Apta

Arnaldo Jardim destaca os avanços da Citricultura, em Cordeirópolis

O secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, participou da abertura da 38ª Semana da Citricultura, realizada no Centro de Citricultura “Sylvio Moreira”, do Instituto Agronômico (IAC), em Cordeirópolis, no dia 6 de junho de 2016. O titular da Pasta destacou as iniciativas promovidas pelo IAC para incentivo e desenvolvimento do setor citrícola.
Dentre as ações da Pasta, Arnaldo Jardim ressaltou o programa Citricultura Nota 10, uma parceria entre o Centro de Citricultura com pequenos e médios produtores para disponibilizar cerca de 60 variedades de citros selecionadas pelo programa de melhoramento genético do IAC, e transferir conhecimento de manejo dos pomares. “A Secretaria, por meio do nosso instituto, tem desenvolvido pesquisas para aumentar a qualidade e a produtividade. O governador Geraldo Alckmin nos orienta a sempre contribuir para aumentar a produtividade, por meio de incentivo a pesquisa e inovação”, ressaltou.
Arnaldo Jardim destacou a importância da parceria entre o setor produtivo e as pesquisas do Centro de Citricultura, principalmente com biotecnologia. Na unidade de pesquisa do IAC, em Cordeirópolis, o Laboratório de Biotecnologia trabalha desde 1991 com pesquisas para desenvolvimento de laranja geneticamente modificada, resistente a pragas e segura para consumo, principalmente baseada em cisgenia, que, diferentemente da transgenia, usa genes da mesma espécie, ou seja, de citros.
Para o secretário, esse conceito de engenharia genética será necessário para combater a ameaça de doença na plantação. “A inovação tecnológica é fundamental para o desenvolvimento de novas cultivares, proporcionando ao produtor ferramentas para aumentar a produtividade e garantir a saudabilidade dos alimentos”, ponderou.
Essa é a visão do diretor-geral do IAC, Sergio Augusto de Moraes Carbonell: transferência de conhecimento. “As diretrizes do instituto são criar meios sustentáveis e de produtividade de cultivares, criando um agronegócio competitivo, aproximando a ciência da produção”, disse.
Para o diretor do Centro de Citricultura, Marcos Antônio Machado, a unidade do IAC em Cordeirópolis é uma referência em pesquisa e tecnologia nacional, principalmente na formação de recursos humanos, agregando uma equipe multidisciplinar empenhada em transferir conhecimento para o campo. “Mesmo diante da crise que o País vive atualmente, o nosso Centro continua empenhado em cumprir sua missão institucional de gerar tecnologias de manejo, colaborando com os produtores rurais”, comentou.
De acordo com Machado, o Centro é um grande polo de conhecimento, principalmente por capacitar profissionais, seja estudantes de agronomia que trabalham na unidade, ou pesquisadores da Pasta, que atuam no IAC é que desenvolvem suas iniciações científicas.
Cadeia produtiva
Arnaldo Jardim falou também sobre a criação de políticas de incentivo à produção de frutas cítricas de mesa e os trabalhos para a consolidação de um sistema de informações estatísticas do agronegócio citrícola, além de ressaltar o seu apoio ao cooperativismo e o associativismo.
O coordenador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), Orlando Melo de Castro, ressaltou que o evento aproxima a cadeia produtiva. “Esse tradicional encontro é um grande fórum de debate sobre as principais novidades e desafios do setor para que possam atualizar seus conhecimentos e divulgar o trabalho da Secretaria”, comentou.
O produtor rural José Amaro Bezerra compartilha dessa opinião. Para ele, adquirir novos conhecimentos é fundamental para manter a produção pujante, sustentável e competitiva. “Temos que buscar alternativas para aumentar a produtividade, sempre respeitando os recursos naturais para que o agronegócio cresça”, disse.
No campo da Defesa vegetal, o titular da Pasta ressaltou os trabalhos realizados pela Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA) para problemas sanitários enfrentados na citricultura paulista.
O greening é a mais devastadora doença que atormenta citricultores de todo o mundo. A doença faz com que o fruto tenha desenvolvimento comprometido, podendo cair prematuramente ou permanecer verde após a maturação (daí a origem do nome “greening”), e apresentar gosto amargo.
Semana da Citricultura
O evento se consolidou como o principal encontro específico do setor, reunindo os componentes da cadeia citrícola. Durante a semana serão discutidos temas envolvendo a nutrição de citros, inovação tecnológica, fitossanidade e economia. São mais de 40 palestras com especialistas de todas as áreas discutindo a tecnologia gerada pela pesquisa e debatendo os problemas da agroindústria.
Para o prefeito de Cordeirópolis, Amarildo Antonio Zorzo, o evento já faz parte do calendário oficial do município. “Somos referência em citricultura. A história de Cordeirópolis se confunde com a história do IAC. Por isso, atuamos juntos para enfrentar as dificuldades e gerar novas pesquisas”, destacou.
Nesta semana foram homenageados pesquisadores, assim como empresas do setor. O prêmio “Hall da Fama da Citricultura Brasileira” foi entregue ao produtor, Antônio Fortes Filho.
A organização Paulista de Viveiros de Mudas Cítricas (Vivecitrus) recebeu o prêmio “Centro de Citricultura”, e o pesquisador Helton Carlos de Leão foi homenageado com o título “Engenheiro Agrônomo Destaque da Citricultura”.
Paralelamente à Semana, será realizado o 47º Dia do Citricultor e a 42ª Expocitros. O evento ocorre anualmente e será realizado até 9 de junho de 2016, no Centro de Citricultura.
Veja fotos aqui: http://bit.ly/1UBbFhu (Crédito: João Luiz/Comunicação SAA)
Por Paulo Prendes
Foto: João Luiz
Mais informações
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11) 5067-0069

Pin It

Notícias por Ano