cabecalho apta130219

Ações da Secretaria de Agricultura e Abastecimento garantem novas tecnologias, sanidade e qualidade na atividade pecuária

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo desenvolve diversas ações de pesquisa, extensão rural, defesa agropecuária e abastecimento, com foco na produção pecuária sustentável e tecnológica para garantir alimentos saudáveis e seguros à população. Confira algumas delas:

Pesquisa

O Instituto de Zootecnia atua com três áreas estratégicas. Os Sistemas Integrados de Produção Agropecuária tem como objetivo avaliar e identificar os sistemas integrados de produção em suas diferentes formas, com implantação e condução de arranjos produtivos para explorar sinergismos e propriedades emergentes nos compartimentos solo, plantas, animais e ambiente, demonstrando viabilidade técnica e econômica, bem como benefícios ecológicos e ambientais.

A Produção Sustentável de Carne visa aumentar a difusão de tecnologias para o setor carnes, tanto com a expansão da disponibilidade de animais geneticamente superiores em características de importância econômica, como a intensificação da transferência das tecnologias geradas pelo Polo Regional de Colina da APTA.

Já a Produção Sustentável de Leite está fundamentada nos pilares de resiliência, qualidade do leite, ambiência e bem-estar, e reprodução baseada em biotecnias reprodutivas. A área estratégica compreende os sistemas de semi-confinamento e produção integrada, seja lavoura pecuária, lavoura pecuária floresta e silvipastoril.

Imunobiológicos

O Instituto Biológico é a única instituição brasileira autorizada a produzir os chamados imunobiológicos, antígenos usados no diagnóstico de brucelose e tuberculose em bovinos. Sem esses kits de diagnóstico não é possível realizar a importação e exportação de bovinos pelo Brasil. No biênio 2016/2017, 6,4 milhões de doses foram comercializadas pelo IB para 24 Estados brasileiros e o Distrito Federal. Em 2018, a produção de imunobiológico atingiu recorde histórico. Foram produzidas 4.593.090 doses, 81% a mais do que em 2017, quando foram produzidas 2.539.520 doses.

Carrapaticidas

O desenvolvimento de produtos naturais alternativos ao uso de carrapaticidas químico é objeto de estudos conduzidos nos Institutos de pesquisa da Secretaria. O Instituto de Zootecnia, por exemplo, trabalha no desenvolvimento de um produto natural com capacidade para combater os carrapatos em bovinos de forma eficiente e rápida.

Os resultados mostram que o produto é eficaz e seguro para o animal e o aplicador. O diferencial está na ação sob todas as fases do carrapato. Após a aplicação do produto, as fêmeas ingurgitadas e demais fases dos carrapatos secam, de modo que não chegam a por ovos, havendo eliminação de grande parte da população, evitando a resistência dos carrapatos ao produto. O produto natural do IZ também tem como foco a sustentabilidade, por não deixar resíduos nos produtos de origem animal e também no ambiente.

O HYGIZ, desenvolvido pelo IZ em parceria com a empresa HYG System, é uma fórmula fitogênica obtida da mistura de óleos essenciais que foram extraídos de ervas, utilizadas na alimentação humana, atuando como um inseticida natural. No momento, os pesquisadores buscam empresas interessadas em viabilizar a produção em escala e disponibilização no mercado.

Boi 7.7.7

O conceito do Boi 7.7.7, desenvolvido pela Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), preconiza que os animais alcancem sete arrobas na desmama, sete na recria e outras sete na engorda. Para atingir a meta, é necessário utilizar diversas ferramentas, principalmente, manejo de pasto e suplementação alimentar, que varia de acordo com o peso do animal. Adotada por pecuaristas de todo o Brasil, a tecnologia tem ajudado a modificar a produção brasileira de gado de corte, aumentando em 30% a lucratividade dos produtores e disponibilizando ao mercado carne com melhor qualidade, com sabor, maciez e coloração mais atrativa para o consumidor. Além disso, produzir gado de corte de forma mais rápida diminui a emissão de metano para a atmosfera.

Cruzamento industrial gado Angus e Nelore

A Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de Tietê da APTA vem realizando, em parceria com o Sindicato Rural de Tietê e pecuaristas, projeto que desenvolve o cruzamento industrial de gado bovino Angus e Nelore. O objetivo é aliar a rusticidade do Nelore ao desempenho produtivo da raça Angus – melhor ganho de peso, carne de maior maciez e teor de gordura. Esta rusticidade do Nelore se traduz, sobretudo, em menores exigências nutricionais, melhor resposta aos tratos culturais e maior resistência a parasitas.

O projeto iniciou-se em 2017, com o nascimento de seis bezerros provenientes do cruzamento. Já em 2018, foram 15. Estes animais são comparados a um grupo controle, composto de nelores puros, quanto ao ganho de peso, resistência a moscas e carrapatos e comportamento no campo, nas condições climáticas da região. O objetivo do projeto na UPD é conferir rigor científico ao que já está sendo adotado pelos produtores em suas propriedades, propiciando uma avaliação apurada dos prós e eventuais contras destes cruzamentos.

Cruzamento com Nelore Mocho

A UPD de Andradina da APTA desenvolve há 15 anos projetos de pesquisa que buscam cruzar animais Nelore tradicional com Nelore Mocho, uma raça de animais mais dóceis e de fácil manejo. O objetivo do trabalho é utilizar a genética de Nelore tradicional do Instituto de Zootecnia para melhorar o ganho de peso dos animais da raça Nelore Mocho.

Qualidade da carne bovina

Com o segundo maior rebanho comercial bovino do mundo, o Brasil lidera o mercado de exportação de carne bovina, sendo que a maior parte da produção fica no mercado interno. Dentro desse contexto, o Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital-APTA) possui o Centro de Tecnologia de Carnes (CTC) com foco na qualidade e segurança de carnes e produtos cárneos, levando em consideração a origem dos animais abatidos para o processamento.

No caso do boi, a qualidade da carne é influenciada principalmente pela genética, pela saúde animal, pelo tratamento no frigorífico e pelas condições de distribuição do produto no varejo, em especial se os animais são conduzidos a situações de estresse até o abate, o que altera seu metabolismo, dificultando a conservação do produto.

Sanidade e vigilância

A Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA) tem como uma de suas missões a sanidade do rebanho paulista, de 11 milhões de bovídeos. A vigilância sanitária animal é realizada para tomada rápida de decisão quando do surgimento de alguma ocorrência e para rastrear a origem de uma doença exótica, evitando que ela se alastre e comprometa todo o rebanho paulista.
A sanidade animal não pode ser negligenciada porque causa prejuízo econômico ao produtor com óbitos de animais, restrição ao comércio, cancelamento de eventos, risco à saúde pública, entre outros. Também prejudica as exportações, pois há restrições de ordem sanitária para o comércio entre os Estados e outros países, além de poder causar a perda ou o rebaixamento do status sanitário do País. Além de coordenar a campanha de vacinação contra a febre aftosa e a brucelose, a Defesa Agropecuária acompanha a rota e a movimentação dos animais para permitir a rastreabilidade e eficiência nas ações.

Abastecimento

A Secretaria estabelece o diálogo direto com os diversos entes da cadeia produtiva por meio das Câmaras Setoriais, nas quais se reúnem representantes de associações e cooperativas de produtores rurais, empresas e entidades governamentais para buscar soluções às demandas e desafios do setor. As ações da pecuária são contempladas nas Câmaras Setoriais de Leite e Derivados, Carne Suína, Produtos Apícolas, Insumos Agrícolas e Pecuários, Aves e Ovos e Carne Bovina (esta última, em reestruturação).
Com foco na alimentação saudável, a Secretaria disponibiliza publicações digitais gratuitas utilizando produtos da pecuária paulista no preparo de refeições práticas, nutritivas e acessíveis, elaboradas pela equipe de nutricionistas do Centro de Segurança Alimentar Nutricional e Sustentável (Cesans), da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro). Baixe aqui os livros: Manual de Receitas com Carne Suína e Receitas Nutritivas com Carne Bovina e Miúdos.

Capacitação

Por meio da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS), a Secretaria tem realizado capacitações em todo o Estado com foco no aumento da produção e produtividade do rebanho leiteiro, além da prevenção, diagnóstico e controle de doenças como a raiva bovina.

Em parceria com diversas entidades do setor produtivo, a Secretaria desenvolve o Plano Mais Leite, Mais Renda, criado com o objetivo de coordenar a cadeia produtiva do leite, aumentando a produtividade e a qualidade da produção para dois bilhões de litros por ano nos próximos dez anos.

Pin It

Notícias por Ano