cabecalho apta130219

Angolanos buscam cooperação da Secretaria de Agricultura Paulista

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo vem sendo procurada por alguns países, por meio do Instituto de Pesca, com o objetivo de adquirir conhecimentos técnicos e científicos, bem como práticas e experiências em temas de pesca e aquicultura. Um grupo da República de Angola visitou o Instituto de Pesca interessado em conhecer os projetos desenvolvidos nas áreas de pesca e aquicultura, com ênfase em novas estratégias e tecnologias destinadas à melhoria do agronegócio do pescado. O objetivo é o aperfeiçoamento da cadeia produtiva pesqueira de seus países e, principalmente, à identificação de possíveis áreas de cooperação.

O encontro com os angolanos foi realizado no final de julho. Na oportunidade, o pesquisador Julio Vicente Lombardi, assistente-técnico da diretoria do Instituto de Pesca, fez uma apresentação do Instituto de Pesca, inserido na Secretaria de Agricultura paulista, por meio da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA).

Por sua vez, os angolanos mostraram a situação da aquicultura em seu país, considerado um grande produtor de peixes de águas continentais e organismos marinhos, como carapau, sardinha, lulas e crustáceos, e um também grande exportador de farinha de peixe e de peixe resfriado para o mercado europeu. O consumo de pescado pelos angolanos é de 18 quilos/habitante ano. Os angolanos desejam investir em qualidade e processamento, principalmente em relação à agregação de valor ao pescado em conserva. Suas necessidades prioritárias relacionam-se à fabricação de redes, fios e cabos, apetrechos esses que são atualmente importados da China. Mas há outras necessidades incluídas, como a sanidade, construção de entrepostos, cadeia de frios, distribuição do pescado, estatística pesqueira, administração pesqueira, necessidades acadêmicas - intercâmbio legalizado para a partilha do conhecimento e visitas bilaterais de pesquisadores, capacitação de pessoal e bolsas de estudo entre outras.

A visita teve ainda por finalidade a concretização de um futuro intercâmbio técnico-científico, por meio de convênio entre os dois países. Ao final da reunião, Maria Aparecida Ribeiro colocou o Instituto de Pesca à disposição dos interessados para auxiliar na política de aquicultura e pesca da República de Angola, dizendo que outras reuniões técnicas poderão ser agendadas para definir as ações que permitirão embasar as metas da cooperação.

Participaram do encontro a diretora-substituta, Maria Aparecida Guimarães Ribeiro, e cinco representantes do Instituto de Pesca, bem como Roberto Kikuo Imai e Maurício Kouno, membros do Comitê da Cadeia Produtiva da Pesca e da Aquicultura (Compesca) da Fiesp. A comitiva era integrada por Manuel Vieira P. Delgado, representante comercial de Angola no Brasil; pela doutora Victória Cristovão de Barros Neto, Ministra das Pescas, pela assessora Maria de Lourdes Sardinha e por pesquisadores, engenheiros de pesca, sanitaristas, jurista, empresários e jornalistas, que totalizavam 24 angolanos.

O Secretário Arnaldo Jardim destacou a importância dos Institutos ligados à Secretaria realizarem esse tipo de recepção de comitivas de outros países que vêm em busca de conhecimentos e técnicas desenvolvidos. “O governador Geraldo Alckmin tem incentivado que a Secretaria de Agricultura amplie seus laços com organismos de outros países”, ressaltou. Em cerca de seis meses, o Instituto de Pesca recebeu também uma comitiva chilena ligada à pesca artesanal e uma delegação da República dos Camarões.

Por: Antonio Carlos Simões

Mais informações:

Assessoria de Imprensa da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Instituto de Pesca

Fone: (13) 3261-5474

Pin It

Notícias por Ano