cabecalho apta130219

Combate a doenças animais: Instituto Biológico produziu 40 mil análises até julho

O Laboratório de Viroses de Bovídeos (LVB) e o Laboratório de Diagnóstico Molecular, do Instituto Biológico (IB-APTA) vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento, produziram, no período janeiro-julho, 40.000 análises, atendendo  grande parte da demanda nacional por serviços certificados. Isto foi possível porque o IB é hoje o mais completo Centro de Diagnóstico da Área Animal do Brasil, de acordo com a pesquisadora  Maristela Pituco. “São Paulo oferece ótimas condições ao crescimento do agronegócio. O estado possui boa infraestrutura, logística moderna, capital humano qualificado e centros de conhecimento e pesquisas.”
O estado investiu na modernização dos dois laboratórios com o objetivo de aumentar a capacidade de realização de análises e certificação sanitária de produtos de origem animal. Assim, é possível acompanhar as mudanças mundiais e enfrentar novos desafios dos mercados cada vez mais exigentes em termos de saúde animal, segurança do alimento e adequação sócio-ambiental da produção,  diz Pituco.
Estas ações deram ao IB a garantia da qualidade dos exames, com reconhecimento nacional e internacional, explica a pesquisadora. Consequentemente, propiciaram a abertura de novos mercados e benefícios ao setor pecuário, melhorando assim a produção de proteína animal, demanda que aumenta diariamente.
De acordo com Pituco, o IB busca ferramentas de diagnóstico e soluções de conhecimento em pontos múltiplos de intervenção em todo o processamento de proteína animal para as necessidades ainda não atendidas. “Temos a certeza de que a ciência avançada, equipamentos de última geração, pessoal altamente qualificado, vigilância sanitária e parcerias resultarão na criação sadia e eficiente de animais de produção e seus derivados.”
A reforma teve o objetivo, também, de  adequar o laboratório às normas exigidas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), resultando no credenciamento para realização de análises para diagnóstico sorológico de Febre Aftosa, Estomatite Vesicular e Língua Azul, bem como pleitear acreditação no Inmetro segundo norma ISO 17025. “Nossa intenção é seguir em frente”, diz Pituco. O próximo passo será o de finalizar o laboratório de biossegurança nível 03 (NB3), que possui estrutura física com capacidade para evitar escape de agentes infecciosos, com vistas à garantia de manipulação segura de agentes causadores de importantes doenças animais.
Este será o único laboratório em São Paulo na área animal, devendo permitir a continuação de diagnósticos que foram paralisados pela falta dessa área biocontida, informa a pesquisadora. “Os recursos do Programa Risco Sanitário Zero estão garantindo a continuidade das ações do IB, na área de diagnóstico laboratorial, fundamental para ajudar os produtores rurais, dar suporte a veterinários e apoio em todos os Programas Sanitários do Estado e do país, para aumentar a eficiência e melhorar os resultados.”
Outras informações podem ser obtidas pelo e-mail pituco@biologico.sp.gov.br.
Assessoria de Comunicação da APTA
José Venâncio de Resende
Camila Amorim/Eliane Christina da Silva (estagiárias)
(11) 5067-0424

Pin It

Notícias por Ano