Apta

Animais em exposição no IZ divulgam a ciência e inovação em agropecuária na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2016

A difusão da informação é a ponte para troca de conhecimento entre pesquisa científica, sociedade e governo. Para efetivar esse elo, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, por meio de seu Instituto de Zootecnia (IZ-APTA), recebeu alunos das escolas estaduais de Nova Odessa e região para participar, de 17 a 21 de outubro, da 13ª edição da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), com o tema “A Ciência Alimentando o Brasil”. O objetivo da Semana foi aproximar a ciência e a tecnologia da população, promovendo eventos com atividades de divulgação científica em todo o Brasil, difundindo o conhecimento sobre o tema.
Para a diretora do IZ, Renata Helena Branco Arnandes, as atividades permitem mostrar à comunidade os trabalhos e as inovações desenvolvidas na instituição. “Como instituto de ciência e tecnologia, a integração com a comunidade é extremamente importante”, apontou Renata.
“No dia a dia, a refeição saudável está vinculada à ciência e à tecnologia, que têm papel primordial na qualidade dos alimentos consumidos pela população. E é essa pesquisa e inovação que estão sendo observadas e sentidas pelos alunos e professores neste evento”, reforçou.
O secretário da Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, enfatizou estar sempre empenhado a diminuir a distância entre a pesquisa, o produtor e a sociedade, cumprindo as diretrizes trabalhadas pelo governador Geraldo Alckmin. “Temos muita tecnologia IZ aplicada no nosso cotidiano – do campo às mãos da família –, melhorando o acesso à alimentação com qualidade. Tudo isso sendo demonstrado para os visitantes, de maneira dinâmica e didática, pelos nossos pesquisadores”, ressaltou.
A semana teve programação para alunos com idade de entre 14 e 15 anos, que logo na entrada do IZ visitaram a mini-fazenda com ovelhas, carneiros, galinhas e bezerros – animais que fazem parte dos projetos de pesquisa do Instituto.
Depois, foram recepcionados por pesquisadores do IZ que abordaram, de forma bem didática, os trabalhos desenvolvidos como bovinocultura de leite, ovinocultura, aves, suínos e bovinos de corte, e como tudo está inserido no dia a dia de cada pessoa, como, por exemplo, na alimentação e no vestuário.
Os estudantes acompanharam as explicações na exposição de plantas forrageiras, voltadas à alimentação dos animais do IZ, e no minilaboratório que aborda, por exemplo, o uso de produtos naturais para o controle de parasitas, e o estudo da genética animal para um produto de qualidade, por meio da pesquisa científica ética, visando a sustentabilidade e o bem-estar animal.
Eles também participaram da exposição itinerante “Planeta Inseto”, do Instituto Biológico (IB-APTA), da Secretaria, que mostra a importância dos organismos na vida humana. Os diversos aspectos sobre os insetos são retratados de forma interativa, sensibilizando os jovens para a importância na sustentabilidade ambiental, produção de alimentos e saúde pública. Puderam ver abelhas produzindo mel, lagartas produzindo o fio de seda para confecção de roupas, besouros e, ainda, torcerem na corrida das baratas.
Para a pesquisadora Luciana Morita Katiki, responsável pela exposição do Centro de Genética e Reprodução Animal, com o Laboratório de Biotecnologia, foi muito gratificante esta oportunidade ímpar para os alunos saberem sobre fazer ciência com qualidade e ética. “Será muito produtivo o que pudermos despertar de bom, para que eles possam ser um profissional da área. Foi na 7ª série, na aula de ciência e em visitas como essa junto com a professora de ciência, que eu despertei para área em que trabalho hoje, medicina veterinária”, detalhou.
A professora Mary Elaine Lourenço, da Escola Joaquim Rodrigues Azenha, que leciona há 25 anos, não havia ainda tido oportunidade de participar de um evento com tanta dinâmica e animais ao vivo. “Para os alunos é mais inusitado ainda, poder tocar, sentir, visualizar toda essa exposição, sentir literalmente a biologia na pele. Eles participaram bem, ficaram curiosos, questionaram bastante. Considero uma ideia genial e que deve continuar.”
Já a professora de Biologia e Ciências Nathali Gomes considerou que os alunos puderam ter uma visão diferente da ciência. Na prática, puderam observar e interagir sobre assuntos que estudam em sala de aula. “Eles gostaram bastante dos insetos, como estão inseridos na natureza e, principalmente, como é desenvolvido o trabalho do IZ com os animais. Os pesquisadores foram muito práticos na explicação e isso ajudou bastante no interesse de cada um. Até para algumas turmas que não tiveram a teoria, com certeza, após essa vivência ficará mais fácil em sala de aula”, disse.
A aluna do IESC Luiza das Neves Dias disse que aprendeu bastante e aperfeiçoará seu saber em seus estudos ao relacionar a experiência no Instituto com a teoria da escola nas aulas de ciências. “Se puder vou voltar e indicar para outras pessoas, pois fiquei empolgada de como funciona o IZ, tudo que é produzido aqui, e como é o jeito correto de lidar com os animais.”
A Semana
A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia é coordenada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Com a temática “Ciência alimentando o Brasil”, a SNCT buscou aproximar a população da ciência e da tecnologia em eventos que congregam centenas de instituições. A ideia foi realizar atividades de divulgação científica em todo o País, com linguagem acessível à população e, por meios inovadores, estimular a curiosidade e motivar a população a discutir as implicações sociais da ciência e aprofundar seus conhecimentos sobre o tema escolhido.
Por: Lisley Silvério

Pin It

Notícias por Ano