cabecalho apta130219

APTA participa do InovaCampinas de inovação, sustentabilidade e tecnologia

A Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio dos Institutos de Pesquisa e da APTA Regional, participa nos dias 11 e 12 de junho, em Campinas (SP), do “Inova Campinas - Fórum Regional de Inovação, Sustentabilidade e Mostra de Negócios, Tecnologia, Oportunidades e Empreendedorismo da Região do Conhecimento”. O evento - que será composto de parte congressual, exposição e balcão de negócios - visa trabalhar com os três pilares de sustentação da inovação: empresas, instituições de pesquisa e poder público articulados e integrados.
O fórum vai analisar modelos internacionais de regiões que atuam pautadas na economia do conhecimento; discutir diretrizes da região sob a ótica da caracterização de uma “região do conhecimento”; debater o empreendedorismo na região e aspectos do ecossistema das empresas de alta tecnologia; e identificar as oportunidades e desafios das empresas em geral em relação à inovação.
Com a presença de secretários de Estado e especialistas brasileiros e de outros países, a programação prevê palestras sobre temas como importância do sistema paulista de parques tecnológicos, regionalização da inovação e sustentabilidade, inovação e economia do conhecimento e desenvolvimento sustentável, além de painéis com apresentação de “cases”. 
Já a mostra - repleta de inserções sobre inovação, novas tecnologias e sustentabilidade - será dividida em três ambientes: oportunidades municipais; inovação e tecnologia; e startups/spin-offs/incubadoras de base tecnológica.
Instituições da APTA
O Instituto Biológico (IB-APTA) vai apresentar seus produtos imunobiológicos para diagnósticos, com os quais, ao longo dos anos, conquistou a confiança da classe veterinária. Pesquisas sobre tuberculose e brucelose, desde a década de 1930, contribuíram para o incremento da produção de tuberculinas e antígenos de brucelose, com grande influência no controle dessas zoonoses da pecuária nacional de maneira a torná-la altamente competitiva.
Atualmente, a previsão é de produção anual de 2,2 milhões de doses, com aumento a cada ano de forma a atender à crescente demanda dos estados. As tuberculinas e os antígenos produzidos pela instituição são distribuídos em diversos estados do Brasil e exportados para países da América do Sul.
O Instituto de Pesca (IP-APTA) vai mostrar painéis abordando "carne mecanicamente separada do pescado" e "maricultura". Também vai difundir informações sobre uso racional dos recursos aquáticos vivos e melhoria da qualidade de vida de quem atua na atividade pesqueira e de quem utiliza a carne do pescado na dieta.
Já o Instituto Agronômico (IAC-APTA) vai apresentar nova variedade de feijão precoce e com grãos de alta qualidade, característica inédita no mercado.  Para os produtores, os atrativos são redução de 30% na aplicação de defensivos e a alta produtividade. Aos consumidores agradam o menor tempo de cozimento e grãos graúdos.
Também serão exibidas as variedades de arroz IAC 300 - do tipo arbóreo e indicada para o preparo de risotos – e IAC 600, esta conhecida como arroz preto e consumida na forma integral, com sabor e aroma acastanhado e que ganha cada vez mais mercado.
O público poderá ainda conhecer o Programa IAC de Cafés Especiais, todos com elevada qualidade de bebida e diferenciação no perfil sensorial. Além disso, serão mostradas novas variedades de cana-de-açúcar para o setor sucroalcooleiro, acompanhadas de pacotes tecnológicos adotados em 11 estados brasileiros e também no exterior. 
Outra novidade são as laranjas sanguíneas, fonte de antocianinas na polpa e no suco da fruta (pigmentos pertencentes à família dos flavonóides, que possuem funções na natureza como a proteção de plantas contra o ataque de patógenos e os danos causados pela radiação UV e para a pigmentação de flores, frutos e sementes, com a finalidade de atração de insetos polinizadores e de dispersão de sementes).
Destaque ainda para as tangerinas sem semente, o abacaxi IAC Gomo-de-mel (não precisa ser descascado) e as variedades IAC de antúrio mais produzidas no Brasil. Na área de solos, as pesquisas abrangem rotação de cultura, sistemas conservacionistas e manejo sustentável da fertilidade, entre outras.
O Instituto de Zootecnia (IZ-APTA) vai mostrar as tecnologias geradas na área animal, abrangendo suporte nas cadeias produtivas de pecuária de corte e leite e de ovinocultura, voltado para o aumento da produtividade e da qualidade. São pesquisas em melhoramento genético de forrageiras; forragicultura e pastagens; produção animal a pasto; reprodução; etologia e ambiência; produção e qualidade de carne e leite; atividades silvipastoris; produção de sistemas inteligentes para pesquisa e gerenciamento de dados.
O Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL/ APTA) vai dispor informações relacionadas com produtos cárneos, cereais, chocolate, balas, confeitos, produtos de panificação, laticínios, frutas, hortaliças, engenharia de processos industriais e tecnologia de pós-colheita. Além da área de ciência e qualidade, que abrange laboratórios de análises químicas, físicas, sensoriais e microbiológicas, inclui o setor de embalagem que é especializado em materiais metálicos, vidro, plástico, celulósicos e de distribuição e transporte.
Os visitantes ainda poderão conhecer os serviços de consultoria, capacitação e análises, prestados para empresas de todos os portes. Também serão apresentados projetos de inovação, com estudo das tendências do setor de alimentos, estabelecimento de parcerias e formação de redes de colaboração, envolvendo o setor privado e outros stakeholders do setor de alimentos.
A APTA Regional, que coordena os Polos Regionais, vai divulgar a Rede de Laboratórios de Defensivos Agrícolas. Ou seja, unidade laboratorial de Assis (suporte às unidades experimentais de Marília e Bauru); a unidade laboratorial de Capão Bonito (unidades experimentais de Itararé, Itapeva, Itapetininga e Tatuí); unidade laboratorial de Piracicaba (unidades experimentais de Tietê, Jaú e Monte Alegre do Sul), unidade laboratorial de Presidente Prudente (unidades experimentais de Andradina e Adamantina), unidade laboratorial de Ribeirão Preto (unidades experimentais de Colina e Mococa) e unidade laboratorial de São José do Rio Preto (unidades experimentais de Pindorama e Votuporanga).
Esta Rede Regional de Análises de Defensivos Agrícolas vai fornecer serviços como pesquisas técnico-científicas com emissão de laudo oficial de eficiência e praticabilidade agronômica de agrotóxicos e afins; avaliação de fitotoxicidade; avaliação de seletividade a inimigos naturais; avaliação de métodos de aplicação de defensivos agrícolas; e avaliação de efeito fisiológico de defensivos agrícolas no desenvolvimento de plantas cultivadas. A rede deve facilitar o credenciamento das unidades laboratoriais da APTA Regional junto ao Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).
O Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA) vai apresentar publicações e estudos de inovação tecnológica.  Na agricultura, a relação entre inovação, pesquisa e sociedade insere-se nos sistemas produtivos e na preservação de recursos naturais, exigindo informações sistemáticas e indicadores de alternativas sustentáveis.
Mais informações sobre o InovaCampinas 2012 estão disponíveis no site http://www.inovacampinas.com
Assessoria de Comunicação da APTA
José Venâncio de Resende
(11) 5067-0424

 

Pin It

Notícias por Ano