Apta

Curso aborda produção de água e recuperação de nascentes no setor sucroalcooleiro

Capacitar produtores de cana-de-açúcar e profissionais de níveis médio e superior ligados ao setor, nas áreas de agricultura, ecologia e especialmente recursos hídricos, para a produção de água. Este é o objetivo do “Curso extensivo de produção de água e de recuperação e preservação de nascentes para o setor sucroalcooleiro” que acontecerá no período de 5 a 8 de outubro em Campinas (SP). O conceito que baliza a iniciativa é de que “quem produz água é o meio rural”.
O curso será realizado pelo Instituto Agronômico (IAC-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, com o apoio da Fundação de Apoio à Pesquisa Agrícola (FUNDAG). E vai promover a capacitação por meio de apresentação, estudo e discussão de práticas que devem ser executadas no meio rural para promover a captação, conservação e melhor aproveitamento da água na propriedade rural, bem como das práticas de conservação e recuperação das nascentes e demais mananciais hídricos.
O pesquisador do IAC Rinaldo de Oliveira Calheiros, que é o coordenador do curso, aborda a questão de dois ângulos diferentes, porém complementares. “Na maior parte das bacias hidrográficas dos estados mais populosos do país a escassez de água é um problema grave e que piora a cada ano.” Nesses estados, “a disposição para um conflito se agrava ainda mais porque já há um enorme consumo dos outros usos – setor industrial (excetuando-se a agroindústria) - e do mais nobre que é o doméstico”. 
O problema da escassez de água não tem sido devidamente valorizado e é muito mais sério do que se pode imaginar, alerta o pesquisador do IAC. Já se fez muito para resolver o problema, mas ainda se está longe de alcançar resultados modificadores significativos, em função do enorme passivo ambiental-hidrológico já instalado, diz ele.
Por sua vez, a cultura de cana-de-açúcar envolve o plantio de grandes áreas, observa Calheiros. E no âmbito do “agricultor do setor sucroalcooleiro pouco ainda se discute sobre as verdadeiras causas do problema e, muito menos ainda, de forma sistemática, na linguagem adequada, com conteúdo e com capacidade de sensibilização e, por fim, de capacitação”.
Para o pesquisador do IAC, a produção de açúcar e álcool é tida como uma das mais impactantes em relação às águas subterrâneas, dadas às aplicações de defensivos agrícolas, herbicidas e principalmente vinhaça. Além disso, o setor é considerado como um dos que menos respeita as APPs (Áreas de Proteção Permanente) ligadas aos corpos d´água superficiais.
Segundo Calheiros, a valorização do etanol pressionou ainda mais o setor produtivo. Ganharam força as teses de que a cana-açúcar vem desalojar e/ou reduzir a área de produção de grãos e outros alimentos e de que consome mais água com a expansão da área produtiva, bem como contamina ainda mais as águas subterrâneas.
Por isso, o pesquisador do IAC considera que o curso vem ao encontro dos interesses do produtor, de usinas, cooperativas e demais organizações ligadas ao setor sucroalcooleiro. Isto porque possibilita “a reversão não só dos possíveis impactos ambientais já promovidos como também do possível auto-estrangulamento produtivo da escassez de água e, ainda, da imagem do setor perante a sociedade quanto à preservação dos recursos naturais”.
O conteúdo do curso será dividido em quatro tópicos centrais:
- Contextualização e conscientização para a problemática da contaminação das águas pelo setor sucroalcooleiro e da escassez hídrica nas principais bacias hidrográficas do país.
- Conceitos e práticas para a produção de água na área de cultivo de cana dentro do âmbito de uma bacia hidrográfica.
- Preservação e recuperação de nascentes.
- Práticas vegetativas conservacionistas no entorno do corpo d´água e cuidados específicos na interface cultura da cana/APP.
- Assuntos especiais: remuneração do agricultor-produtor de água; uso racional da vinhaça; legislação e proteção a APPs – procedimentos de autorização de intervenção; critérios e metodologia no cálculo de disponibilidade hídrica para efeito de outorga; metodologia de estudo e adequação de uma área de cana para a produção de água.
Link: Programação completa e outras informações 
Assessoria de Comunicação da APTA
José Venâncio de Resende
(11) 5067-0424
Acompanhe a Secretaria de Agricultura:
www.agriculturasp.blogspot.com
www.twitter.com/agriculturasp
www.youtube.com/agriculturasp

Pin It

Notícias por Ano