cabecalho apta130219

Exportações do agronegócio paulista crescem 17,5%, para US$ 17,39 bi, no período janeiro-setembro

As exportações do agronegócio paulista cresceram 17,5% até setembro, para US$ 17,39 bilhões, em relação aos primeiros nove meses de 2010, de acordo com o Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento. Porém o saldo comercial aumentou apenas 6,3%, para US$ 9,63 bilhões, já que as importações subiram bem mais (35,0%) para US$ 7,76 bilhões.
As importações paulistas nos demais setores (sem considerar o agronegócios) somaram US$ 54,14 bilhões, para exportações de US$ 26,90 bilhões, gerando um déficit externo desse agregado de US$ 27,24 bilhões. “Assim, o comércio exterior paulista seria bem mais deficitário não fosse o desempenho dos agronegócios estaduais”, concluem os pesquisadores José Sidnei Gonçalves e José Roberto Vicente.
As cadeias de produção apresentaram saldos comerciais crescentes no período janeiro-setembro, de US$ 10,15 bilhões (2010) para US$ 11,60 bilhões (2011). Esses indicadores são menores quando se considera toda a amplitude das transações setoriais, cujo saldo avança de US$ 9,05 bilhões nos primeiros nove meses de 2010 para US$ 9,63 bilhões em igual período de 2011, dizem os analistas do IEA.
Apesar de esse resultado, o déficit na balança comercial de bens de capital e insumos aumentou de US$ 1,10 bilhão, em 2010, para US$ 1,97 bilhão em 2011, observam os pesquisadores. “Os bens de capital e insumos são fundamentais para a modernidade da produção nacional, notadamente os fertilizantes nos quais têm elevada dependência externa. Entretanto, na maioria das vezes não são considerados nas análises do comércio exterior setorial, levando a saldos superestimados.”
Os cinco principais agregados de cadeias de produção nas exportações do agronegócio paulista, no período janeiro-setembro, foram a cana/sacarídeas (US$ 7,77 bilhões); bovídeos/bovinos (US$ 2,17 bilhões); frutas (US$ 1,76 bilhão); produtos florestais (US$ 1,71 bilhão); e cereais/leguminosas/oleaginosas (US$ 885,49 milhões). Esses cinco agregados representam 82,24% das vendas externas setoriais paulistas.
Na comparação com o mesmo período de 2010, a análise aponta crescimento das exportações paulistas de olerícolas (88,27%); de café e estimulantes (52,23%); de fumo (49,92%); de suínos e aves (35,38%); de cereais/leguminosas/oleaginosas (32,82%); de frutas (30,20%); de cana e sacarídeas (15,29%); de produtos florestais (14,60%); de bens de capital e insumos (14,08%), agronegócios especiais (11,24%); bovídeos/bovinos (5,81%) e flores e ornamentais (3,40%). Houve redução apenas em têxteis (-6,96%) e em pescado (-16,83%).
A participação das exportações do agronegócio paulista no total das vendas externas do Estado recuou em 0,1 ponto percentual nos primeiros nove meses do ano. Já a participação das importações aumentou em 0,9 ponto percentual, na comparação com o mesmo período de 2010.
Link: íntegra da análise 
Assessoria de Comunicação da APTA
José Venâncio de Resende
Eliane Christina da Silva/Camila Amorim (estagiárias)
(11) 5067¬0424

 

Pin It

Notícias por Ano