cabecalho apta130219

IEA divulga estimativa preliminar do VPA por região

A estimativa preliminar do Valor da Produção Agropecuária (VPA) do estado de São Paulo em 2014, calculado sem considerar os produtos florestais, foi de R$ 56,9 bilhões, informa o Instituto de Economia Agrícola (IEA/Apta) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Os EDRs que apresentaram os cinco maiores VPAs foram: Barretos, São João da Boa Vista, Orlândia, Presidente Prudente e Itapeva.
Os seis EDRs onde a cana-de-açúcar não se sobressai são os que não apresentam características mínimas que favoreçam seu cultivo ou apresentam características organizacionais produtivas mais competitivas para outras atividades. No EDR de São Paulo, na produção agropecuária predominam o cultivo da banana e a exploração leiteira, que se concentra no município de Peruíbe, notadamente na Serra do Mar e, como registrado acima, é o EDR de menor VPA, afirmam José Roberto da Silva, Paulo Coelho, Denise Caser, Carlos Bueno, Eder Pinatti e Danton Bini, pesquisadores do IEA. O EDR de Mogi das Cruzes, apresenta o segundo menor VPA e desenvolve predominantemente atividades de produção de frutas e hortaliças, ocupando lugar de destaque no cinturão verde da cidade de São Paulo. No EDR de Guaratinguetá, a cana-de-açúcar também não figura entre os cinco principais, reflexo da topografia, de estar inserida em importante bacia leiteira e de ser um dos dois EDRs onde a cultura do arroz aparece entre os cinco primeiros VPAs. A produção de arroz irrigado no Vale do Paraíba é muito antiga e, portanto, a Região tem instalada importante infraestrutura para essa atividade, inclusive agroindustrial. O EDR de Registro também não apresenta condições favoráveis ao cultivo da cana-de-açúcar.
Os cinco menores VPAs do estado foram os dos EDRs de Fernandópolis, Guaratinguetá, Pindamonhangaba, Mogi das Cruzes e São Paulo, sendo que, desses, a cana-de-açúcar só aparece no de Fernandópolis, em primeiro lugar, mas este é o EDR em que o VPA da cana-de-açúcar adquire o menor valor. Produtos olerícolas só aparecem entre os cinco maiores VPAs nos EDRs de menor VPA, o de São Paulo e o de Mogi das Cruzes. No de São Paulo destacam-se alface, repolho e mandioca para mesa, no de Mogi das Cruzes destacam-se alface, cenoura e beterraba, produtos típicos do chamado cinturão verde. O EDR de Sorocaba, que se encontra na 17ª posição, considerando o ranking dos 40 EDRs em termos de VPA, é o único dos de maior VPA em que aparecem produtos olerícolas entre os cinco maiores VPAs, no caso, alface em primeiro lugar, beterraba em segundo e cenoura em quinto. Constata-se a incorporação desse EDR ao cinturão verde.
Os decréscimos de VPA mais significativos foram registrados nos EDRs de Itapeva (-23,1%), Lins (-11,9%), Jaboticabal (-11,8%), Mogi das Cruzes (-10,5%) e Catanduva (-9,4%).
Os EDRs que apresentaram os maiores acréscimos do VPA foram os de Registro, por conta da elevação do VPA da banana, de Bauru, por causa da elevação dos VPAs de todos os seus principais produtos (cana-de-açúcar, carne bovina, laranja para indústria, laranja para mesa e carne de frango), e de Franca, puxado pelo aumento desses mesmos produtos e mais o aumento do VPA do café beneficiado, que ocupa lugar de destaque nesse EDR e cujos preços tiveram expressiva elevação no período.
A severa e atípica estiagem que vem ocorrendo na Região Sudeste do país durante todo o ano de 2014, em curso, pode ser responsabilizada por esse comportamento errático do VPA dos diversos produtos e regiões do estado, seja por elevações expressivas no preço de alguns produtos, seja por queda ou elevação da produção.
Para ler o artigo completo e conferir os dados por Região Administrativa, clique aqui.
 
Mais informações:
Nara Guimarães
Assessora de Imprensa
Tel: (11) 5067-0498
Pin It

Notícias por Ano