cabecalho apta130219

28ª Reunião Anual do Instituto Biológico discute água e sustentabilidade da agricultura

Água e sustentabilidade serão os temas discutidos durante a 28ª Reunião Anual do Instituto Biológico (RAIB), que será realizada de 9 a 13 de novembro de 2015, na Capital paulista. O evento marca a comemoração do 88º aniversário do IB, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Durante a reunião, pesquisadores do Instituto Biológico e de instituições de pesquisas e universidades debaterão as mais recentes descobertas científicas relacionadas ao clima, água e sustentabilidade. A solenidade de abertura do evento será em 9 de novembro de 2015, às 15h, na Sede do IB, em São Paulo.
Na manhã do dia 10 de novembro, pesquisadores do Instituto Biológico, Instituto Agronômico (IAC), e de Polos da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), irão participar da mesa-redonda “Água na agricultura do Estado de São Paulo”, sob coordenação do pesquisador do IB, José Eduardo Marcondes Almeida.
O Instituto Biológico é responsável pelo Laboratório de Ecologia de Agroquímicos, que desenvolve pesquisas sobre contaminação da água pelo uso incorreto de agrotóxicos. O IB já realizou levantamento sobre a qualidade da água próxima a plantações, nas cidades de Brotas, Registro, Sete Barras e Mogi das Cruzes. Durante o RAIB, a pesquisadora do IB, Eliane Vieira, apresentará os resultados desses estudos.
“Avaliamos se os corpos de água próximos a plantações de laranja, cana, banana e hortaliças estavam contaminados com agroquímicos. Nossos estudos mostraram que nesses locais não houve nenhuma contaminação grave da água devido ao uso dos produtos”, afirma.
Eliane explica que a contaminação da água com agroquímicos pode causar impactos ambientais e econômicos importantes, daí a relevância das análises realizadas pelo IB para confirmar a situação ambiental dos corpos de’ água. “Com essas análises podemos orientar os produtores rurais sobre o que está sendo feito de errado. Muitas vezes, contaminações ocorrem involuntariamente por falta de informações dos produtores”, afirma.
Além das análises químicas, os pesquisadores do IB utilizam bioindicadores para o monitoramento da contaminação do ambiente agrícola como método alternativo de detecção de contaminantes.
Para evitar a contaminação, é necessário que os rios sejam protegidos com matas ciliares. “Elas servem como um filtro, para que o produto não chegue até os rios”, afirma a pesquisadora do IB. Os agricultores devem também estar atentos às recomendações nas embalagens dos agroquímicos, quanto à quantidade, período de aplicação e uso correto dos pulverizadores.
“Nossas pesquisas seguem a orientação do governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, de levar tecnologia e conhecimento ao homem do campo, mas sempre pensando na preservação ambiental”, afirma Arnaldo Jardim, secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.
Pulverizações em baixo volume nos citros
Durante a mesa-redonda, o pesquisador da Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento da APTA em Sorocaba, Eduardo Feichtenberger, apresentará pesquisa sobre o uso consciente da água na citricultura com ênfase na sanidade. Pesquisa desenvolvida pela UPD de Sorocaba da APTA em conjunto com o IB mostrou que é possível reduzir em até quatro vezes o volume de água utilizado nas pulverizações de citros, sem que a eficácia dos tratamentos seja comprometida.
Os estudos para redução do uso de água nas pulverizações feitas para o controle das principais doenças dos citros provocadas por fungos, incluindo a Pinta Preta, a Mancha Marrom de Alternaria e a Podridão Floral dos Citros, estão sendo desenvolvidos desde 2003. Cerca de 11 grandes experimentos já foram realizados com esse objetivo em diferentes regiões produtoras citrícolas em São Paulo. 
Controle biológico
O desafio no controle de doenças e pragas na agricultura será tema de outra mesa-redonda, que será realizada no dia 11 de novembro. O diretor-geral do Instituto Biológico, Antonio Batista Filho, falará sobre o controle biológico de pragas na agricultura. “O controle biológico abre espaço para uma agricultura mais saudável e sustentável. Tem como vantagens atuar em um alvo específico, não deixar resíduos, não afetar os polinizadores e conservar a biodiversidade”, afirma Batista Filho.
Exemplo é a pesquisa do IB para controle biológico da cigarrinha, selecionando um isolado do fungo Metarhizium anisopliae, inimigo natural que colocado no canavial, reduz em até 70% a incidência da praga, sem necessidade de agrotóxico. O IB foi responsável por isolar o fungo, avaliar sua eficiência e disponibilizá-lo ao setor, transferindo a tecnologia por meio de treinamento e assessoria técnica na instalação e manutenção de biofábricas para a produção de bioinseticidas à base de fungos entomopatogênicos.
Com a tecnologia do IB é possível reduzir em 30% o uso de inseticidas. Cerca de 350 mil hectares de cana-de-açúcar em São Paulo usam a tecnologia do Instituto de pesquisa paulista. “O controle biológico está entrando em uma nova era, vindo de um passado de mercado restrito com produtos de qualidade inconsistente para um cenário atual em que grandes multinacionais aparecem investindo no setor, com uma estratégia diferenciada”, explicar o diretor-geral do IB.
RAIB
A RAIB é um evento anual, realizado pelo Instituto Biológico, voltado a profissionais e estudantes das áreas de sanidade animal, vegetal, proteção ambiental, pragas urbanas, museologia, história da ciência e recursos humanos. O objetivo do evento é divulgar os resultados da pesquisa focada na busca de soluções para os problemas da agricultura brasileira, além de promover o debate sobre as tendências e desafios do setor agropecuário.
Durante a abertura do evento, será realizada a premiação de servidores de destaque do IB e entregue a medalha “Rocha Lima”. Na cerimônia de abertura será lançado ainda o livro “Catálogo do Acervo de Ilustradores do Museu do Instituto Biológico”.
A 28ª Reunião Anual do Instituto Biológico contará com seis minicursos, seis mesas-redondas, um workshop científico e um curso de RH. O evento reunirá pesquisadores do Instituto Biológico, Instituto Agronômico, Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), Instituto de Pesca, Universidade Estadual “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Universidade Estadual do Norte Fluminense “Darcy Ribeiro” (UENF), Instituto Nacional de Pesquisas Amazônicas (INPA), Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).
Instituto Biológico
O Instituto Biológico realiza ensaios nas áreas de sanidade vegetal, sanidade animal e proteção ambiental. Os resultados gerados a partir das análises laboratoriais do IB constituem ferramenta básica para ações dos órgãos de defesa, estadual e federal com o objetivo de evitar a entrada ou circulação de pragas no País. Os resultados servem também como laudos para comercialização de produtos para o setor privado nos mercados interno e externo.
O IB tem unidades laboratoriais em Bastos, Campinas, Descalvado, no interior paulista, e também na Capital. Atualmente, o Instituto tem duas unidades acreditadas pelo INMETRO na norma ISO 17025 - Requisitos Gerais para Competência de Laboratórios de Ensaio e Calibração, uma relacionada à sanidade animal e outra a resíduos de pesticidas em alimentos e bebidas.
SERVIÇO
28ª Reunião Anual do Instituto Biológico
Data: de 9 a 13 de novembro de 2015
Horário: das 8h às 17h30
Local: Instituto Biológico
Endereço: Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 1252 – Vila Mariana – São Paulo/SP

Pin It

Notícias por Ano