cabecalho apta130219

Especialistas discutem propostas para o clima, água e sustentabilidade durante 28ª Reunião Anual do Instituto Biológico

A crise hídrica que o Estado de São Paulo atravessa afeta todas as áreas da cadeia produtiva. Com as secas dos últimos meses, ficou claro que o aquecimento global é uma realidade que necessita de atenção, principalmente, pelos problemas causados na agricultura quanto à produtividade. Sob o tema “Água e Sustentabilidade”, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do Instituto Biológico (IB), da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), realizará em São Paulo, entre os dias 9 e 12 de novembro, sua 28ª Reunião Anual do Instituto Biológico (RAIB). O evento irá apresentar e discutir as recentes descobertas científicas relacionadas ao clima, água e sustentabilidade. 
Uso racional da água na agricultura
O coordenador da 28ª RAIB, engenheiro agrônomo e pesquisador, José Eduardo Marcondes Almeida, aponta alguns métodos que podem trazer uma maior economia e baixo consumo de água na agricultura. Segundo ele, técnicas de manejo integrado ou ecológico, com controle biológico de pragas, doenças e até plantas daninhas, representam a base para a manutenção e uso correto da biodiversidade. Para Almeida, essas práticas fazem com que a água seja preservada e até mesmo produzida, além de minimizar quase que por completo, a contaminação de lençol freático ou de mananciais por produtos de natureza química.
O pesquisador aponta para alternativas viáveis quanto ao uso racional da água na agricultura, entre elas, a aplicação de sistemas de irrigação inteligentes, equipamentos para o controle de pragas e doenças que não consomem ou usam baixas quantidades de águas, formulações não aquosas de defensivos e, principalmente, o uso de técnicas sustentáveis para a fitossanidade. “O reflorestamento de mananciais e áreas degradadas também são fundamentais para a produção e preservação de água e biodiversidade, tornando a agricultura uma parceira dessas medidas e não uma concorrente”, explica.
Um estudo realizado pela Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento da APTA em Sorocaba e o IB indica que a redução do uso de água nas pulverizações para o controle das principais doenças dos citros provocadas por fungos, pode ocasionar uma economia de até quatro vezes o volume de água utilizado nas pulverizações. Isso sem que a eficácia dos tratamentos seja comprometida.
Segundo o pesquisador e especialista em fitopatologista, da APTA de Sorocaba, Eduardo Feichtenberger, essa prática contribui também para minimizar os danos provocados pelos agrotóxicos ao ambiente, tanto no solo, proveniente do acúmulo de produtos tóxicos, como na atmosfera. Feichtenberger estará na 28ª RAIB, durante a mesa-redonda sobre o “Uso Consciente da Água na Citricultura com Ênfase na Sanidade”, dia 10 de novembro, às 9 horas.
Para o Secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, a programação da 28ª RAIB vem ao encontro das demandas atuais destacando a questão da crise hídrica que tem sido uma das prioridades do governador Geraldo Alckmin. Ressalta, ainda, a preocupação na diminuição da população das abelhas, fundamentais na polinização e outros aspectos da cadeia do mel, lembrando que a Secretaria de Agricultura possui, em Pindamonhangaba, um Laboratório moderno e com equipe capacitada para atendimento ao setor. 
RAIB: Um legado de quase 30 anos
O diretor-geral do IB, Antonio Batista Filho, fala sobre a importância da RAIB para a difusão de informações na educação ambiental. Segundo ele, o encontro é indutor de projetos e apresentações de temas inovadores, que com o passar dos anos, está ampliando a participação do público externo nas reuniões.
“A RAIB reúne oportunidades de interação entre profissionais do agronegócio, produtores, pesquisadores e professores, estudantes de iniciação científica e pós-graduação, e serve como valiosa troca de experiências. Reunimos temas atuais que cumprem com a nossa missão de divulgar o conhecimento, nas áreas de sanidade animal, sanidade vegetal, proteção ambiental, pragas urbanas, educação ambiental e museologia (Centro de Memória do IB)”, explica Batista.
Já para a diretora do Centro de Sanidade Animal do IB, a médica veterinária e pesquisadora científica, Josete Garcia Bersano, a expectativa para a 28ª RAIB é a melhor possível. “Neste ano, os temas a serem discutidos vêm ao encontro das necessidades atuais de toda a sociedade e promete grandes debates e riqueza na transferência de conhecimentos. Como as reuniões anteriores, têm a marca registrada do IB e está a cargo de uma comissão organizadora de excelência”, comenta Bersano, que coordenou a RAIB em sua edição anterior.
Sobre o Instituto Biológico 
A palavra-chave do Instituto Biológico é Sanidade. Sua missão é desenvolver e transferir conhecimento científico e tecnológico para o negócio agrícola nas áreas de sanidade animal e vegetal, suas relações com o meio ambiente, visando a melhoria da qualidade de vida da população.
Seu grande desafio como instituição, hoje, é aliar um histórico de contribuições a um presente que exige excelência e prontidão de resposta a uma sociedade em profunda transformação, com alteração no perfil do controle das pragas e doenças, com interferência de fatores relacionados ao modelo de desenvolvimento econômico, às alterações ambientais, às migrações e ao intercâmbio internacional.
O Instituto Biológico oferece soluções significativas para o agronegócio e as transfere para o segmento produtivo. Contribui da melhor maneira para o desenvolvimento, a redução dos custos de produção, a inclusão social e a preservação ambiental, colaborando para o bem-estar da população.
Serviço
28º Reunião do Instituto Bilógico (RAIB)
Local: Instituto Biológico
Endereço: Avenida Conselheiro Rodrigues Alves, 1252 – Vila Mariana – São Paulo/SP
Data: 9 a 12 de novembro de 2015
Horário: 9h às 17h
Site: http://www.biologico.sp.gov.br 
Por Bruno Bersano – Mtb 37.003-SP
E-mail: bruno.bersano@bersano.com.br

Pin It

Notícias por Ano