cabecalho apta130219

Como é o cotidiano de trabalho dos insetos no único jardim zoológico do tipo no Brasil

O Planeta Inseto do Instituto Biológico oferece a oportunidade para crianças e jovens verem de perto uma enorme variedade de insetos – sem perigo algum de serem picadas. O espaço abriga oito colmeias de abelhas, baratas praticando corrida, lagartas tecendo fio de seda, formigas trabalhando em um sistema organizado e insetos que se assemelham a gravetos.

A exposição Planeta Inseto disponibiliza ao público 25 atrações. De forma lúdica e interativa, o público recebe informações sobre o quanto os insetos estão presentes no cotidiano e sua importância para o ambiente, a produção de alimentos e a saúde humana.

O “Espaço da Entomologia Médica” mostra as características dos insetos, assim como intensificar ações para combater o vírus transmitido pelo Aedes aegypti, ensinando como eliminar seus criadouros, sejam os focos de água parada e limpa, no caso do Aedes, ou suja, para o pernilongo, assim como o barbeiro, outro inseto transmissor de doenças.

Monitores foram treinados para ensinar os visitantes, em sua grande maioria crianças e professores, a encontrar possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti entre pneus, garrafas e uma caixa d'água destampada. Entrada gratuita.

No Planeta Inseto os visitantes podem ver de perto Colmeias em plena atividade, com suas abelhas produzindo mel, lagartas tecendo o fio da seda, que será utilizado em nossas roupas, formigas trabalhando em um sistema social organizado e cupins reciclando material orgânico, entre muitas outras atrações.

Conheça algumas curiosidades dos bastidores:
• As baratas que participam da corrida são trocadas entre os turnos da manhã e tarde para evitar o desgaste e para que possam descansar, se alimentar e hidratar;
• Em dias frios, as salas de criação ganham aquecedores para manter a criação ambientada e os insetos receberem um maior conforto, já que eles não geram calor próprio como aves e mamíferos;
• A sala das formigas possui ar-condicionado para manter a temperatura da sala semelhante com a temperatura debaixo do solo;
• As larvas do bicho da seda são alimentadas 2 a 3 vezes ao dia, tanto na exposição quanto na criação;
• As fases iniciais das larvas do bicho da seda são criadas em estufas, para que possam crescer bonitas e fortes para serem apresentadas na exposição.
O Museu do Instituto Biológico fica aberto de terça a domingo, entre 9h e 16h, com entrada gratuita. Visitas de grupos devem ser agendadas com antecedência pelo telefone (11) 2613-9500. O endereço é Avenida Doutor Dante Pazzanese, 64 – Vila Mariana, São Paulo.

Por: Adriana Luiza.

Pin It

Notícias por Ano