cabecalho apta130219

Combate à aftosa terá ações conjuntas entre Brasil e Paraguai

O secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Inácio Kroetz, informou nesta terça-feira (15/05), que o Brasil já iniciou trabalho conjunto com o Paraguai para combate à febre aftosa nos dois países. Além da coincidência de datas de vacinação dos rebanhos bovinos do Mato Grosso do Sul, Paraná e do Paraguai, foi acertada a harmonização de ações que incluem vacinação assistida,controle do trânsito de animais nas fronteiras e a atualização dos cadastros de propriedades. Este último deverá estar concluído até novembro próximo. Ao falar na audiência pública da Comissão de Agricultura, Pecuária, abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados, o secretário adiantou que essas ações serão implementadas com recursos do Fundo para a Convergência Estrutural e Fortalecimento das Instituições do Mercosul (Focem), da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e do Banco Mundial (Bird). Kroetz explicou também que o Orçamento Geral da União prevê, para este ano, R$ 294 milhões para defesa sanitária e fitossanitária em todo o país. "Até o momento foram liberados R$ 172 milhões, incluindo os R$ 25 milhões, repassados recentemente, por Medida Provisória, ao estado do Mato Grosso do Sul". Desse total, R$ 102 milhões irão para a defesa animal. O restante (R$ 70 milhões), será aplicado em defesa vegetal, custeio e em repasses aos estados. O secretário reconheceu que os recursos "estão muito aquém do necessário, considerando a importância do agronegócio brasileiro". Segundo ele, se faltar dinheiro da União caberá aos estados desembolsá-los e buscar ajuda de fundos públicos e privados. Kroetz fez uma detalhada exposição dos programas que o Mapa vem desenvolvendo para controle e erradicação de doenças como aftosa, brucelose, tuberculose e pragas como as moscas-das-frutas, a Sigatoka Negra e Cancro Cítrico, entre outras
Pin It

Notícias por Ano