cabecalho apta130219

APTA realizará encontro com empresários da cadeia produtiva de proteína animal para incentivar parcerias

Os institutos de pesquisa ligados à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, vivem momento promissor para a realização de parcerias com o setor privado. Com o incentivo a inovação tecnológica por nova legislação federal e estadual, os seis institutos públicos de pesquisa agropecuária da APTA esperam aumentar a participação privada em seus trabalhos. Para explicar esse novo momento e apresentar os serviços e linhas de pesquisa inovadoras para cadeia produtiva de proteína animal, a APTA realizará o workshop “Oportunidades de Novos Negócios para a Cadeia de Proteína Animal no Estado de São Paulo”, em 19 de outubro de 2016, a partir das 8h30, em São Paulo, Capital. As inscrições para o evento podem ser feitas no link. (https://www.eventick.com.br/cadeia-de-proteina-animal)
O objetivo do workshop é reunir empresas ligadas à cadeia de proteína animal para apresentar as linhas inovadoras de pesquisa da APTA em produção animal, sanidade e processamento. As diretorias dos institutos ligados à APTA –  Instituto de Zootecnia (IZ), Instituto Biológico (IB), Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), Instituto de Pesca (IP), Instituto Agronômico (IAC) e Instituto de Economia Agrícola (IEA) – farão uma apresentação das linhas de pesquisa e de serviços. Também será realizada uma apresentação sobre o Novo Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) e resoluções estaduais que permitem melhor interação entre as instituições públicas e privadas, além do trabalho realizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa Agrícola (Fundag) e Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa do Agronegócio (Fundepag).
Após as palestras, o público participará de uma rodada tecnológica para interação com os pesquisadores em seis áreas: sanidade animal; processamento de carne e lácteos; genética, sistema de produção, forrageiras e nutrição animal; aquicultura e pesca; tratamento de resíduos; e economia, preços e mercados. “O evento busca uma melhor interação entre o setor produtivo e os institutos públicos de ciência e tecnologia da área agropecuária, ligados à APTA. A inovação tecnológica só é possível quando o setor produtivo adota as tecnologias. Queremos aproximar a setor público e privado para dar um novo salto na agropecuária”, afirma Orlando Melo de Castro, coordenador da APTA.
Segundo o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, os institutos da APTA são referência brasileira em pesquisas na área de proteína animal e já interagem com o setor produtivo em seus projetos. “Com a nova legislação vigente é possível ampliar os trabalhos para aumentar a produção, melhorar a renda e disponibilizar novos produtos aos consumidores, tudo isso, aliado a preservação ambiental, uma recomendação do governador Geraldo Alckmin. Temos tecnologias para toda a cadeia produtiva e esperamos que o setor privado se junte a nossos institutos para alcançar esses ganhos”, diz.
Palestras
Durante o workshop, o Instituto de Zootecnia apresentará seus trabalhos e serviços em bovinos de corte, leite, suínos, aves, búfalos e Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF). O Instituto de Pesca mostrará seus projetos de pesquisa em pesca e aquicultura, nutrição e alimentação de organismos aquáticos, patologia, genética e reprodução, processamento, conservação, qualidade e valor agregado, além de destaques tecnológicos recentes e cases de projetos desenvolvidos em conjunto com a iniciativa privada.
O Instituto Biológico apresentará seus trabalhos em sanidade animal, alimentos seguros, prestação de serviços e transferência de tecnologia e conhecimento. O Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL) falará sobre o processamento de produtos cárneos e lácteos, prestação de serviço, assessoria e informações e capacitação do setor produtivo.
O Instituto Agronômico mostrará seus projetos de melhoramento genético vegetal para espécies destinadas à alimentação animal, como cana forrageira, grãos e fibras e ILPF, além da prestação de serviços por seus laboratórios. O Instituto de Economia Agrícola apresentará a importância de suas análises estatísticas, a avaliação de projetos e suas tecnologias e soluções para o setor. 
Novo momento para parcerias
Segundo Castro, o novo Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação, a Lei de estadual de Inovação, a assinatura da Resolução nº 12, pela SAA, e o estabelecimento de normas para o funcionamento dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NIT), no âmbito da APTA, são fundamentais para promover a inovação tecnológica.
As novas legislações tornam mais dinâmicos a pesquisa, o desenvolvimento científico e tecnológico e a inovação no País, além de diminuir a burocracia nos investimentos na área. A regulamentação dos NITs e a assinatura da Resolução nº 12 definem os critérios do direito da participação do pesquisador na inovação desenvolvida. “A regulamentação dos NITs representa um marco para a atualização das instituições ligadas à APTA, no que se refere ao relacionamento com instituições privadas para ações de pesquisa e inovação, conforme previsto na legislação estadual e federal”, afirma Castro. De acordo com o coordenador da APTA, a regulamentação permite a parceria em projetos conjuntos com a utilização em comum de espaços de pesquisa e laboratórios e a partição com exclusividade do direto de uso de patente e propriedade intelectual.
Entre 2014 e 2015, a iniciativa privada investiu cerca de R$ 109 milhões na Agência, o que representa, aproximadamente, 17% do orçamento no período. “Com a nova resolução, a participação privada tende a aumentar, assim como os investimentos de agências de fomento estaduais e federais e organismos internacionais. Nossa meta, é que o recurso privado represente 25% do orçamento da APTA até 2018”, explica o coordenador da APTA.
Para o Jardim, o estabelecimento desses critérios é um salto no fomento ao agronegócio, pois normatiza os instrumentos jurídicos que facilitam as relações entre os institutos e a sociedade, assim como é praticado nos países que mais inovam no mundo, como Estados Unidos, Coréia do Norte e Japão. “A inovação tecnológica é fundamental para o desenvolvimento e independência econômica de um País. A interação entre as instituições de pesquisa e a iniciativa privada precisa de normas claras e fáceis para que os novos produtos e processos sejam adotados pelo setor produtivo”, afirma.
SERVIÇO
Workshop: Oportunidade de Novos Negócios para a Cadeia de Proteína Animal no Estado de São Paulo
Data:
19 de outubro de 2016
Horário: 8h30
Local: Auditório da ABIMAQ
Endereço: Av. Jabaquara, 2925, 1º andar, Mirandópolis, São Paulo – SP
Inscrições: https://www.eventick.com.br/cadeia-de-proteina-animal
Contato: 19 3739-8035 e marketing@fundag.br
Programação:
8h30 – 9h: Café de boas vindas e entrega de material
9h: Abertura
9h30 – 11h15: Apresentação das linhas de pesquisa e serviços pelos institutos da APTA/SAA
11h15 – 11h45: Nova legislação CT&I para relação pública x privada
11h45 – 13h: Brunch
13h – 14h30: Rodada de negócios sobre áreas de interesse comum entre empresas e institutos
Por Fernanda Domiciano
Assessoria de Imprensa – APTA
(19) 2137-8933

Pin It

Notícias por Ano