/12 mostram que a área total plantada apresenta aumento de 2,69% e a produção de 4,42%. A produtividade agrícola eleva em 3,16% o desempenho da agricultura paulista, indicando que o setor, nesta safra, obteve melhores resultados em termos da produção por área, comparativamente à safra 2010/11.
As previsões de área e produção de culturas no Estado de São Paulo, referentes à safra agrícola 2012/13, e às estimativas finais de 2011/12 foram obtidas em levantamento realizado em novembro de 2012, pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA/Apta) e pela Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Os dados foram obtidos a partir de informações fornecidas pelos técnicos das Casas de Agricultura, em cada um dos 645 municípios paulistas.
O levantamento da safra paulista de grãos 2012/13 (algodão, amendoim, feijão das águas, arroz, milho e soja) indica área total de plantio de 1,3 milhão de hectares, 0,6% superior à safra 2011/2012, que apresentou 1,29 milhão de hectares. Enquanto o volume de produção apresenta um acréscimo de 2,1%, no mesmo período, afirmam os pesquisadores José Alberto Angelo, Ana Maria Montragio Pires de Camargo, Carlos Roberto Ferreira Bueno, Denise Viani Caser, Felipe Pires de Camargo, Mário Pires de Almeida Olivette e Vera Lúcia Ferraz dos Santos Francisco.
Os dados para a cultura de algodão apontam uma diminuição de 23,4% em relação ao levantamento de intenção de plantio realizado no mês de setembro. Para a cultura do amendoim das águas, o levantamento indica que a área plantada permanece nos mesmos níveis da safra passada. Porém esperam-se acréscimos de 4,8% na produção pelo incremento da produtividade da ordem de 4,1%.
Quanto à cultura do arroz, embora os resultados apontem retração na área plantada, espera-se ganho de produtividade de 3,5%. Para a safra de feijão das águas, a área plantada é 7% inferior em relação ao levantamento de intenção de plantio de setembro. Na comparação com a safra anterior (2011/12), a diminuição de área é de 14%, com queda de 7% na produção, o que sinaliza para uma safra de 114,26 mil toneladas, com produtividade superior a 8,3%.
Os preços mais atrativos e a demanda elevada para exportações na safra anterior, não motivaram os produtores de milho a ampliar a oferta do cereal. A cultura apresenta reduções na área de 3,1% e na produção de 3,6%, comparativamente à safra passada.
Confirmando as previsões de intenção de plantio, a soja paulista apresentou boa recuperação na área, com expansão de 8,3% e melhor resultado na produção com 17,9% de crescimento, o que resulta em um aumento na produtividade de 8,9%, em relação à safra agrícola 2011/12. Sem explicar totalmente este comportamento, a diminuição do cultivo nos Estados Unidos e a participação da China como grande comprador da soja brasileira, favorecem a manutenção da demanda e das cotações do produto no mercado internacional.  
Quanto à batata das águas, os resultados indicam queda na área plantada de 21,6% e de 19,6% na produção, apesar do ganho de 2,6% da produtividade agrícola, em comparação a 2011/12.
A estimativa do primeiro levantamento da safra 2012/13 para o café no estado indica pequena expansão em área de 0,7%, em relação à safra agrícola anterior e decréscimos na produtividade de 11,9% e na produção de 11,1%, devendo colher 4,7 milhões de sacas. A safra 2013 dá inicio ao ciclo bienal da cafeicultura de baixa produção que poderá acentuar-se ainda mais, caso adversidades climáticas atinjam as lavouras.
Na bananicultura, o aumento na produtividade de 2,1%, em relação à safra passada, favoreceu a produção paulista que deverá ser maior em 3,2%, em uma mesma área plantada. Esse ganho de produção está relacionado às perdas ocorridas na safra passada, o próximo levantamento poderá confirmar tal tendência.
Resultados finais dA safra 2011/12
Analisando-se em separado, para as culturas anuais, houve acréscimo na área total cultivada (3,62%) e as condições climáticas adequadas refletiram em maior produtividade (5,03%). Em consequência, o volume produzido foi 8,83% superior ao ano agrícola anterior.
Quando se consideram somente os grãos, estes apresentam comportamento semelhante observando-se aumentos de 3,34% para a área, 5,55% para a produtividade e 9,08% para a produção. O índice com as culturas perenes e semiperenes foi maior que o da safra anterior, puxado pela boa produção do café, com aumentos de 2,45% de área total cultivada, de 3,17% na produtividade e de 3,74% na produção, relativamente à safra passada.
A estimativa final da safra de cana-de-açúcar indica que o volume produzido no campo de 424,7 milhões de toneladas foi 4,6% superior ao estimado em 2010/11, reflexo do aumento em 2,9% da produtividade (79,3 t/ha), devido às condições climáticas favoráveis. Em relação à área total cultivada, houve expansão de 3,5%, enquanto na área para corte, o aumento foi de 1,6%. O levantamento de campo mostrou também que na safra 2011/12 o volume de cana destinado à produção de álcool corresponde a aproximadamente 54% do total produzido e 43% para a produção de açúcar, percentuais similares aos da safra anterior. O restante da produção teve como destino destilarias e alambiques paulistas e outros usos como caldo de cana por exemplo.
A produção paulista de laranja para a safra 2011/12 (ano agrícola 2012/13) foi estimada em 355,3 milhões de caixas de 40,8 kg, volume 7,7% inferior ao obtido na safra ante¬rior, principalmente, por conta de fatores climáticos, como a baixa precipitação na época do pegamento, o que reduziu a quantidade de frutos por planta da primeira florada. Outro motivo bastante significativo é a maior incidência de doenças que vêm acometendo os pomares, como a pinta-preta, o cancro cítrico e o greening, provocados tanto pelos fatores climáticos ocorridos no início de 2012 como pela falta de investimento nos tratos culturais, pois os produtores se preocuparam com o escoamento da atual safra.
Esta última pesquisa para a laranja, levada a campo em novembro de 2012, mostra indícios de que 67% do volume colhido teve como destino as indústrias processadoras de suco enquanto os demais 33% foram para o mercado de fruta fresca. O levantamento também indica que, aproximadamente, 2% dos pés existentes foram renovados e 6% erradicados.
Os resultados das Previsões e Estimativas das Safras Agrícolas 2012/13 e o Levantamento Final 2011/12, encontram-se disponibilizados para o Estado, por Escritório de Desenvolvimento Rural (EDR) e por Região Administrativa (RA).
Clique aqui para ler o artigo na íntegra e consultar as tabelas

Mais informações:
Nara Guimarães
Assessora de Imprensa
Instituto de Economia Agrícola
Tel.: (11) 5067-0498
www.iea.sp.gov.br

Pin It

Notícias por Ano