Apta

APTA tem dois pesquisadores na lista dos mais produtivos na área de agroecologia

Os pesquisadores da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Edmilson José Ambrosano, que atua no Polo Centro Sul da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), em Piracicaba, e o pesquisador aposentado Nivaldo Guirado, estão na lista dos mais produtivos na área de agroecologia, eleitos pelo Congresso Brasileiro de Agroecologia (CBA).
Edmilson Ambrosano publicou 20 artigos e está na 11ª colocação no ranking. Nivaldo Guirado publicou 18 e está na 15ª posição. “O levantamento mostra a dedicação da APTA aos temas mais atuais no que diz respeito ao desenvolvimento da agricultura como um todo no Estado de São Paulo e o esforço das pesquisas em abastecer os agricultores com as tecnologias mais avançadas para o aumento da produtividade”, afirma Ambrosano.
A relação dos pesquisadores consta no capítulo “Estudo Cietométrico dos Congressos Brasileiros de Agroecologia”, que compõe a obra “Redes de Agroecologias: experiências no Brasil e na França”. A íntegra do capitulo pode ser acessada em http://prodinra.inra.fr/ft?id=05112D66-864D-472A-BCCA-3FEAC40E01B7. O evento é realizado há 12 anos.
Para elaborar o ranking, foram selecionados os resumos publicados nos anais do CBA ao longo de dez anos, completados em 2013. O Congresso se consolidou como um espaço de disseminação do conhecimento acadêmico, científico e empírico da agroecologia. O evento, realizado a cada dois anos, é promovido pela Associação Brasileira de Agroecologia.
Ambrosano começou a trabalhar no Instituto Agronômico (IAC), em 1988, e foi transferido para o Polo da APTA, em Piracicaba, em 2000, para desenvolver trabalhos voltados à agricultura orgânica aos agricultores familiares. Em 2002, passou a atuar em pesquisas para a criação das bases científicas no desenvolvimento da agricultura ecológica na região de Piracicaba.
O objetivo é tornar o Polo Centro Sul da Agência uma referência no desenvolvimento de tecnologias para a agricultura orgânica. “Passei a direcionar minhas pesquisas no esclarecimento da dinâmica do nitrogênio vindo da fixação simbiótica, praticada pelas bactérias presentes nos nódulos das leguminosas, também chamadas de Fabaceas, para que esse conhecimento básico pudesse ser aplicado para o aumento da produtividade com sustentabilidade”, conta.
Dentre as pesquisas mais relevantes está o uso de plantas de cobertura e adubos verdes para economia de adubação nitrogenada, com aumento de produtividade, sem impacto ao ambiente. O pesquisador desenvolveu estudos em cana-de-açúcar, por ser uma cultura que demanda muita pesquisa na região, e em hortaliças, mais produzidas em cultivo orgânico para agricultores familiar.
Com a ajuda de Nivaldo Guirado na equipe, estudou o impacto dos tratamentos fitossanitários alternativos no combate às pragas e doenças na agricultura ecológica, os resultados também estão publicados no CBA.
A equipe também atuou na formação de novos pesquisadores e na orientação de teses de mestrado, doutorado e pós-doutorado. Os pesquisadores orientaram alunos de iniciação científica e trabalhos de conclusão de curso na área de agroecologia.
As pesquisas realizadas atualmente no Polo Centro Sul da APTA têm como meta o desenvolvimento de estudos de cultivo consorciado de tomate-cereja com adubos verdes. O objetivo é medir a real contribuição desses consórcios na nutrição do tomate por nitrogênio, seus efeitos na química do solo, em cultivo protegido e ao ar livre, e avaliar a pós-colheita dos frutos produzidos.
“Reconhecimentos como este mostram a força da pesquisa paulista, desenvolvida pelas unidades de pesquisa da APTA, sempre buscando a diversidade e gerando renda e produtividade para o homem de campo, com respeito do meio ambiente”, afirma Arnaldo Jardim, secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.
Ambrosano é formado em agronomia pela Universidade de São Paulo (USP), possui mestrado em Energia Nuclear na Agricultura pelo Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA/USP) e doutorado em Solos e Nutrição de Plantas pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (Esalq/USP). O pesquisador da APTA tem pós-doutorado em Migrobiologia pelo Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC/EEZ), na Espanha, Agroecologia e Manejo Sustentável de Cultivos pelo Instituto de Investigaciones Fundamentales en Agricultura Tropical, em Cuba, e Uso de Isótopos pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA/ONU), na Áustria. É autor de 138 artigos científicos, 55 capítulos de livros e participou na editoração de 15 livros.
Guirado é formado em engenharia agronômica pela Escola Superior de Agronomia de Paraguaçu Paulista, com mestrado em fitopatologia, pela ESALQ/USP, e doutorado em ciências, pelo CENA/USP. Ao longo da sua carreira como pesquisador científico, publicou 75 artigos em periódicos especializados e 99 trabalhos em anais de eventos. Possui 16 capítulos de livros e cinco livros publicados.
Levantamento CBA
De acordo com Pascal Aventurier, Guillaume Ollivier, Maria de Cléofas Faggion Alencar e Stéphane Bellon, autores do capítulo “Estudo Cietométrico dos Congressos Brasileiros de Agroecologia”, a produção técnico-científica internacional em agroecologia está ancorada nas bases de dados internacionais Web of Science (WoS) e Scopus. Quando eles começaram a estudar a produção internacional, encontraram menos de 150 textos de pesquisadores brasileiros, em mais de 2500 artigos em agroecologia, número considerado pequeno em relação à dinâmica de produção de conhecimento nesta área no Brasil.
A análise dos autores mostra que existem mais de oito mil textos sobre o assunto publicado em congressos, artigos de revistas, dissertações e teses. O material está sendo consolidado para estudos dos projetos “Repositório de acesso livre para agroecologia e agricultura orgânica do Brasil”, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), e “Agroecologia na França e no Brasil: entre redes científicas, movimentos sociais e políticas públicas”, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).           
Por Fernanda Domiciano
Mais informações para imprensa
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios
(19) 2137-0616/0613

Pin It

Notícias por Ano