cabecalho apta130219

Cana é o destaque do seguro rural subvencionado em São Paulo

A cana-de-açúcar foi o destaque entre os 38 produtos segurados no Estado de São Paulo em 2008, dentro do programa de subvenção ao prêmio do seguro, com 29,64% do total do capital segurado de R$961,85 milhões, ou seja, R$ 285,11 milhões, segundo estudo da pesquisadora Rejane Cecília Ramos, do Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento. Logo depois, aparecem a soja (15,16% do capital segurado), milho (10,54%), tomate (10,51%), uva (9,03%), caqui (6,31%), floresta (5,72%) e laranja (2,62%).
Quanto à área, foram segurados 458.683hectares (um acréscimo de 132% em relação ao ano de 2007, que foi de 197.754 hectares), informa Ramos. Desse total, coube 36,68% à cultura da cana-de-açúcar; 28,67% à soja; 14,51% ao tomate; 2,61% a florestas; 2,47% ao caqui; 2,41% ao milho; 1,9% ao milho safrinha; 0,81% à uva e 0,29% à laranja.
Em 2008, o capital segurado no Brasil foi de R$7,21 bilhões, 166,4% maior que o de 2007 (R$2,71 bilhões), diz a pesquisadora. Foram atendidos 43.642 produtores, 56,73% a mais do que em 2007. A área segurada foi de 4,76 milhões de hectares, 109% maior do que em 2007 (2,276 milhões de hectares). No ano passado, esta área representou 7,80% do total da área plantada (61,05 milhões de hectares), contra 3,84% em 2007, de acordo com o IBGE.
“O valor subvencionado ao prêmio foi de R$157,54 milhões em 2008, 158% maior do que em 2007 (R$60,96 milhões), demonstrando que o Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural vem cumprindo com seu objetivo, de fazer com que os produtores rurais cada vez mais se conscientizem da idéia de que o seguro rural é o melhor instrumento para proteger sua atividade agropecuária, reduzindo os riscos e mantendo–os no campo”, observa Rejane Ramos.
Subvenção estadual
Os governos dos Estados de São Paulo e de Minas Gerais subvencionam seus produtores rurais complementarmente à subvenção federal, lembra a pesquisadora do IEA. “Em São Paulo, o produtor recebe 50% de subvenção do valor do prêmio não subvencionado, limitado ao valor de R$24.000,00, para todas as culturas previstas no Decreto no 53.578, de 20 de outubro de 2008. Em Minas Gerais, o produtor recebeu 25% de subvenção para as culturas do grupo I (feijão, milho segunda safra e trigo), grupo II (algodão, arroz, milho, soja e sorgo) e 20% para o café sobre o valor do prêmio, limitado ao valor de R$16,0 mil por grupo.”
O Estado do Paraná ficou em primeiro lugar entre as Unidades da Federação, com 28% do valor da subvenção (R$44,70 milhões), seguido do Rio Grande do Sul, com 16,5% (R$25,96 milhões); de São Paulo, com 11,9% (R$18,80 milhões); Santa Catarina, com 10% (R$15,84 milhões); Goiás, com 9,43% (R$14,86 milhões); e Minas Gerais, com 9,7% (15,30 milhões).
Santa Catarina apresentou melhor distribuição entre as culturas seguradas, sendo que 93,56% do capital segurado (R$516,16 milhões) ficaram com a maçã (30,95%). Em seguida, aparecem cebola (20,44%), arroz (14,80%), milho (11,37%), soja (8,35%), trigo (3,9%) e tomate (3,75%). Já em Roraima foram feitas nove operações com florestas numa área de 25.107hectares e uma importância segurada de R$29,99 milhões. E tanto em Rondônia quanto no Acre foram feitos apenas operações de seguro com pecuária.
Assessoria de Comunicação da APTA
José Venâncio de Resende
(11) 5067-0424
Acompanhe a Secretaria de Agricultura no Twitter

Pin It

Notícias por Ano