Apta

Agricultores do Vale do Ribeira terão curso para evitar a Sigatoka Negra na cultura da banana

Considerada uma das mais destrutivas doenças para a banana, a Sigatoka Negra será tema de capacitação no dia 17 de setembro, das 8h às 18h, em Pariquera-Açu. Promovido pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) o “3º Treinamento: Manejo da Sigatoka Negra na cultura da banana” de 2015 tem como objetivo transferir conhecimentos e tecnologias adaptadas e/ou geradas na região pelos pesquisadores do Polo Regional Vale do Ribeira, da APTA. Em novembro, será realizado o quarto treinamento.

A programação do evento inclui aulas expositivas e práticas para conhecimento dos sintomas da Sigatoka Negra e a diferenciação dos sinais típicos do fungo em microscópio e lupa. Será abordada também a técnica adotada mundialmente para avaliar a severidade da doença, que será detalhada aos participantes para terem a oportunidade de exercitar o preenchimento de uma planilha de campo, coletando informações sobre o ritmo de emissão foliar e a severidade da doença no campo.

Haverá ainda explanação sobre as práticas culturais que ajudam os bananicultores regionais a conviverem com a doença e, principalmente, a indicação do momento e da sequência correta de aplicação de fungicidas para controle da Sigatoka. A coordenação do treinamento é do engenheiro agrônomo Wilson da Silva Moraes.

Com 20 vagas abertas, o curso tem como público-alvo bananicultores regionais, técnicos agrícolas, engenheiros agrônomos, pesquisadores, estudantes e demais interessados. A realização é em parceria com a Federação da Agricultura do Estado de São Paulo (Faesp) e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e Sindicato Rural do Vale do Ribeira.

Mais informações pelo telefone (13) 3856-1656 e pelo e-mail iolanda@apta.sp.gov.br. O Polo Regional Vale do Ribeira fica na Rodovia Regis Bittencourt, Km 460 - Pariquera-Açu.

Programação:

8h-8h30 - Diferenciação dos sintomas da Sigatoka Negra e Sigatoka Amarela

8h30-9h - Diferenciação dos sinais dos fungos P. fijiensis e P.musae

9h-10h30 - Ação do ambiente no ciclo da Sigatoka Negra e Sigatoka Amarela

10h30-10h45 -Intervalo (cafezinho)

10h45-12h - Técnica de monitoramento da Sigatoka Negra: indicação do momento, sequência de aplicações e da alternância de grupos químicos de fungicidas como estratégia anti-resistência

12h-13h - Intervalo (almoço)

13h-14h - Prática 1 - Sintomas da Sigatoka Negra e Sigatoka Amarela e sinais dos fungos P. fijiensis e P. musae em lupa e microscópio

14h-15h30 - Medidas de manejo da Sigatoka Negra e Sigatoka Amarela

15h30-17h45 - Prática 2 - Sintomas da Sigatoka Negra e exercícios práticos com a técnica de Monitoramento da Sigatoka Negra.

17h45-18h - Encerramento

Por Hélio Filho

Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Assessoria de imprensa

Telefone: (11) 5067-0069

Pin It

Notícias por Ano