cabecalho apta130219

Brasil produz 53 milhões de toneladas de soja

O Brasil é o único entre os maiores produtores mundiais de soja que tem capacidade de expandir sua área plantada e, consequentemente, aumentar sua produção podendo, desta forma, alcançar o primeiro lugar como produtor mundial. Parcela importante O complexo soja é responsável por 21% de tudo que é exportado pelo agronegócio demonstrando a importância que a soja tem para um balanço positivo no saldo da balança comercial brasileira. O complexo soja é formado por soja em grãos, óleo de soja bruto, óleo de soja refinado, farelo de soja e demais óleos e derivados do óleo. De toda soja exportada, 56,4% é exportada na forma de grãos; 30,2% como farelo de soja; 10,8% como óleo de soja bruto; e 2,6% como óleo de soja refinado. A exportação de mais de 50% de seu produto na forma de matéria-prima, deixando com isso de agregar valor ao produto, faz com que o Brasil perca em divisas para o país. Considerando que a capacidade produtiva brasileira será ampliada nos próximos anos país deverá se adequar a essa nova realidade. Atualmente, o parque de indústrias esmagadoras conta com uma parte ociosa que poderia ser melhor utilizada com parte do grão que é exportado. Com uma cadeia produtiva organizada e eficiente, distribuída por todo o país, a soja deve ser uma das principais opções de matéria-prima na produção de biodiesel. A soja responde por 90% da produção de óleo vegetal no Brasil. Isso significa que a indústria processadora brasileira é fortemente amparada pela cultura da soja tornando-a uma cultura promissora para contribuir na produção de biodiesel. A restrição da soja na sua utilização na produção de biodiesel é em relação ao baixo conteúdo de óleos em seus grãos. A soja possui um teor de óleo que varia de 18% a 22% (teor médio de 20%). O rendimento de óleo por hectare da cultura da soja, considerando um teor médio de 20%, dependerá portanto do rendimento de grãos por área, sendo de 400 a 800 kg numa lavoura que produz de 2.000 a 4.000 kg/ha, respectivamente. Dois aspectos fundamentais que devem ser considerados na utilização da soja na produção de biodiesel são a logística e a tributação. A logística deverá levar em conta a região e a localização das indústrias esmagadoras e produtoras de biodiesel e a distância do mercado consumidor. Pelas regras tributárias atuais, o biodiesel proveniente de soja será tarifado em R$ 0,07/litro, se proveniente de agricultura familiar, e R$ 0,22 se proveniente de agricultura intensiva. Tal tributação pode representar desvantagem competitiva para o biodiesel frente ao diesel de petróleo. O complexo soja poderia impulsionar a indústria de biodiesel redirecionando parte do grãos exportados para a indústria esmagadora, agregando desta forma valor ao produto, seja este exportado na forma de biodiesel ou do farelo resultante do processamento dos grãos. Em resumo, a soja será umas das principais culturas na produção de biodiesel ajudando a estruturar essa indústria no início do projeto podendo vir a ser substituída por outras oleaginosas mais viáveis economicamente durante o processo de estabelecimento deste novo mercado. Rita Maria Alves de Moraes, pesquisadora Embrapa Trigo rita@cnpt.embrapa.br(fonte: Jornal de Beltrão)
Pin It

Notícias por Ano